Suíça enviará delegação com 150 membros para bicentenário

Em entrevista exclusiva, embaixador suíço fala sobre projetos e expectativa para 16 de maio
sábado, 24 de fevereiro de 2018
por Dayane Emrich
Foto de capa
Semadeni: “O bicentenário é uma ocasião perfeita para manter os laços entre as nações, e em particular, entre o Canton de Fribourg e Nova Friburgo” (Foto: Leo Arturius)

Com o objetivo de estreitar ainda mais os laços entre a Suíça e Nova Friburgo, o embaixador da Suíça no Brasil, Andrea Semadeni, visitou a cidade na última quinta, 22, e na sexta-feira, 23. Durante sua estadia, Semadeni conversou com A VOZ DA SERRA e, além de destacar a ligação histórica entre os dois países, falou sobre os projetos, os preparativos e a expectativa para as celebrações do bicentenário, a ser comemorado no próximo 16 de maio. Confira a entrevista:

AVS: Qual a importância do intercâmbio entre a Suíça e Nova Friburgo, em especial com a proximidade do aniversário da cidade?

Andrea Semadeni: A relação entre os dois países é muito forte. Além da questão histórica, ela se traduz em um grande volume de comércio, o mais alto que a Suíça tem com qualquer país da América Latina. As relações oficiais entre os dois países são centenárias e o bicentenário é uma ocasião perfeita para manter esses laços entre as nações, entre o Canton de Fribourg e Nova Friburgo. Além de resgatar o passado, temos que olhar para o futuro. Não queremos que esses dias sejam só uma celebração do que já foi, mas que sejam uma antecipação do que está por vir.

Quais projetos vêm sendo realizados pelo consulado suíço em parceria com a prefeitura de Nova Friburgo?

São muitas as iniciativas. Há projetos na área de cultura, educação e gastronomia. Uma das nossas ações aqui na cidade, para a data comemorativa, está a doação de dez computadores à Fundação D. João VI. Queremos contribuir com a iniciativa da entidade, que vem fazendo um trabalho de digitalização de todos os documentos históricos de Nova Friburgo. Através desses computadores os estudantes poderão acessar jornais, manuscritos, livros, mapas e documentos raros dos séculos 19 e 20, e conhecer com detalhes toda a história da chegada dos suíços a Nova Friburgo, por exemplo.

E documentários?

Outro projeto que já está em andamento há algum tempo é a produção de curtas-metragens. No ano passado, quatro jovens da Suíça estiveram aqui para produzir um filme e, este ano, quatro jovens brasileiros irão à Suíça, também para realizar a produção de um filme. Escolhemos o audiovisual porque acreditamos que é uma das maneiras mais fáceis de se atingir um alto número de pessoas. É uma linguagem simples de entender. Os curtas serão exibidos no Festival Internacional de Filmes de Fribourg (FIFF), que acontecerá de 16 a 24 de março. Também haverá exibições aqui em Friburgo.

E na gastronomia?

Em relação a ações na área de gastronomia, dois chefes suíços virão à cidade, em abril, para trabalhar no restaurante da Casa Suíça. Eles criarão um menu especial com receitas da culinária suíça para os 200 anos, e claro, aprenderão receitas típicas do Brasil para cozinhar na Suíça. Gosto desse tipo de troca pessoal e acho muito positiva. Não podemos basear nossas relações apenas em contatos artificiais e administrativos.

Como o governo suíço vai articular esses projetos?

De diferentes formas. Nova Friburgo tem várias equipes trabalhando para o bicentenário. A prefeitura é uma, mas há também duas associações de amizade entre a Suíça e o Brasil. Uma aqui e a outra em Fribourg. Além da doação de computadores e da produção de filmes, o governo suíço oferecerá concertos, peças de teatro, entre outras atividades. Um dos destaques é a presença de um DJ, que se apresentará no dia 16 de maio, depois do desfile organizado pela prefeitura. São diversas atrações que vão fazer dessa celebração um momento muito especial.

O que o senhor espera da participação suíça na festa do bicentenário?

Haverá visitas de personalidades importantes da Suíça, como o presidente do parlamento federal, um cidadão do Canton de Fribourg, que já esteve aqui há 20 anos. A presença dele, entre outros, dará um enorme status à delegação que virá ao Brasil e que contará com cerca de 150 pessoas. São profissionais de diferentes áreas: políticos, representantes da associação de amizade, artistas, chefes de cozinha, e muitos mais. Para mim, essa é uma oportunidade de fortalecer os contatos a nível institucional entre os dois países. Estamos estudando, inclusive, um encontro entre o presidente do parlamento federal suíço com o presidente do parlamento federal brasileiro, que é carioca (Rodrigo Maia). Se isso for possível, será um contato político formal, o que sempre contribui para fortalecer o relacionamento entre os Estados.

 

LEIA MAIS

Prefeito e comitiva participaram da inauguração; cidade portuária de onde suíços partiram teve festa com queima de fogos

Em entrevista exclusiva, ele fala de intercâmbios, projetos e parcerias na agenda de sua viagem oficial

Festejo com dança folclórica na Praça do Suspiro reúne representantes dos 10 países colonizadores

Publicidade
TAGS: 200 anos