Sem salários, funcionários de creche cruzam os braços

Colmeia do Senhor, no Prado, não recebe subvenção há dois meses, afirma direção. Prefeitura nega
terça-feira, 17 de outubro de 2017
por Alerrandre Barros
Foto de capa

Cerca de 280 crianças ficaram sem aulas nesta terça-feira, 17, na creche Colméia do Senhor porque os funcionários decidiram interromper, novamente, as atividades devido a atrasos no pagamento dos salários de agosto e setembro. Segundo trabalhadores e a direção, a unidade filantrópica não recebe há dois meses a subvenção mensal paga pela Prefeitura de Nova Friburgo.

“Nós enviamos um bilhete para os pais (na segunda-feira, 16) avisando que a creche não funcionaria na terça-feira. Não dá para trabalhar sem receber o salário”, disse uma funcionária que pediu para não se identificar.

Um cartaz afixado numa parede externa da creche, na Rua Érico Coelho, no Prado, distrito de Conselheiro Paulino, explica o atraso nos pagamentos e reitera que a unidade “estará fechada por tempo indeterminado até que se resolva a situação”. Cerca de 40 funcionários trabalham no local, que funciona das 6h às 17h30 e atende crianças que moram nas redondezas, inclusive, em comunidades carentes da cidade.

Em nota, a Secretaria municipal de Educação negou ontem que a subvenção está atrasada há dois meses. “A única parcela em aberto é a do mês de setembro. O pagamento é normalmente feito no mês subsequente, portanto, o pagamento será feito no mês de outubro. Se os salários estão atrasados, a responsabilidade é da unidade, e não da prefeitura”, divulgou.

O presidente da creche, o dentista e administrador Jamil Salim, afirmou, no entanto, que os repasses estão sendo feitos com atrasos. Em abril deste ano, conforme A VOZ DA SERRA mostrou, os funcionários cruzaram os braços porque não receberam os salários de janeiro, fevereiro e março. A prefeitura regularizou os repasses, mas, de acordo com Salim, voltou a atrasar a partir de agosto.

“É um absurdo o secretário de Educação (Renato Satyro) dizer que a responsabilidade pelo pagamento dos salários é da unidade. Eu fiz um acordo com a prefeitura de receber a subvenção até o dia 18 de cada mês, mas o governo não paga em dia. Para se ter uma ideia, a última subvenção foi depositada no dia 6 de setembro, em vez de 18 de agosto. Ou seja, com quase 20 dias de atraso”, disse Salim.

Além dos R$ 67 mil pagos pela prefeitura, a Colmeia do Senhor também recebe doações de empresários, como o supermercado Casa Friburgo, que doa pães e leite para a creche. As crianças têm quatro refeições por dia, atendimento odontológico, aulas de inglês e informática. A unidade, porém, tem fechado as contas, quase todos os meses, no vermelho, porque, segundo Jamil, o custo aumentou, mas o reajuste da subvenção não acompanhou.

“Hoje, 17 de outubro, soube que a subvenção de agosto foi depositada pela Secretaria de Educação. Isso porque os funcionários decidiram fazer a paralisação. Mas e a subvenção de setembro que vai vencer amanhã, 18? Soube que a prefeitura não tem recursos. Os funcionários disseram que só voltam ao trabalho quando o salário cair na conta. Isso só deve acontecer no fim desta semana”, disse.     

 

LEIA MAIS

Para garantir vaga, responsáveis ou estudante maior de 18 anos devem comparecer às escolas

Programa federal oferta cursos gratuitos à distância em parceria com universidades do Rio Grande do Norte e Alagoas

Friburgo está entre cidades contempladas com possibilidades de matrícula

Publicidade
Agora Faz
TAGS: Educação