Suspeito de estupro em Cordeiro é preso sete anos depois

Operação Cronos II busca foragidos por homicídios e feminicídios em todo o país
quarta-feira, 29 de maio de 2019
por Jornal A Voz da Serra
A operação Cronos II no Espírito Santo (Foto: G1)
A operação Cronos II no Espírito Santo (Foto: G1)

Um homem de 43 anos foi preso por suspeita de estupro na manhã desta terça-feira, 28, em Cordeiro. Segundo a Polícia Civil, a ação ocorreu em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela Vara Única da cidade no dia 14 de maio deste ano.

A prisão faz parte da Operação Cronos II deflagrada pelo Conselho Nacional dos Chefes de Polícias Civis (CONPC) com o apoio do Ministério da Justiça.

O estupro aconteceu em 2012. Na época, a vítima era um vizinho do suspeito, que tinha 14 anos de idade. De acordo com a polícia, o homem também tem passagens por ameaça, registrada na cidade em 2012; e por lesão corporal, registrada em Jacarepaguá, no Rio, em 2015.

O suspeito foi preso por policiais da 154ª Delegacia de Polícia, em Cordeiro, e seria encaminhado ao sistema penitenciário, no Rio de Janeiro, na manhã de quarta-feira, 29.

As polícias civis de todo país começaram a cumprir, na manhã de terça-feira, 28, mandados de prisão no Distrito Federal e em 23 estados em uma megaoperação para prender foragidos da Justiça. Os alvos foram acusados de crimes graves como homicídio e feminicídio.

Denominada Cronos II, a operação é a segunda fase da ação que foi desencadeada em agosto do ano passado. Na época, mais de mil pessoas foram presas em todo o país e 75 adolescentes foram apreendidos. A ação contou com aproximadamente 6,6 mil policiais civis.

A operação surgiu após uma reunião do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil, em julho do ano passado. Foi batizada com o nome do deus grego Cronos, que comanda o tempo. Segundo as autoridades, a escolha faz referência à supressão do tempo de vida da vítima, reduzido pelo autor do crime.

 

LEIA MAIS

Criança estava indo a mercearia em São Geraldo quando aceitou carona de moto de conhecido da família

Ninguém foi preso e o caso foi registrado na Deam de Friburgo. Suspeito disparou 3 vezes

Segundo seus advogados, suspeito entregou tanto o seu celular quanto o da vítima, para demonstrar a disposição de ajudar nas investigações

Publicidade
TAGS: crime