Região Serrana registra a 1ª morte por febre amarela em 2018

Paciente morava em Teresópolis. Caso foi confirmado por exames laboratoriais
sábado, 13 de janeiro de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa

 A Secretaria estadual de Saúde anunciou nesta sexta-feira, 12, a primeira morte por febre amarela na Região Serrana este ano. O paciente era um homem de 47 anos, morador da localidade de Canoas, no município vizinho de Teresópolis e foi diagnosticado com a doença após exames laboratoriais realizados pela Fundação Oswaldo Cruz. O caso foi confirmado pela entidade na última quinta-feira, 11.

Além desta vítima, outra pessoa, morador de Valença, no sul do estado, também teve a contaminação da febre amarela confirmada na quinta-feira. Neste caso, entretanto, até o início da tarde de sexta-feira, 12, o paciente seguia internado em uma unidade de saúde do município.

Segundo a Secretaria estadual de Saúde, a cobertura vacinal, tanto em Teresópolis quanto em Valença, é superior a 80%. “A Secretaria já disponibilizou doses suficientes para vacinar 100% da população das duas cidades fluminenses e recomendou às prefeituras que intensifiquem a vacinação, especialmente nas áreas de mata”, informa a nota.

As medidas de prevenção à febre amarela começaram em 2017, quando diversas macacos foram atingidos por um surto da doença no país. A secretaria iniciou a criação de cinturões de bloqueio, recomendando a vacinação contra a febre amarela principalmente em municípios limítrofes aos estados Espírito Santo e Minas Gerais (áreas de risco para a doença). Desde julho do ano passado, todos os 92 municípios do estado do Rio já estão incluídos na área de recomendação da vacina e a campanha de vacinação permanece.

Ainda segundo o governo do estado, os casos registrados até agora são do tipo silvestre, transmitidos pelas espécies de mosquito Haemagogus e Sabeths, presentes em áreas de mata. Não há registro no país da forma urbana da doença, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, desde 1942. A Secretaria estadual de Saúde reforça a importância das pessoas que ainda não se vacinaram buscarem um posto de saúde próximo de suas residências para serem imunizadas. Para mais informações sobre a doença acesse www.febreamarelarj.com.br.

Vigilância redobrada

Também nesta sexta-feira, 12, a Secretaria estadual de Saúde divulgou nota recomendando às prefeituras de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, Tanguá, na Região Metropolitana do Rio, e Miguel Pereira, no Centro-Sul fluminense, ampliarem a vigilância sanitária e intensificarem a vacinação contra a febre amarela. Nessas três cidades, foram registrados casos de macacos mortos com resultado positivo para a febre amarela. Além dos três municípios, a vacinação também será reforçada em Queimados, Japeri e Xerém, que são áreas de fronteira com a Reserva do Tinguá.

 

LEIA MAIS

Prefeitura já iniciou medidas preventivas para que o problema não se alastre

Parceria com universidade de Teresópolis deve ampliar atendimento também na maternidade Mário Dutra

Manifestação em frente à prefeitura ocorre quase um mês após morte de turista carioca que visitava o distrito

Publicidade
Agora Faz
TAGS: saúde