Raul Sertã: vereadores denunciam falta de materiais cirúrgicos

Em nota, eles sustentam que cirurgias eletivas continuam suspensas porque faltam itens básicos, além de autoclaves
segunda-feira, 08 de janeiro de 2018
por Alerrandre Barros
O centro cirúrgico do Raul Sertã, reformado no ano passado (Arquivo AVS)
O centro cirúrgico do Raul Sertã, reformado no ano passado (Arquivo AVS)

Vereadores de oposição pediram que a Secretaria municipal de Saúde apure por que as duas autoclaves (aparelhos utilizados para a esterilização de materiais médico-hospitalares) do Hospital Raul Sertã pararam de funcionar menos de um mês depois da desinterdição da Central de Materiais e Esterilização. Conforme A VOZ DA SERRA, noticiou na última sexta-feira, 5, cirurgias eletivas foram suspensas devido à falta dos equipamentos.

“É muito estranho que uma autoclave em funcionamento, com devidos testes, deixe de funcionar logo num período de transição de diretoria do Raul Sertã, depois de ser revisada pelo técnico em manutenção. É caso digno de apuração”, diz parte da nota assinada pelos vereadores Professor Pierre (Psol), Zezinho do Caminhão (Psol), Wellington Moreira (PMDB), Johnny Maycon (PRB) e Marcinho (PRB).

O texto foi divulgado no último fim de semana e repercutiu nas redes sociais. Nele, os parlamentares afirmam ainda que as cirurgias eletivas foram paralisadas por falta de medicamentos, exames e materiais cirúrgicos básicos. Eles citam um documento datado de 28 de dezembro de 2017 que lista uma série de materiais e medicamentos que faltam nos estoques no hospital e no Almoxarifado Central da Saúde, como agulhas, tubos, placas e parafusos para ortopedia e morfina, por exemplo.

“Sem esses medicamentos e aparelhos não há como haver cirurgias eletivas no Raul Sertã. Precariamente, com riscos aos pacientes, são realizadas cirurgias de emergência, por heroísmo e pelos meios daqueles profissionais que são submetidos a essa inadmissível situação”, encerra a nota dos vereadores.  

Nesta segunda-feira, 8, A VOZ DA SERRA procurou o secretário municipal de Saúde, Christiano Huguenin, para saber sua posição sobre o que foi apurado pelos vereadores, mas não obteve resposta até a atualização desta notícia. Na última sexta-feira, 5, entretanto, ele confirmou, em nota, que as cirurgias eletivas foram suspensas, novamente, por causa das autoclaves. “A recente liberação da Central de Esterilização, ocorrida no final do ano passado, não previu a compra de autoclaves, e sim a estrutura física da Central, ficando pendentes a regularização desses equipamentos. Estamos mantendo as cirurgias de urgência, esterilizando os materiais em outras unidades de saúde da cidade”, disse o secretário, na ocasião.

No ano passado, o número de cirurgias realizadas no Hospital Raul Sertã caiu pela metade devido à interdição da Central de Esterilização pela Vigilância Sanitária Estadual. O setor ficou fechado de junho até dezembro para obras de readequação e, durante esse período, as cirurgias eletivas foram suspensas. A Central foi desinterditada no dia 15 de dezembro, quando o governo planejava realizar um mutirão de cirurgias. Huguenin assumiu a pasta em meio a uma crise na Saúde, que culminou com o afastamento, por ordem judicial, das antigas titulares às vésperas do Natal.

 

LEIA MAIS

Documento com mais denúncias da Câmara sobre falta de insumos, medicamentos e equipe médica será enviado ao MP

Situações encontradas serão descritas em relatório que será entregue à prefeitura e à Justiça

Amma espera receber mais de 600 pessoas nesta edição do evento, previsto para 10h deste sábado

Publicidade
TAGS: saúde