Rogéria será velada e sepultada em Cantagalo nesta terça e quarta

Transformista morreu segunda-feira aos 74 anos no Rio. Prefeito Guga de Paula decretou luto oficial no município
terça-feira, 05 de setembro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa

O corpo da atriz Rogéria vai ser velado e sepultado no município vizinho de Cantagalo, onde a artista nasceu. O velório vai acontecer na prefeitura na noite desta terça-feira, 5, e o enterro está marcado para quarta-feira, 6, no cemitério da cidade. O prefeito Guga de Paula decretou luto oficial no município.

“Rogéria sempre foi um ícone na luta contra o preconceito sexual, pioneira na busca pela liberdade de gênero. Sempre enalteceu o município de Cantagalo durante toda sua carreira”, declarou Guga. A atriz morreu na segunda-feira, 4, aos 74 anos, devido a complicações provocadas por uma infecção urinária. Ela estava internada desde o dia 8 de agosto em um hospital na Barra da Tijuca. O corpo começou a ser velado nesta terça-feira, 5, no Teatro João Caetano, no Rio.

Nascida Astolfo Barroso Pinto, Rogéria era a mais antiga transformista em atividade no Brasil. Ainda na adolescência, homossexual assumido, Astolfo virou transformista e começou a trabalhar como maquiadora, ainda com o nome masculino, na extinta TV Rio. O nome Rogéria surgiu em 1964, quando venceu um concurso de fantasias no carnaval. Ela estreou nos palcos no mesmo ano, em um show de travestis na Galeria Alaska, então reduto gay de Copacabana.

Durante sua carreira, atuou em dezenas de shows e peças teatrais – tendo recebido o Troféu Mambembe em 1979, pelo espetáculo que fez ao lado de Grande Otelo – e programas de televisão, se destacando como jurada no programa do Chacrinha. Rogéria também participou de 11 filmes e atuou em novelas como Tieta, Paraíso Tropical e A Força do Querer.

 

Publicidade
Agora Faz
TAGS: