Suspiro mais lotado do que nunca vê o Brasil ser eliminado da Copa

Torcedores foram preparados para fazer a festa diante do telão na praça, mas voltaram desanimados com derrota para Bélgica
sexta-feira, 06 de julho de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
A Praça do Suspiro lotada de torcedores durante o jogo desta sexta (Fotos: Henrique Pinheiro)

Não foi do jeito que a torcida friburguense, a exemplo de todo o país, esperava. O Brasil está fora da Copa do Mundo. A Praça do Suspiro lotou mais do que o esperado nesta sexta-feira, 6, para ver a seleção brasileira sucumbir à marcação cerrada da Bélgica e, por 2 a 1, ser eliminada nas quartas de final. Os belgas agora vão enfrentar a França na semifinal, na próxima terça-feira, 10. Sem direito a telão na praça.

O “esquenta” para o jogo mais uma vez fez empresas encerrarem o expediente mais cedo. Por volta das 14h, os torcedores seguiram para o Suspiro e, de verde e amarelo, com a bandeiras e as onipresentes vuvuzelas, tiveram que sentar ainda mais perto do telão para ver o jogo. Foi a edição mais cheia do evento organizado pelo Sesc e a prefeitura com apoio da Unimed e da Energisa.

“Não esperávamos um número tão grande de torcedores. As ruas laterais lotaram. Superou nossas expectativas. Mas, infelizmente, com a saída do Brasil, essa é a última edição da Torcida Sesc. Fica a beleza da reunião de todos”, declarou Alexandre Couto, gerente do Sesc Nova Friburgo.

A derrota do Brasil foi construída na primeira etapa. Depois de um começo animador, com muitas chances de gol, a equipe verde e amarela acabou saindo atrás com gol contra de Fernandinho nos primeiros 13 minutos de partida. Abalado, o time de Tite acabou cedendo espaços e o segundo gol belga veio com De Bruyne.

No Suspiro, a animação da torcida também esfriou. Alguns torcedores ameaçaram ir embora, mas acabaram ficando e puderam ver o gol que incendiou a partida. O Brasil voltou com uma mudança para o segundo tempo. Firmino entrou no lugar de Willian. Com a Bélgica recuada, Tite colocou Douglas Costa no lugar de Gabriel Jesus.

Renato Augusto entrou no lugar de Paulinho e no seu primeiro lance marcou de cabeça, aos 30 minutos do segundo tempo. A torcida na Arena Kazan explodiu em festa. Em Friburgo, a torcida também exclamou: “Eu, acredito! Eu acredito!” Mas a energia não trouxe sorte à seleção, que volta para casa mais cedo, sem o hexa.

“O time perdeu muitas oportunidades. Muitos passes errados. Os jogadores pareciam travados. Os belgas também marcaram muito bem e conseguiram segurar o resultado. É isso, vida que segue agora”, comentou o torcedor Leonardo Diniz. E, de fato, a vida seguiu. Assim que a partida terminou, a torcida na Praça do Suspiro e bares ao redor começou a se dispersar, reclamando da seleção, é claro, mas sem choradeira. A maioria ficou para curtir o pagode do grupo Pura Intimidade, que subiu ao palco montado ao lado do telão e deu continuidade ao evento.

Na próxima terça-feira, 10, França e Bélgica vão brigar por uma vaga na final da Copa da Rússia às 15h.

 

 

LEIA MAIS

Chances de brigar pelo acesso, que já eram remotas antes da partida, ficaram ainda menores

Jogo de volta, dia 22, definirá quem avança às quartas de final da Copa Rio

Tricolor da Serra encara o Bangu, e o primeiro jogo acontece nesta quarta no Eduardo Guinle

Publicidade
TAGS: Copa | futebol