Procura por peixes em Friburgo aumenta 80% na Semana Santa

Pescado que teve maior aumento de preço foi a sardinha, com uma variação de 32%
quarta-feira, 17 de abril de 2019
por Paula Valviesse (paula@avozdaserra.com.br)
Peixes frescos na vitrine da Belo Mar, no Centro (Foto: Paula Valviesse)
Peixes frescos na vitrine da Belo Mar, no Centro (Foto: Paula Valviesse)

Com a proximidade da Sexta-feira Santa, que esta ano cai no dia 19, data na qual várias pessoas seguem a tradição católica de não consumir carne vermelha em reconhecimento a dia da morte de Jesus Cristo, a procura por peixes é grande. O bacalhau segue como um dos mais consumidos, especialmente com a opção de compra de “lascas tipo bacalhau”, cujo preço do quilo é mais acessível. Mas, peixes como tilápia e linguado, também são muito procurados, por conta da ausência de espinhas.

Para Dirlan Silva Soares, proprietário da peixaria Belo Mar, no Centro, essa é uma das principais épocas de venda para quem trabalha com pescados. Mesmo tendo acompanhado uma crescente procura por peixes ao longo dos 14 anos em que trabalha nesse segmento, principalmente em decorrência da procura das pessoas por hábitos alimentares mais saudáveis, ele ainda destaca a Semana Santa como um movimento diferenciado.

“Nesta época a procura aumenta em torno de 80%. A tilápia e o linguado, por serem peixes que não possuem espinhas, são bem procurados. Tem também a corvina. Já o bacalhau tem uma saída maior bem próximo à sexta-feira santa, as pessoas planejam tê-lo na ceia nesta data, optando por outros peixes nos demais dias e também ficam na expectativa das promoções, por se tratar de um peixe mais caro”, conta Dirlan.

Segundo ele, em comparação ao ano passado, o pescado que teve maior aumento de preço foi a sardinha, com uma variação de 32%: “A sardinha é muito procurada, mas este ano está um pouco mais cara, em função da oferta do pescado nos mercados. Está difícil encontrar sardinha, não está tendo um bom retorno na pesca, o que pode ser causado por várias situações, como a agitação do mar, por exemplo, e os pescadores acabam elevando os preços”, explica o empresário.

Já entre os demais tipos, na peixaria os valores variam entre R$ 35,90 para o quilo da tilápia e do linguado, e R$ 55,90, o do salmão. O bacalhau, de acordo com Dirlan, tem preços a partir de R$ 50 e, nesta época o estabelecimento recebe ainda muitos pedidos de bolinhos prontos, chegando a custa R$ 15 o pacote de meio quilo. E como opção para substituir a carne vermelha, ele ainda apresenta frutos do mar, como o camarão, que custa em média R$ 36 o quilo.

Bacalhau pode chegar a custar R$ 90 o quilo

Considerando o aumento na procura, o A VOZ DA SERRA também percorreu outros estabelecimentos para ver como está o preço dos pescados. O bacalhau, como sempre, varia de preço pelo tipo, chegando a custar R$ 89,90, o “do Porto” e R$ 31,60, o “Saithe”. Já a tilápia pode ser encontrada ainda em promoção por R$ 8 o quilo, trazendo uma economia de 300% para o consumidor, considerando o preço padrão de R$ 35.

A sardinha varia entre R$ 15 e R$ 20. Já o salmão e o camarão têm uma diferença de preço pequena entre os estacionamentos pesquisados, variando em 14% e 4%, respectivamente.

 

Publicidade
TAGS: