Procura por delivery aumenta em Friburgo com a velocidade das motos

Cidade já tem pelo menos 5 empresas fazendo entregas. Praticamente todas as farmácias e restaurantes utilizam o serviço
sábado, 07 de julho de 2018
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Motoboy passa pela rua em Friburgo: cena cada vez mais comum na cidade (Arquivo AVS)
Motoboy passa pela rua em Friburgo: cena cada vez mais comum na cidade (Arquivo AVS)

O número de oferta tanto de estabelecimentos comerciais como de empresas que prestam serviços de delivery (entrega em domicílio) aumentou consideravelmente em Nova Friburgo nos últimos meses. E não é um crescimento sazonal, mas contínuo, que independe da época. Na cidade já existem pelo menos cinco empresas que prestam serviços de entrega, e a maior parte das farmácias e restaurantes oferece essa comodidade a seus clientes.

A conforto do cliente aliado à facilidade do prestador de serviço em atender os pedidos faz com que o mercado de motoboys seja cada vez mais requisitado em Nova Friburgo. “Acredito que o esquema de delivery seja extremamente funcional pelo fato de o cliente poder comer o que deseja, estando no conforto do lar e sem ter que ir para a cozinha ou sair para almoçar, fazer um lanche ou jantar fora. E essa entrega geralmente acontece em um curto espaço de tempo”, afirma Newton Bittencourt, proprietário do restaurante New Sushi.

Para ele, a criação de um canal direto e sem cobrança entre o cliente e o restaurante é um diferencial para que haja tanta demanda pelo serviços de delivery. “O aumento no número de pedidos é resultado da facilidade e agilidade deste processo. É o pediu-chegou. São muitos canais de venda, como Facebook, Instagram, Whatsapp, aplicativo Ifood e site próprios. Outro ponto importante que conta para isso é a adaptação de grandes empresas e restaurantes a esse novo ramo. Empresas que até pouco tempo não trabalhavam com delivery hoje o utilizam por verem nele um grande potencial”, avalia o empresário.

Não ter que pagar para pedir um serviço é o que faz com que Leocádio Moraes realize tantos pedidos de entrega. “Só de não ter que precisar falar ao telefone, pagar uma ligação para pedir uma comida, um remédio, ou até realizar compras em mercados, já é uma grande vantagem. Além é claro da economia de dinheiro, pois utilizando o delivery não se gasta nada com o transporte até o local onde é feita a compra. Hoje em dia é tudo muito prático”, garante Leocádio.

Rosimery Machado é proprietária da Flash Boys, empresa que reúne 15 motoboys para entregas em diversos locais de Nova Friburgo. De acordo com a proprietária, a demanda aumenta consideravelmente em dias de chuva. “No início eu tinha poucos funcionários. Hoje, por conta da demanda, o número aumentou. Agora que estamos no inverno temos um aumento nesses pedidos, mas não é tão significativo, mas é só o tempo mudar e começar a chover que o telefone começa a tocar e os pedidos chegam a dobrar”, conta ela.

São cerca de 150 pedidos por dia, de acordo com Rosimery, e todos tabelados, de acordo com o bairro de destino. “Para o Centro ou Olaria, normalmente cobramos um mínimo de R$ 8. Já para bairros mais afastados o preço é um pouco mais caro”, diz.

O formato atual para realizar pedidos deixa o cliente mais seguro de que sua mercadoria será entregue com sucesso. Todas as empresas que trabalham com delivery têm se preocupado em entregar um bom produto, com um bom tempo de entrega, e buscando ter o máximo de qualidade. “Isso faz toda diferença para que o cliente se sinta seguro a comprar mesmo sem conhecer ou nunca ter pedido um delivery”, diz o comerciante Newton Bittencourt.

Publicidade
TAGS: