Prefeitura contratará emergencialmente nova empresa de iluminação pública

Enquanto isso, cresce o número de reclamações sobre ruas às escuras em diversos bairros da cidade
sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018
por Karine Knust
Foto de capa

A escuridão em diversas ruas de Nova Friburgo, causada pela falta de manutenção das lâmpadas dos postes de energia, parece estar perto do fim. Pelo menos é o que garante o governo municipal. Esta semana a prefeitura confirmou que já iniciou o processo para contratação emergencial de uma nova empresa de iluminação pública.

O trâmite começou com o envio de propostas, pela Secretaria municipal de Infraestrutura e Logística, às empresas consideradas de porte ideal para atender as necessidades do município. De acordo com o Executivo, no próximo dia 21 de fevereiro, ainda será feita a entrega presencial das propostas às empresas interessadas. A documentação da firma que oferecer o menor preço será analisada e, em seguida, encaminhada à Procuradoria e Controladoria do município para confecção e assinatura do contrato para que o serviço comece então a ser realizado.

O município informou, entretanto, que ainda não há prazo definido para a contratação, mas afirmou que “assim que o contrato emergencial for assinado, a prefeitura tem como prioridade máxima fazer a manutenção de todas as lâmpadas apagadas”.

Enquanto essa questão não se resolve, cresce o número de reclamações sobre a falta de iluminação em diversos bairros. Na semana passada, por exemplo, um morador parou a equipe de A VOZ DA SERRA durante reportagem para se queixar sobre as diversas lâmpadas queimadas na Rua Cândido Pardal, no Alto de Olaria. “A rua fica um breu à noite e já está assim há semanas”, afirmou.

Perto dali, no bairro Bela Vista, moradores sofrem com o mesmo problema e temem pela segurança da região. “A cada dia que passa aumenta o número de postes com lâmpadas queimadas”, informou a moradora Marlene de Oliveira. Nesta quinta-feira, 8, o jornal ainda recebeu outra reclamação sobre o mesmo assunto. Desta vez, de uma moradora das Braunes.

“Há meses minha rua está na escuridão. A luz do poste queimou e até agora nada da prefeitura se manifestar. Muitos alunos que estudam na Universidade Estácio de Sá, passam por ela. É um enorme risco para várias mulheres, que ficam vulneráveis à ação de pessoas mal intencionadas”, alertou através de mensagem enviada pelo WhatsApp, Emilia Chiappini da Rocha, que mora na Rua Visconde de Itaboraí, próximo à Travessa Itajaí, local onde as lâmpadas estão queimadas.

Entenda o caso

Em agosto do ano passado, o prefeito Renato Bravo suspendeu o pagamento à empresa prestadora do serviço de manutenção da iluminação pública, Compillar Entretenimento Prestadora de Serviços Eirelli, por orientação da Controladoria Geral do Município, que decidiu fazer uma auditoria no contrato firmado com a empresa. Dias antes, o Ministério Público Estadual prendeu representantes da Compillar por fraudar uma licitação para manutenção da iluminação em São Gonçalo, na região metropolitana do estado do Rio.

A Compillar assumiu o serviço em Nova Friburgo por pouco mais de R$ 2 milhões, em abril de 2017, em caráter emergencial e por seis meses. A empresa substituiu a Hashimoto Manutenção Elétrica, cujo contrato, também de seis meses, com a prefeitura, terminou em março. O município firmou contratos por pouco tempo com as empresas porque a licitação para contratação do serviço, por período maior, segue suspensa no Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ).

A licitação, orçada em R$ 9.261.292,54, seria lançada no fim de 2016, ainda no governo anterior, mas foi adiada por tempo indeterminado até a regularização do edital. Em novembro do ano passado, o conselheiro substituto Marcelo Verdini Maia manteve a suspensão porque a prefeitura ainda não havia atendido às determinações do TCE-RJ. O órgão quer que seja feito novo edital, com projeto básico e planilha orçamentária para abertura de nova licitação.

Na ocasião, a prefeitura informou, em nota, que havia encaminhado a documentação relativa à determinação do TCE-RJ e aguardava, então, um posicionamento do tribunal, que ainda não emitiu parecer liberando a realização da licitação. Nesta quinta-feira, 8, o governo municipal informou, também através de nota, que está “aguardando a liberação para andamento da licitação”.

Publicidade
TAGS: