Projeto cultural resgata a memória do comércio friburguense

Anchieta e Grupo Memória Identidade e Espaço produzem juntos documentário, peça de teatro e exposição de fotos para os 200 anos
sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018
por Ana Borges
Foto de capa
A gravação do documentário (Divulgação)

Três produtos culturais - documentário, peça de teatro e exposição de fotos - frutos da parceria entre o Colégio Anchieta e o Grupo de Estudos “Memória Identidade e Espaço” serão lançados em maio, durante a comemoração do bicentenário de Nova Friburgo. “Esses eventos têm como tema o comércio, um dos setores que mais contribuíram para o desenvolvimento do município. São baseados em entrevistas que vêm sendo feitas pelo grupo, desde 2014, em seu projeto de história oral sobre famílias de comerciantes da cidade”, explicou a jornalista Simone Assad, integrante do Grupo Memória.

O documentário “Nova Friburgo por trás dos balcões”, que encerrou a fase de entrevistas na última quarta-feira, 21, dá voz a empresários que conhecem a fundo a história do comércio local. São eles: Lola Vonbun (Vila Bela); Gilberto Sader (Doces Sader); Theóphilo Rodrigues Pinto Neto (Gazoni Móveis); Braulio Rezende (Casa Rezende); Dário Salomão (Farmácia Globo); Ronaldo Lo Bianco (Galeria Universal); José Nader (Casa Nader); e Mário Moreira (Bar América).

A coordenadora de Cultura e Eventos do Colégio Anchieta, Jane Ayrão, revelou que a maioria dos depoimentos foram gravados no teatro e na antiga biblioteca da instituição, “e foram emocionantes”. O diretor geral do curta-metragem é Felippe Naggato e a entrevistadora,  Célia Badini, da Associação das Colônias de Nova Friburgo (Ascofri). A montagem teatral, de acordo com ela, traz, além de fatos extraídos das entrevistas, textos poéticos de autores friburguenses como Humberto El-Jaick, Raphael Jaccoud e Dilva Maria de Moraes, além de J.G.de Araújo Jorge. Ao título “Por trás dos balcões” foi acrescentado “...histórias e corações”, para dar forma dramatúrgica ao trabalho original de pesquisa. A peça estreia em maio com o elenco do Teatro Amador do Colégio Anchieta (Taca).

“Contamos com a ajuda de entidades, de pessoas como o padre Luiz Antonio de Araújo Monnerat (reitor do Anchieta), da equipe de filmagem de Felippe Naggato, e dos responsáveis pelo figurino da peça, pela música e pela criação gráfica dos materiais. Somos um mutirão que está se empenhando muito para que tudo dê certo”, ressaltou Jane Ayrão.

A força das parcerias

Uma das coordenadoras do Grupo de Estudos “Memória Identidade e Espaço”, a professora Geni Nader lembrou que a ideia do projeto cultural surgiu em 2015, durante encontro com Jane Ayrão, quando esta se encantou com o relato das entrevistas com comerciantes que o grupo vinha produzindo. “Em visita ao Memorial do Anchieta, conversamos com ela sobre a nossa pesquisa, e Jane aventou a possibilidade de escrever uma peça baseada nesse trabalho. Ocasionalmente, voltávamos ao assunto. Até que, em nova reunião, em 2017, a proposta se concretizou e se desmembrou na segunda linha, a do documentário”, resumiu Geni.

Segundo Simone Assad, o terceiro braço do projeto cultural se desenhou em um contato do gerente geral do Cadima Shopping, Luiz Fernando de Oliveira, e da ex-presidente da Associação de Lojistas, Fany Zissu, com Jane Ayrão, que comentou sobre o trabalho do grupo. “Interessados em participar da empreitada, Luiz Fernando e Fany convidaram o grupo para montar a exposição de fotos sobre comércio e comerciantes de Nova Friburgo naquele centro comercial. A organização ficou à cargo da Geni e da Maria Ana Quaglino, também coordenadora do grupo e pesquisadora da Fundação D. João VI. A inauguração ainda não foi agendada, mas, certamente, será em maio. E uma parte do curta-metragem do Felippe Naggato deve ser exibido ao público no dia 18 de maio, também no Cadima”, contou Jane.

Geni Nader ressalta que entrevistas com os empresários continuarão após o aniversário da cidade, com o suporte essencial da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), através de seu presidente, Braulio Rezende, e da assessora de imprensa da entidade, Simone Assad, que reiterou: “Há vários anos a CDL homenageia empresários no Dia do Comerciante, 16 de julho, com a construção de perfis que serviram de referência e deram origem a esse processo. Geni acredita que somente as entrevistas já representariam importante legado do grupo de estudos para Nova Friburgo. Desdobradas em três eventos carregados de significados para o bicentenário, aumentaram sobremaneira sua relevância”.

Formado em 2009 na Faculdade de Filosofia Santa Doroteia (FFSD), o “Memória Identidade e Espaço”, com o fechamento da entidade passou a se reunir, quinzenalmente, no Colégio Nossa Senhora das Dores (CNSD), que em 2018 festejará 125 anos de funcionamento. “Vamos promover uma série de celebrações no colégio, é uma data que precisa e merece ser valorizada. No bicentenário de Nova Friburgo, completaremos 125 anos de dedicação à educação e à cultura de nossa cidade”, ressaltou Geni, também coordenadora do CNSD.

Serviço

Reunião: Grupo “Memória Identidade e Espaço” e demais envolvidos no projeto, nesta segunda-feira, 26, às 15h30, no Colégio Anchieta.

Documentário: Felippe Naggato e equipe dão início às gravações externas.

Peça: “Por trás dos Balcões... histórias e corações”, ensaios às sextas-feiras, no Teatro do Colégio Anchieta, a partir das 15h30.

Figurino: Estilista Virgílius, inspirado no movimento musical Bossa Nova.

Trilha sonora: Dupla Ana e Rob (especialistas em bossa nova); e Heitor Hugo, maestro da Banda do Colégio Anchieta,  preparando um número especial.

Lançamento: Documentário e espetáculo teatral no Cadima Shopping, 18 de maio, às 19h. O espaço está sendo cuidadosamente preparado pela direção do Cadima.

 

LEIA MAIS

No contexto dos “bicentenários” de Nova Friburgo, um tema que ainda promete atravessar o tempo

Prefeito e comitiva participaram da inauguração; cidade portuária de onde suíços partiram teve festa com queima de fogos

Em entrevista exclusiva, ele fala de intercâmbios, projetos e parcerias na agenda de sua viagem oficial

Publicidade