Salário mínimo deve chegar a R$ 1.039 no ano que vem

Será a primeira vez que o valor passa de R$ 1 mil
terça-feira, 10 de setembro de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Salário mínimo deve chegar a R$ 1.039 no ano que vem

 A proposta de orçamento do governo federal para 2020, divulgada pelo Ministério da Economia, prevê que o salário mínimo suba dos atuais R$ 998 para R$ 1.039 a partir de janeiro do ano que vem – com pagamento em fevereiro. O valor previsto está R$ 1 abaixo da previsão anterior, feita em abril. A previsão do governo para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2019 ficou em 4,02%.

Ao prever anteriormente o salário mínimo de R$ 1.040, a previsão naquele momento era de que a variação do INPC fosse de 4,19% neste ano. Mesmo assim, essa será a primeira vez que o salário mínimo, que serve de referência para mais de 45 milhões de trabalhadores brasileiros, ficará acima de R$ 1 mil.

Ao propor a correção do salário mínimo para o ano que vem com correção somente pela inflação, o governo indicou que não deve adotar uma política de aumentos reais, que vinha sendo implementada nos últimos anos. A política de reajustes pela inflação e variação do Produto Interno Bruto (PIB) vigorou entre 2011 e 2019, mas nem sempre o mínimo subiu acima da inflação.

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: