Sem salários, funcionários de creche cruzam os braços

Colmeia do Senhor, no Prado, não recebe subvenção há dois meses, afirma direção. Prefeitura nega
terça-feira, 17 de outubro de 2017
por Alerrandre Barros
Foto de capa

Cerca de 280 crianças ficaram sem aulas nesta terça-feira, 17, na creche Colméia do Senhor porque os funcionários decidiram interromper, novamente, as atividades devido a atrasos no pagamento dos salários de agosto e setembro. Segundo trabalhadores e a direção, a unidade filantrópica não recebe há dois meses a subvenção mensal paga pela Prefeitura de Nova Friburgo.

“Nós enviamos um bilhete para os pais (na segunda-feira, 16) avisando que a creche não funcionaria na terça-feira. Não dá para trabalhar sem receber o salário”, disse uma funcionária que pediu para não se identificar.

Um cartaz afixado numa parede externa da creche, na Rua Érico Coelho, no Prado, distrito de Conselheiro Paulino, explica o atraso nos pagamentos e reitera que a unidade “estará fechada por tempo indeterminado até que se resolva a situação”. Cerca de 40 funcionários trabalham no local, que funciona das 6h às 17h30 e atende crianças que moram nas redondezas, inclusive, em comunidades carentes da cidade.

Em nota, a Secretaria municipal de Educação negou ontem que a subvenção está atrasada há dois meses. “A única parcela em aberto é a do mês de setembro. O pagamento é normalmente feito no mês subsequente, portanto, o pagamento será feito no mês de outubro. Se os salários estão atrasados, a responsabilidade é da unidade, e não da prefeitura”, divulgou.

O presidente da creche, o dentista e administrador Jamil Salim, afirmou, no entanto, que os repasses estão sendo feitos com atrasos. Em abril deste ano, conforme A VOZ DA SERRA mostrou, os funcionários cruzaram os braços porque não receberam os salários de janeiro, fevereiro e março. A prefeitura regularizou os repasses, mas, de acordo com Salim, voltou a atrasar a partir de agosto.

“É um absurdo o secretário de Educação (Renato Satyro) dizer que a responsabilidade pelo pagamento dos salários é da unidade. Eu fiz um acordo com a prefeitura de receber a subvenção até o dia 18 de cada mês, mas o governo não paga em dia. Para se ter uma ideia, a última subvenção foi depositada no dia 6 de setembro, em vez de 18 de agosto. Ou seja, com quase 20 dias de atraso”, disse Salim.

Além dos R$ 67 mil pagos pela prefeitura, a Colmeia do Senhor também recebe doações de empresários, como o supermercado Casa Friburgo, que doa pães e leite para a creche. As crianças têm quatro refeições por dia, atendimento odontológico, aulas de inglês e informática. A unidade, porém, tem fechado as contas, quase todos os meses, no vermelho, porque, segundo Jamil, o custo aumentou, mas o reajuste da subvenção não acompanhou.

“Hoje, 17 de outubro, soube que a subvenção de agosto foi depositada pela Secretaria de Educação. Isso porque os funcionários decidiram fazer a paralisação. Mas e a subvenção de setembro que vai vencer amanhã, 18? Soube que a prefeitura não tem recursos. Os funcionários disseram que só voltam ao trabalho quando o salário cair na conta. Isso só deve acontecer no fim desta semana”, disse.     

 

LEIA MAIS

Defensoria Pública cobra da prefeitura preenchimento de vagas em escolas e creches

Projeto "Tocando a Vida" é desenvolvido pelo Rotary do bairro, a Campesina e a Secretaria Municipal de Educação

Renato Bravo deve dar resposta a profissionais de educação na próxima semana. Categoria continua em estado de greve

Publicidade
TAGS: Educação