Route MTB reúne centenas de ciclistas. Em novembro tem mais

Atletas refizeram parte do caminho pecorrido a pé pelos primeiros colonos suíços
quarta-feira, 21 de agosto de 2019
por Vinicius Gastin (esportes@avozdaserra.com.br)
Vencedores foram premiados com troféus: quarta edição da Route MTB foi sucesso
Vencedores foram premiados com troféus: quarta edição da Route MTB foi sucesso

Refazer parte do trajeto percorrido pelo colonos suíços até Nova Friburgo já seria motivo suficiente para empolgar os amantes de uma boa história. Ao acrescentar um pitada de esporte, nasceu então o Route MTB, prova de ciclismo já integrante parte do calendário oficial de eventos da Festa Suíça municipal. O objetivo é relembrar e celebrar os pioneiros da modalidade na cidade, com largada na Queijaria Suíça, na RJ-130 (Nova Friburgo-Teresópolis), altura de Conquista.

 Os competidores puderam optar por uma das seis categorias de mountain bike Maratona XCM, com duas opções de percursos: o A, com 64 quilômetros cronometrados e deslocamento neutro ou o B (reduzido), com 46 quilômetros cronometrados.

A largada aconteceu na altura da Casa Suíça, em Conquista, e dentre as atrações do belíssimo trajeto, passando por Dona Mariana, em Sumidouro, retornando à Queijaria, destacam-se os túneis, a fauna e a flora. A prova foi disputada por duplas, em percurso por estradas rurais, com duração máxima de quatro horas e meia.

“Foi um sucesso total, reunindo entre 150 e 200 atletas. O cônsul geral da Suíça no Rio de Janeiro, Rudolf Wyss, prestigiou o evento, assim como o prefeito Renato Bravo e representantes da Casa e Colônia Suíça. A beleza do trajeto é elogiada por todos e passa pelos municípios de Nova Friburgo e Sumidouro, tendo como um de seus trechos mais bonitos, a região da Cascata Conde D'Eu e três túneis, um deles, inclusive, aproveitando a estrutura da formação rochosa, sendo considerado o ponto alto da prova.

A repercussão entre os participantes foi a melhor possível, com muitos elogios. Mais uma vitória para o ciclismo de Nova Friburgo”, comemora Orlando Miele, idealizador e organizador da prova.

 Na categoria DMA (Dupla Masculina Open), Gusmar Soares Júnior (Equipe Racetech Supplementum) e Kaio Cezar Cordeiro (Ativo Bike Team) faturam o título com o tempo de 02:09:13. Por integrarem a categoria principal, também considerados campeões gerais. Leandro Dominik e Luís Fernando Freitas (ambos da (Nutrivitta Produtos Naturais/Bike Club Campos) foram vice-campeões, enquanto Francisco Antônio Júnior (Serra Brothers/Squadra) e Otávio Fontes Pessanha (Júlia Engel Nutrição/Agille Consultoria completaram o pódio principal.

 Já na categoria DM40 (reunindo atletas com 40 anos ou mais), Dionísio Silva (Race Tech Bikes) e Erivan Muniz (Mögen/Road Cycling) faturaram o primeiro lugar, seguidos por Paulo Rogério da Silva e Rodrigo Teixeira (Montanha Squadra/Pedaleiros) e por Rogerio Rodrigues Blanc e Bruno Pablo Ferreira.

Na modalidade DM50 (atleta com 50 anos ou mais), Paulo Henrique Cruz (PH Alumínio e Vidros) e Wanderley Ladeira (Race Tech Bikes/PH Alumínio e Vidros) foram os vencedores, seguidos por Leonardo Penido Maia e Saulo dos Santos (ambos da equipe Everest) e por Luiz Guilherme Alves (Walter Tuche) e Alexandre Siqueira (Morro Acima Rio-Niterói).

Na DMI (Dupla Mista), melhor para Fábio Johnny Gonçalves (Johnny's Bike, Mazaroto e Camargo, Start Infocel) e Franciele Daiane Batista    (Jonny's Bike). A segunda colocação ficou com Fabiano da Silveira (Mapp Welness/Aqua Live) e Leilma de Oliveira Silva (Montanha Cup Squadra/Elite Bike Show).

Em terceiro lugar apareceram Francine Garcia (Mxtavares Racing Team e New Bike) e Rafael Couto Martins (New Bike Macaé/Mxtavares Racing Team). “A prova foi muito boa, e nós tivemos atletas de vários lugares, à exemplo de Belo Horizonte, Brasília e outros locais.

A tocada foi mantida, segundo o projeto criado em 2010, em função de etapas, mas o custo ficaria muito alto. Logo depois veio a tragédia, acabei deixando na gaveta e, em 2016, retomei o projeto de forma simplificada, fazendo apenas uma etapa, tentando reproduzir o caminho dos colonizadores. Não é o caminho exato, mas boa parte sim, até porque eles passaram por Sumidouro, Duas Barras e outras localidades”, explica Orlando.

A Route MTB Fribourg traz como inspiração os colonizadores suíços, e pode se tornar espelho para incentivar o uso das bicicletas. No país europeu, em regiões como Genebra, por exemplo, o número de ciclistas aumenta, em média, 70% a cada cinco anos. A bicicleta chegou a Nova Friburgo no final do século 19, e era considerada elemento de modernidade.

Vem mais por aí...

No dia 14 de novembro, quando é comemorada de fato a chegada dos suíços ao Brasil, Miele vai organizar uma reprodução, de fato, do caminho feito pelos suíços a chegada a Nova Friburgo. Boa parte desse trajeto vai ser feito de bicicleta, saindo do Rio de Janeiro pedalando até Cachoeiras de Macacu.

Do município, o grupo participante faz uma caminhada de Castália até São Lourenço. No dia seguinte, já novamente no mountain bike, vai ser feito o caminho de São Lourenço até a Via Expressa, em Olaria.

“É um projeto bem bacana, com um grupo menor, bem fechado. Não é uma competição ou um passeio ciclístico, até porque não é qualquer praticante que reúne as condições para participar desse evento. E ano que vem teremos a edição comemorativa dos 15 anos do Montanha Cup. E completaremos cinco anos do Route MTB e do GP das Montanhas”, destaca Miele.

 

LEIA MAIS

Colônia prepara programação especial de eventos nesta quinta e sexta

Solenidade também marcou a abertura da exposição “A imigração da Suíça de 1818 aos nossos dias”, que passará por outras cidades da região

Também será aberta a exposição “A imigração da Suíça de 1818 aos nossos dias”, na Fundação D. João VI

Publicidade
TAGS: ciclismo | 200 anos