Projeto inspira e move pessoas na direção da solidariedade e do amor

Grupo de Amigos da Vila Sorriso firma parceria com prefeitura para captar recursos e atrair mais voluntários
quinta-feira, 01 de novembro de 2018
por Ana Borges (ana.borges@avozdaserra.com.br)
Os voluntários em ação (Fotos de divulgação)
Os voluntários em ação (Fotos de divulgação)

 

O projeto de apadrinhamento implementado na Casa de Acolhimento Institucional Vila Sorriso (CAIVS), pela Vara da Infância, Juventude e Idoso de Nova Friburgo, vem colhendo bons frutos, segundo a juíza titular Adriana Valentim. Fundamentado no dever da sociedade de garantir às crianças e adolescentes seus direitos, em conjunto com o Estado e a família, a iniciativa vem conquistando cada vez mais adeptos.

Segundo ela, pessoas físicas e jurídicas friburguenses, de modo geral e do bairro Mury, em particular, onde funciona a Casa de Acolhimento, conheceram o projeto e, sensibilizados pela causa, criaram o Grupo de Amigos da Vila Sorriso. “Ao firmar parceria com a secretaria de Assistência Social de Nova Friburgo, já que o abrigo é municipal, pretendemos, através de campanhas e eventos públicos, captar recursos financeiros para oferecer um ambiente mais acolhedor às crianças e adolescentes. E também atrair novos parceiros e voluntários.

Um dos “alvos” atingidos foi Erika Castro: “Como muitas pessoas, por anos tive vontade de ajudar uma instituição de crianças e adolescentes em nossa cidade, mas nunca tive tempo ou oportunidade. Até que, há um ano, fiz uma série de aquarelas com frases motivacionais a pedido da juíza Adriana Valentim. Ela queria um ambiente adequado não só para as crianças, mas para a sua equipe também. Foi o começo de uma bela parceria. Nesta entrevista, Erika fala do quanto esse engajamento tem sido importante para ela. Confira e se inspire, leitor!   

AVS: Como você ficou sabendo desse trabalho?

Erika Castro: Conheci o projeto de apadrinhamento que a Adriana (Valentim) estava trazendo para nossa cidade, através de Germana Mussi, uma amiga em comum. Desde então, o sonho de ajudar as crianças da Casa de Acolhimento só aumentou e, no meio desse caminho, nos deparamos com vários amigos com o mesmo sonho.

O que vem sendo feito nesse sentido?

Em maio, por exemplo, o Espaço Pilates organizou o evento Pilates Day e vendeu 150 camisetas, cujo lucro reverteu para a Vila Sorriso. Mas só fomos visitar a Casa de Acolhimento, em agosto. Depois de conhecer a equipe maravilhosa da Emanuelle (Marques Mendonça, secretária de Assistência Social, que acabara de assumir o cargo), seus projetos e engajamento, decidimos mergulhar de cabeça nessa história. Aí criamos o Grupo de Amigos e o Projeto Acolher.

Como tem sido a resposta das pessoas ao projeto?

Muitos tentaram (e ainda tentam) nos desmotivar alegando que não valia a pena, que era perda de tempo e um problema do poder público e do judiciário. Citavam complicações burocráticas, processos e etapas e que lidar com os funcionários da casa, da justiça e da secretaria, seria uma dor de cabeça. Mas, decidimos focar nas respostas positivas que tivemos da maioria das pessoas que contatamos, com pedidos de ajuda, doações, parcerias e adesão ao grupo. Estamos preenchendo a “lacuna” entre o poder público e o poder judiciário, como sociedade. Criamos essa tríade para atender com mais eficiência as necessidades da casa. Fazer o melhor e o possível está sendo a nossa meta. Por outro lado, estipulamos um prazo para colher os frutos e avaliar os resultados.

Então, ao contrário dos que alguns pensavam, tem valido a pena.

Sim. Assinamos um termo de parceria com a Assistência Social e o Apadrinhamento com a Vara da Infância e Adolescência, onde, cada parte se comprometeu em fazer o melhor e o possível. Temos recebido respostas e soluções positivas de todos, além do super engajamento dos funcionários da Casa que exercem mais do que suas funções e cargos. Eles são a prova e o exemplo de que podemos fazer muito mais por essas crianças.

Como essas parcerias funcionam?

Todos trabalham há anos para resolver problemas mais urgentes ou para conseguir um passeio, uma doação ou um voluntariado para a Vila, como o corte de cabelo das crianças, realizado no último domingo, que foi fruto de um pedido de ajuda do funcionário Youver. Ou o tratamento dentário de uma criança que estava com muita dor de dente e foi pago de forma emergencial pela cuidadora Luzia, ou ainda as doações que a cuidadora Dulci consegue de amigos e empresários, como o João que acabou de doar seu forno para o nosso “Clube do Biscoito”: para essa produção recebemos doações de ovos e farinha de amigos. Entre muitos outros exemplos.  

Como você se sente fazendo esse trabalho?

Assim como os funcionários da Casa, os da Vara e da Assistência também militam por soluções e doações, agindo sempre no anonimato. Como eles, acreditamos que zelar por essas crianças e adolescentes é um dever moral da sociedade e uma atitude de amor com próximo. Começamos com o trabalho de formiguinhas, mas hoje já somos um formigueiro!

Vocês conseguiram montar toda a campanha de divulgação e eventos em apenas um mês. É um sinal de que o voluntariado tem crescido em Friburgo, seguindo uma tendência observada em todo o mundo?

Sim. Em 28 de setembro fechamos nossa parceria com a Vara da Infância e Adolescência e com a secretaria de Assistência Social, transformando um pequeno ajuntamento de pessoas que já se conheciam, no Grupo Amigos da Vila Sorriso. Tivemos que virar muitas madrugadas montando o projeto, as campanhas e as artes para não perdermos o mês de outubro da Criança, de novembro para o Bazar, além de todo trabalho boca a boca, chamando parceiros e amigos para aumentar o grupo e colaborar com o projeto. Ainda estamos trabalhando de madrugada porque, além dos eventos e as campanhas estarem acontecendo em meses seguidos, após o Bazar Solidário vamos montar um espetáculo natalino de teatro de bonecos, com a peça adaptada da versão original alemã “O Quebra-Nozes no Reino das Colônias”.

Como será esse espetáculo?

Teremos um figurino/cenário criado e doado especialmente para a peça pelo Senai/Moda, além do trabalho voluntário dos manipuladores de bonecos, dos bailarinos, da contadora de história, da cenografia, do som e iluminação. O espetáculo será apresentado na Fundação D. João VI, nos fins de semana de dezembro (1º a 23) com duas apresentações aos sábados e domingos, às 16h  e 19h. Será um presente para nossa cidade e para as famílias, e todo valor arrecadado com a venda dos ingressos vai para a Vila Sorriso. Nosso objetivo é que a Vila e nosso grupo sejam uma referência e uma inspiração para a criação de novos grupos de amigos solidários e voluntários em diferentes causas da nossa cidade. Como aprendi com a ONG Confraria Miados e Latidos, que acolhe e cuida de gatos e da qual também faço parte.

Qual a sua perspectiva quanto ao futuro do projeto?

Decidimos abraçar a causa, aceitando as dificuldades, apadrinhando e acolhendo os menores e a equipe da Vila Sorriso, como um bicho-preguiça faz com sua cria, na tentativa de ajudar a construir um futuro melhor para todos nós. Dentro desses valores, escolhemos para mascote do grupo um bicho-preguiça, o Boris, pois, além de representar calma e paz, ele se agarra com força nas árvores, carrega sua cria junto ao corpo perto do coração e está sempre de peito aberto para um abraço com um sorriso amigo no rosto. Nossa história está só começando, mas estamos nos doando com muito amor e dedicação para mudar a vida dessas crianças e adolescentes. Apoiar as equipes do CAIVS, da Secretaria e da Vara, e aprender com quem já ajuda a Vila há anos, nos faz crescer como seres humanos, nos torna pessoas melhores. Acredito que nossa cidade pode se tornar um modelo de solidariedade e voluntariado em diferentes esferas da sociedade.

++++++++++++++++++++ Serviço

Os interessados em conhecer o projeto de Apadrinhamento, podem entrar em contato com o Comissariado da Vara da Infância, através do telefone (22) 2524-2185. Assim como o Grupo de Amigos da Vila Sorriso, os padrinhos devem se cadastrar na Vara da Infância que acompanhará o apadrinhamento, garantindo que seus objetivos sejam alcançados.

 

Publicidade
TAGS: