Reforma da rede de esgoto do Raul Sertã começa na próxima semana

Maior unidade de saúde pública da região Centro-Norte vai ganhar novos reservatórios de água com capacidade máxima de 160 mil litros
terça-feira, 13 de agosto de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Reforma da rede de esgoto do Raul Sertã começa na próxima semana

Na próxima segunda-feira, 19, serão iniciadas as obras de reforma da rede esgoto do Hospital Municipal Raul Sertã. A rede é tão antiga quanto o prédio da maior emergência pública da região e costuma causar transtornos a pacientes e funcionários devido à vazamentos e ao mau cheiro. Segundo a prefeitura, o projeto também prevê a instalação de dois novos reservatórios de água na unidade, que juntos terão capacidade máxima de 160 mil litros. 

As obras serão realizadas pela empresa Roberto Aguiar Grote Construções e Empreendimentos, que venceu a licitação por R$ 395.016,61, conforme extrato do contrato publicado no Diário Oficial do município, em A VOZ DA SERRA, no último dia 3. Os serviços devem ser concluídos em até nove meses. 

“A previsão é iniciar a reforma pela área interna da cozinha e refeitório. Contudo, vários outros pontos sofrerão intervenções ao longo da execução da obra, o que poderá trazer algumas dificuldades à rotina hospitalar, como mau cheiro, por exemplo. Entretanto, é preciso enfatizar que o serviço trará melhorias essenciais que, após sua conclusão, irão completar um cronograma de modernização promovido pela atual administração municipal”, informou a prefeitura em nota.

O mau cheiro causado por vazamentos na rede de esgoto do hospital é uma queixa recorrente de funcionários e pacientes. Há cerca de dois meses, A VOZ DA SERRA recebeu reclamações de pacientes do Raul Sertã sobre um reparo de urgência realizado em uma tubulação de esgoto que provocou náuseas a quem estava na ala da pediatria. “Abriram um buraco para mexerem no esgoto, mas ele continua aberto causando um cheiro insuportável”, informou um funcionário à época. 

A rede de esgotamento sanitário do Raul Sertã é tão antiga quanto o hospital, que em maio de 2020 completa 100 anos. A modernização do sistema, portanto, é vista como indispensável ao funcionamento da unidade. De acordo com a prefeitura, a reforma irá dotar a unidade de melhores condições de funcionamento com uma estrutura ambientalmente sustentável. Além da substituição de pontos críticos do esgoto, serão instalados dois reservatórios metálicos de água no hospital, com capacidade de 80 mil litros cada.

CTU e outras obras

O Hospital Raul Sertã passa por diversas obras. Em junho, a prefeitura reinaugurou a nova recepção do Centro de Tratamento de Urgência (CTU), após cerca de um ano e meio de obras, que custaram R$ 167 mil. O novo espaço tem uma sala de espera pediátrica, uma sala de espera para adultos, uma sala de acolhimento e seis banheiros novos. O hospital também ganhou um letreiro instalado na fachada. 

Apesar das mudanças físicas na recepção do CTU, o fluxo de atendimento dos pacientes continua o mesmo de antes. O Raul Sertã ainda não conta com a classificação de risco, ferramenta utilizada nos serviços de urgência e emergência, voltada para avaliar e identificar os pacientes que necessitam de atendimento prioritário, de acordo com a gravidade clínica, como é feito na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do distrito de Conselheiro Paulino. 

Em abril, o governo retomou as obras de expansão do prédio anexo do Hospital Raul Sertã. O contrato com a construtora Frienge, no valor de R$ 4 milhões, tem previsão de 15 meses. A nova ala abrigará, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, 30 leitos, sendo 20 adultos e dez infantis, do Centro de Terapia Intensiva (CTI) localizado no térreo, além clínicas médicas, a serem instaladas nos dois outros andares. 

 

LEIA MAIS

Fórum nesta quinta em Magé reunirá representantes dos 15 municípios, incluindo Friburgo, que compõem o Conleste

Segundo a prefeitura, lâmpadas queimadas foram substituídas, nenhum aparelho foi danificado e atendimento já está normalizado

Serviço de implantação de rede pluvial para evitar alagamentos deve durar uma semana

Publicidade
TAGS: obra | saúde