Praça na Via Expressa: antes mesmo de obra acabar já é preciso reforma

Prefeitura irá gastar mais de R$ 500 mil para finalizar complexo esportivo iniciado em 2012
quinta-feira, 29 de agosto de 2019
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
Cobertor de um morador de rua no espaço todo pichado: retrato do abandono (Fotos: Henrique Pinheiro)
Cobertor de um morador de rua no espaço todo pichado: retrato do abandono (Fotos: Henrique Pinheiro)

Conforme publicado na edição desta quinta-feira, 29, do Diário Oficial do município, em A VOZ DA SERRA, a Prefeitura de Nova Friburgo finalizou a contratação de uma empresa para a realização da obra de recuperação e finalização do Centro de Artes e Esportes Unificados, a Praça CEUs, na Via Expressa, em Olaria. O serviço vai custar R$ 574.226,90 e ficará a cargo da empresa Fabicon Engenharia e Construtora Ltda, vencedora da licitação. Ou seja, se esse valor for somado ao investimento inicial do projeto, que teve início em 2012, a Praça CEUs irá custar mais de R$ 2 milhões aos cofres públicos.

A VOZ DA SERRA visitou o espaço na manhã desta quarta-feira, 28, e constatou o abandono do local, que apesar de estar praticamente pronto há alguns anos, nunca foi totalmente finalizado e entregue à população friburguense. A única parte preservada é a sala cedida em janeiro de 2017 ao Projeto Solução, que ensina judô a crianças e jovens da cidade. O restante é um cruel retrato do desperdício de dinheiro público. Onde deveriam ser promovidas ações esportivas, culturais e de assistência social, atualmente se vê abandono, vandalismo e sujeira.

O aspecto de abandono já se observa do lado de fora. As grades que cercavam a Praça CEUs foram arrombadas e qualquer pessoa pode entrar. Todas as paredes estão pichadas e sujas. Há lixo por todos os lados, preservativos usados, vestígios de uso de drogas, muita sujeira pelo chão e todo o espaço tem forte odor de fezes e urina. Uma das salas, inclusive, acabou virando moradia para um grupo de pessoas em situação de rua. Há também uma quadra esportiva coberta, uma pista de skate e um parquinho infantil. Um espaço que se estivesse pronto atenderia a milhares de pessoas.

Novela já se arrasta há mais de sete anos

O processo de licitação da Praça CEUs teve início em 3 de maio de 2012 e terminou seis meses depois. O investimento de R$ 1.571.000, fez parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, através do Ministério da Cultura. A previsão inicial para a conclusão das obras era maio de 2014, o prazo já foi alterado diversas vezes e  nenhum deles cumprido.

Como deveria ser a praça

O espaço de três mil metros quadrados tem dois prédios que deveriam abrigar atividades esportivas, culturais e de assistência social. De acordo com o projeto inicial, o bloco 1 deveria ter um teatro com capacidade para 60 pessoas, depósito, gabinete de projeção, administração, telecentro, sanitários, canteiros de leitura e biblioteca. No bloco 2, uma sala multiuso e o Centro de Referência e Atendimento Social (Cras). Já o espaço esportivo da praça previa uma quadra coberta, três bicicletários, uma pista de skate, parquinho infantil, equipamentos de ginástica e mesas de jogos.

O que diz a prefeitura

A Prefeitura de Friburgo informou que “os trabalhos de recuperação da praça serão iniciados após a homologação e assinatura do contrato. O projeto consiste em recuperar a depredação e partes roubadas, além da conclusão do restante (em torno de 10% da obra) no prazo de 150 dias. O espaço será utilizado nas áreas de cultura, esporte e assistência social”.

 

LEIA MAIS

Inea vai trocar 4 passagens para pedestres e 3 pontes para veículos entre Duas Pedras e Conselheiro Paulino

Contorno mal executado gerou uma série de críticas, de pedestres e ciclistas, nas redes sociais

Nova lei prevê que contratos deverão estar amparados por seguradora, contratada pela empresa vencedora da licitação

Publicidade
TAGS: obra | Governo