Sarampo: Friburgo ainda sem previsão para imunização

Estado já tem dois casos confirmados. Prefeitura aguarda orientações do ministério; médico tira dúvidas sobre a doença
terça-feira, 10 de julho de 2018
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
O vírus do sarampo (reprodução da web)
O vírus do sarampo (reprodução da web)

Apesar da confirmação de dois casos de sarampo no Estado do Rio, ainda não há uma data para o início da imunização contra a doença em Nova Friburgo. “O protocolo do Ministério da Saúde com orientações aos municípios ainda está sendo fechado”, informou a prefeitura através de nota.

Segundo informou a Secretaria estadual de Saúde na manhã desta segunda-feira, 9, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) já analisou amostras de materiais colhidos de possíveis infectados. Os dois primeiros casos confirmados  no Estado do Rio são de moradores da capital. Um deles, conforme o ste de A VOZ DA SERRA noticiou em primeira mão na última quarta-feira, 4, é o de uma jovem de 20 anos, moradora da capital, estudante de Direito da UFRJ, que pode ter contraído a doença em Petrópolis, onde ela esteve entre 30 de maio e 3 de junho, participando dos Jogos Estudantis Jurídicos. A Secretaria estadual de Saúde, no entanto, não deu detalhes sobre o segundo caso confirmado. No último dia  3, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio realizou ação de vacinação de bloqueio no campus da Faculdade de Direito da UFRJ, onde estudam as pacientes que tiveram os casos confirmados e em parceria com a Secretaria estadual de Saúde tomou uma série de medidas de prevenção e análise dos casos.

Esses dois casos são os primeiros registrados no Rio após o Ministério da Saúde confirmar um surto de sarampo nos estados de Roraima e Amazonas, no Norte do país. Outros estados, como Mato Grosso do Sul, também já notificaram casos de sarampo, em menor escala.

Baixa procura por outras vacinas

É bem possível que os friburguenses sejam convocados para mais uma campanha de vacinação. Agora para combater o sarampo,que estava erradicado no Brasil. A última campanha de imunização contra a gripe, no entanto, mostrou que os friburguenses e os brasileiros em geral, não estão muito preocupados em se imunizar. Foi preciso adiar por três vezes o prazo de encerramento da campanha para atingir a meta e imunizar pelo menos 43 mil pessoas do público alvo (crianças, gestantes e idosos).

Para os pais que quiserem colocar a carteira de vacinação dos filhos em dia, a prefeitura recomenda procurar uma das cinco unidades de saúde disponíveis para fazer o acerto vacinal, tanto para crianças, como para os adultos: Centro, Olaria, Conselheiro Paulino (de segunda à sexta-feira, das 8h às 16h); São Geraldo (terças e quintas-feiras, das 8h às 16h); Cordoeira (terças e sextas-feiras, das 8h às 16h).

Ainda de acordo com a Prefeitura de Nova Friburgo, quem perdeu o cartão de vacina, dependendo da faixa etária, no caso de crianças, as unidades de saúde possuem o livro espelho para fazer a segunda via. No caso dos adultos esta alternativa não é muito fácil de ser feita. “Portanto é fundamental que os adultos mantenham a responsabilidade de manter o comprovante de vacina como um documento como um outro qualquer”, informou em nota.

As escolas continuam exigindo comprovante de vacina das crianças para realização de matrícula nas unidades escolares da rede municipal de ensino, assim como as escolas privadas. A prefeitura informou ainda que a vacina BCG não é feita no Hospital Maternidade Mário Dutra de Castro, nem nos hospitais particulares, somente nas Unidades Básicas de Saúde. A cada dia da semana, a vacina é oferecida nos postos de Olaria, Conselheiro e Centro.

“A respeito da vacinação no município de Nova Friburgo, é importante destacar que a vacina, especialmente se falando em Saúde da Criança, é um direito garantido por lei para a criança, que tem direito, assim como qualquer cidadão, ao acesso aos serviços que estão disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Então, além de ser uma questão de manter esse direito humano garantido, é uma questão de preservar a criança e toda a população de estarem suscetíveis às doenças que são possíveis de serem prevenidas por vacinas”, declarou a Subsecretária de Vigilância em Saúde de Nova Friburgo, Fabíola Braz Pena.

Tire suas dúvidas sobre o sarampo:

A Secretaria de Estado de Saúde lembra que o sarampo já foi uma das principais causas de mortalidade infantil no país e pode deixar sequelas neurológicas. O médico da Secretaria estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, orienta sobre as formas de prevenção.

  • Quais são os sintomas do sarampo?
  • A doença, transmitida por vírus, provoca manchas vermelhas no corpo, febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e pontos brancos na mucosa bucal.
  • O que fazer em caso de sintomas parecidos com os do sarampo? 
  • É muito importante procurar uma unidade de saúde. Não se deve usar medicamentos por conta própria. 
  • Como é possível se proteger?
  • A única maneira de evitar o sarampo é por meio de vacinação. As doses já fazem parte do calendário do Ministério da Saúde há muitos anos. A vacina Tríplice Viral protege não só contra o sarampo, mas também caxumba e rubéola e está disponível a qualquer época do ano nos postos públicos de saúde dos municípios.
  • Quem deve ser vacinado?
  • Crianças com 12 meses de idade devem ser vacinadas em duas doses, uma três meses depois da outra. A cobertura vacinal contra o sarampo para crianças de 1 ano no estado é de 95%. Adultos de até 49 anos que não tenham sido imunizados também devem procurar os postos de saúde. Aqueles que tomaram as duas doses da vacina não precisam tomar nova dose.
  • E quem não lembra se foi vacinado?
  • Essas pessoas devem procurar um posto de vacinação para avaliar a necessidade de se proteger contra o sarampo com a vacina.
  • Quais são as contra-indicações da vacina?
  • Grávidas não devem se vacinar, pessoas com alergia grave comprovada aos componentes da vacina ou com depressão importante do sistema imunológico também não.
  • Quem vai viajar para fora do Brasil precisa estar com a vacina em dia?
  • Todos devem avaliar seu calendário vacinal, quem está com viagem marcada para fora do país ou não.
Publicidade
TAGS: