Prefeitura vai apurar denúncia de médico do Raul Sertã

Em áudio que viralizou nas redes sociais, cirurgião se queixou da falta de materiais básicos no hospital
quarta-feira, 25 de outubro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa

Num áudio que viralizou nesta quarta-feira, 25, nas redes sociais, a denúncia de falta de insumos básicos para cirurgias no Hospital Municipal Raul Sertã, feita pelo médico José Cláudio Alonso, abriu mais uma crise no governo. Conforme a coluna do Massimo informou nesta quarta, o cirurgião fez um registro de ocorrência com suas queixas na 151ª DP. O delegado titular da 151ª DP, Henrique Pessôa, não quis comentar o caso. Em nota, a Prefeitura de Nova Friburgo informou que, assim que os fatos relatados pelo médico forem apurados, o prefeito Renato Bravo se posicionará. “A secretária de Saúde está alocada dentro do Hospital Municipal Raul Sertã, a fim de apurar os fatos relatados. O prefeito Renato Bravo, que cumpre uma extensa agenda previamente definida, se posicionará tão logo tudo esteja devidamente apurado”, diz a nota.

O áudio foi gravado por José Cláudio na terça-feira, 24, no WhatsApp. “Faltam os materiais elementares para fazer os atendimentos de emergência, materiais cirúrgicos. Hoje está faltando escova para antissepsia, que é o preparo para cirurgias. Isso é elementar. Custa centavos”, afirma o médico no áudio, após se identificar e explicar que trabalha no Raul Sertã  há mais de 20 anos.

Na mesma gravação, antes de dizer que “saúde não é padaria”, o médico manifesta suspeita de que o sucateamento da saúde possa pressionar a Câmara dos Vereadores  a votar pela implantação de Organizações Sociais (OS) na rede municipal de saúde, replicando, segundo ele, modelo de terceirização do serviço, com desvio de recursos, no Rio de Janeiro. Alonso sustenta ainda que a falta de materiais “estressa e pressiona” a equipe da unidade.

Nas redes sociais, após a divulgação do áudio, o médico foi elogiado por uns e criticado por outros. Em um post no Facebook, Thereza Soares, neurologista e ex-diretora geral do Raul Sertã, convocou toda a equipe a se unir “na defesa de um colega que, com certeza, vai sofrer retaliação. Ele revelou ao público a realidade que todos nós conhecemos”, afirmou. Há rumores, no entanto, de que interesses políticos estariam por trás da denúncia.

Além do áudio, uma imagem do registro de ocorrência feito pelo cirurgião na 151ª DP também circulou pelos celulares dos friburguenses nos últimos dias. O médico afirmou no depoimento que a falta de materiais básicos ocorre há meses e que diretores do hospital e a Secretaria de Saúde teriam conhecimento do fato. Disse que tomou a atitude por temer “consequências drásticas” devido à falta desses materiais.

 

LEIA MAIS

Ambulância que transportou homem estava em São Pedro e com a maca quebrada

Prefeitura fez seleção de 58 médicos e sete farmacêuticos temporários. Veja a lista aqui

Todas as crianças de 1 a 4 anos, mesmo as já imunizadas, têm que ser vacinadas. Dia D será dia 18

Publicidade
TAGS: saúde