Projeto de ciclovias reacende a esperança entre ciclistas de Friburgo

Para quem gosta de pedalar, são anos de lutas, projetos e poucos avanços
sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019
por Vinicius Gastin
 Ilustração de um dos muitos projetos apresentados pela prefeitura
Ilustração de um dos muitos projetos apresentados pela prefeitura

São anos de lutas, projetos e, até o momento, quase nada foi feito. No entanto, uma nova esperança surge para aqueles que sonham em pedalar por ciclovias em Nova Friburgo. No último dia 6, a prefeitura anunciou, em entrevista coletiva, um pacote de obras envolvendo as áreas de saúde, mobilidade, cultura e esportes. Um pedido de autorização legislativa foi encaminhado à Câmara para iniciar os processos de contratações das empresas que executarão as ações.

Os recursos, da ordem de R$ 26 milhões, seriam aplicados na compra do prédio da Fábrica Ypu. Com a desistência em persistir na tentativa do negócio, o município vai aplicar o valor em diversas intervenções. Dentre elas, segundo o município, está a implantação de uma ciclovia às margens do Rio Bengalas, ligando os bairros Duas Pedras ao Paissandu.

O projeto também prevê a sinalização de um trecho entre Duas Pedras e Conselheiro Paulino, onde já há previsão de espaço para circulação de bicicletas. Um terceiro trecho de ciclovia, entre o Paissandu e a Praça 1° de Maio, em Olaria, está no projeto original, mas deverá ser executado apenas no futuro.

A luta pela construção de ciclovias é antiga em Nova Friburgo. Em julho do ano passado, a prefeitura anunciou que o município estava entre os pré-selecionados pelo Ministério das Cidades para receber recursos dentro do programa do governo federal “Avançar Cidades – Mobilidade”. A ciclovia pré-projetada englobaria toda a área de Olaria até Conselheiro Paulino, passando pelo eixo central da cidade. O valor total do recurso federal anunciado era de R$ 4,97 milhões.

O projeto de construção da ciclovia previa, numa primeira etapa, a ligação do distrito de Conselheiro Paulino ao bairro Duas Pedras, assim como deve acontecer com os recursos da prefeitura. A segunda etapa ligaria Duas Pedras ao Paissandu, e a terceira, o Paissandu ao Cônego, aproveitando o trecho já existente entre Olaria e Cônego.   

Em nota enviada ao jornal, a prefeitura informou que “não desistiu de pleitear esse recurso junto ao governo federal e que os trâmites burocráticos, para tal procedimento, estão em andamento.”

Ainda segundo o texto, o investimento que será feito com parte dos R$ 26 milhões para construção da ciclovia é destinado a construir um trecho da ciclovia.  O recurso do programa federal “Avançar Cidades - Mobilidade”, previsto para ser liberado ainda no primeiro semestre deste ano, ainda de acordo com o município, “será destinado a construção da parte restante da ciclovia.”

Nos últimos anos, por meio de “bicicletadas”, os friburguenses fizeram sucessivos protestos para que o sonho das ciclovias se realize. As reivindicações, todas pacíficas, ocorreram em diversas ocasiões. Em uma delas, mais de 300 ciclistas pedalaram da Praça Dermeval Barbosa Moreira até Conselheiro Paulino e Olaria, em protesto, e entregaram um abaixo-assinado ao prefeito.

Além das ciclovias, o município também anunciou a reforma de ginásios e quadras do município. Alguns desses espaços apresentam conservação deficiente, e precisam de pintura, reformas de alambrados, iluminação e novas redes. Estão incluídos os ginásios de Conselheiro Paulino, Duas Pedras, Olaria, Cordoeira, e as quadras de Lumiar, Olaria (casas populares), Mc Niven, Vila Amélia, São Geraldo, Tiradentes (Amparo) e Campo do Coelho. Com isso, a população poderá ter um ganho real na prática esportiva.

LEIA MAIS

Atletas refizeram parte do caminho pecorrido a pé pelos primeiros colonos suíços

Gusmar Júnior ganha mais uma: a Route MTB, uma prova em duplas, em Conquista, pelo evento Agosto Suíço

Saudosismo sobre duas rodas: corridas na praça eram o ponto alto do verão na cidade

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: ciclismo