Prefeitura apresenta relatório com diagnóstico da Saúde

Descontinuidade de políticas públicas, desvalorização do servidor, infraestrutura sucateada e necessidade de informatização são os principais problemas
sexta-feira, 26 de julho de 2019
por Jornal A Voz da Serra

A descontinuidade de políticas públicas, a desvalorização do servidor, a infraestrutura sucateada e a necessidade de informatização da rede são as principais conclusões de um relatório, 100% técnico e sem viés político partidário, elaborado por cerca de 40 profissionais da Secretaria de Saúde e de outras áreas, a pedido do novo secretário municipal, Marcelo Braune, para diagnosticar os problemas por trás da crise na pasta.

Os dados coletados mostram, segundo a prefeitura, a realidade vivida pelos profissionais e pacientes da rede municipal de saúde, segundo a prefeitura. Por meio de reuniões e dinâmicas de grupo, os integrantes da equipe de trabalho que participaram do estudo identificaram, além dos pontos fracos, um ponto forte: a qualidade do pessoal que atua na base. 

O grupo também identificou oportunidades para o desenvolvimento da Saúde. Uma delas é promover a melhoria contínua, por meio da criação e fortalecimento de comissões, mais planejamento, definição e cumprimento de um organograma e melhorando cada vez mais as condições de trabalho. Outra oportunidade visualizada é a promoção de capacitações para os profissionais da pasta.

As ameaças apontadas, em sua maioria, dizem respeito ao planejamento e gestão da pasta. Ficou claro que os funcionários participantes no estudo esperam ter no gestor uma verdadeira referência, sem medo da chamada “politização” e da descontinuidade no trabalho. A questão da infraestrutura e a tramitação de processos também aparecem como ameaças.

Diante dessas análises, a atual gestão de Secretaria de Saúde compreende que parte da solução está em potencializar as experiências técnico-administrativas do quadro de funcionários. Também ficou evidente que o quadro de funcionários indispensáveis para a prestação dos serviços encontra-se defasado, sobrecarregado, desmotivado e precisando de capacitação. Com isso, a implementação de novas políticas de gestão torna-se praticamente ineficaz, já que os principais responsáveis pelo bom andamento do setor não estão “receptivos”. É preciso valorizar esses importantes profissionais.

Como ações para soluções a curto e médio prazo, foram definidas: a melhoria da gestão de processos; aproximação com a base (funcionários e usuários da rede); divulgação das ações positivas realizadas pela rede de saúde; realização de pesquisas junto à opinião pública; visitas regulares às unidades de saúde e criação de um sistema de indicadores (que validem as melhorias pretendidas).

Para o médio e longo prazo, o destaque fica com a informatização. Por meio dela, será possível ter maior controle de tudo o que acontece na Saúde. Desde o estoque de medicamentos, insumos e materiais em geral até o prontuário eletrônico dos pacientes. Por fim, a atual gestão da Secretaria de Saúde, comandada por Marcelo Braune, já iniciou o desenvolvimento desses trabalhos, sempre com o apoio e a participação dos profissionais da Saúde. 

O prefeito Renato Bravo acompanha o desenvolvimento deste trabalho e concedeu total autonomia para o grupo de profissionais envolvido. A prefeitura informou que o processo de licitação e posterior compra de 596 equipamentos encontra-se em fase final. As obras, paradas há anos, foram retomadas, como por exemplo, a da recepção, já reaberta ao público.

 

LEIA MAIS

Segundo a prefeitura, lâmpadas queimadas foram substituídas, nenhum aparelho foi danificado e atendimento já está normalizado

Câmara só deve votar na terça decreto legislativo que pode anular reajuste

Diretor da Faol, Paulo Valente detalha situação da empresa de ônibus e diz que vereadores contrários ao aumento da tarifa têm intenções eleitoreiras

Publicidade
TAGS: saúde | Governo