Supercopa SAF vai reunir 10 equipes em pleno bicentenário

Maior torneio de futebol amador de Friburgo começa em 20 de maio
segunda-feira, 09 de abril de 2018
por Vinicius Gastin (esportes@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
Organizadores e representantes dos times se reuniram na última semana, e definiram tabela e regulamento da Supercopa

 A principal competição de futebol amador de Nova Friburgo ganha contornos especiais por conta do bicentenário. A Supercopa SAF 2018 reunirá dez dos mais importantes clubes do município, a partir do dia 20 de maio, quatro dias depois da data oficial de comemoração dos 200 anos de Nova Friburgo.

A competição vai contar com as participações de todas as três equipes que tiveram a oportunidade de levantar o troféu nas cinco edições anteriores, além de times representantes de diversas regiões friburguenses. O coquetel de lançamento do campeonato será na véspera, dia 19 de maio, a partir das 19h, no Cadima Shopping.

A zona rural, por exemplo, será representada por Vargem Alta e São Lourenço, enquanto São Pedro da Serra e adjacências vai ter como representantes o Estrela do Mar. As equipes do Raça e do Tio de Dongo colocam o distrito de Conselheiro Paulino, o mais importante economicamente, dentro do contexto da Supercopa, enquanto Olaria, o bairro mais populoso, terá Corujão, Barroso e Unidos do Alto. O quarto distrito será representado pelo Amparo, enquanto o Nova Friburgo vai trazer toda a rica história do futebol amador municipal para a atualidade.

A reunião para definir o regulamento e demais detalhes da Supercopa SAF aconteceu na última semana. Após sorteio, ficou definido que o grupo A vai contar com São Lourenço, Estrela do Mar, Corujão, Raça e Nova Friburgo. Já a chave B terá o atual campeão Unidos do Alto de Olaria, Vargem Alta, Barroso, Tio Dongo e Amparo. Cada time pode inscrever 25 atletas até o dia 11 de maio.

A primeira rodada, no dia 20 do mesmo mês, acontece no estádio Márcio Branco, em Stucky (foto). A tabela deverá ser definida nos próximos dias. Para este ano, todos os uniformes serão lisos, de cor predominante praticamente única para dar mais visibilidade (foto).

Outro detalhe que merece destaque é a participação da Liga Nova Friburgo de Desportos. Através dos diretores Jailson Silveira, Luciano Faria e Rodrigo Miranda, a entidade vai apoiar a sexta edição da Supercopa. Cada equipe receberá uma bola oficial do Campeonato Carioca deste ano.

Dentre os dez clubes participantes, apenas três já tiveram a oportunidade de dar a volta olímpica. Vargem Alta e Corujão somam dois títulos cada, enquanto o Unidos do Alto faturou a última edição.

A Supercopa

A Supercopa SAF surgiu em 2013, com a proposta de voltar a movimentar o futebol amador de Nova Friburgo em um contexto geral. Até então, cada bairro, distrito ou localidade realizava o próprio torneio, sem a integração característica dos antigos tempos do esporte na cidade. A ideia foi apresentada e aceita pelo patrocinador que dá nome à competição, sendo sucesso de público e movimentando cada estádio onde as partidas são realizadas.

Cada rodada acontece em uma sede diferente, e a grande decisão será no Estádio Marcio Branco, no Stucky, onde também será disputada a primeira rodada. O dia da final, inclusive, contará com atrações diversas, tais como shows, apresentações, ações de cidadania, brinquedos, dentre outras.

Durante a competição, as comunidades têm a oportunidade de participar e prestigiar a competição a cada fim de semana, uma vez que as rodadas são realizadas em sedes diversas. Principal competição de futebol amador, a Supercopa SAF ganhou espaço no calendário da Liga Nova Friburgo de Desportos. Com o respaldo e complemento estrutural oferecido pela entidade, a promessa é de uma competição ainda mais forte durante os próximos meses.

Nas três primeiras edições, a decisão do torneio teve o azul e branco do Corujão de um lado e o preto e branco do Vargem Alta do outro. Em 2016, o Tio Dongo tirou o Corujão da festa, mas acabou derrotado pelo Vargem Alta, que sagrou-se bicampeão da Supercopa ao vencer a grande final pelo placar de 3 a 0.

Ex-jogadores profissionais, como o zagueiro Júnior, ex-Botafogo, e o lateral esquerdo Edinho, ex-Vasco e Madureira, foram algumas das atrações. Ano passado, o Unidos do Alto bateu o São Lourenço por 1 a 0 na decisão e conquistou o seu primeiro troféu da competição (foto).

A Supercopa SAF 2017 registrou um total de 27 partidas, sendo 20 na fase de grupos e outras sete na fase mata-mata. Foram 98 gols marcados, resultando na alta média de 3,6 bolas na rede por partida. O torneio reúne campeões de bairros e distritos, o que motiva os clubes a se reforçarem para a competição. Os resultados cada vez menos elásticos e os duelos parelhos confirmam a tese.

“Sim, o fato de os times estarem mais fortes é o grande legado. Tudo evoluiu, especialmente com a parceria da prefeitura e de profissionais como o Carlinhos (Carlos Mesquita) e Wanderley Patueli, que são incansáveis. A gente tenta aprimorar, e todo mundo quer participar. Hoje todo mundo que joga campeonato de bairro ou distrito almeja participar da Supercopa, o que exige planejamento e melhorias”, avalia Jailson Silveira, membro da comissão organizadora.

LEIA MAIS

Chances de brigar pelo acesso, que já eram remotas antes da partida, ficaram ainda menores

Jogo de volta, dia 22, definirá quem avança às quartas de final da Copa Rio

Tricolor da Serra encara o Bangu, e o primeiro jogo acontece nesta quarta no Eduardo Guinle

Publicidade
TAGS: futebol