Praça de São Pedro da Serra parece cenário de cidade cenográfica

Centenário cartão de visitas, João Heringer dá nome ao local onde todos se encontram no distrito
quarta-feira, 07 de março de 2018
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
O coreto da pracinha (Fotos: Henrique Pinheiro)

“É o cartão de visitas de São Pedro da Serra”, afirmam os moradores do 7º distrito de Nova Friburgo. A Praça João Heringer carrega nos seus mais de 100 anos, a história da bucólica localidade a cerca de 30 quilômetros do centro do município. O espaçol onde hoje é a praça, fazia parte de uma grande fazenda, pertencente a João Heringer. É o que afirma Lucy Fontes Freitas, dona de um ateliê de joias e neta da saudosa comediante Dercy Gonçalves. “Moro na casa que é o pivô da história da praça de São Pedro. Minha casa era a sede da fazenda. No lugar da atual fondueria, era o paiol. Tudo aqui era uma fazenda enorme que ia até Boa Esperança. A família doou essa parte da fazenda para a construção da praça com estrutura mais moderna. O coreto foi erguido pela família e desde então passou a ser a praça central de São Pedro”, conta Lucy.

A praça é um ponto de encontro entre os são pedrenses e turistas. “Aqui é onde todo mundo se encanta e se encontra. Eu moro em São Pedro há 11 anos e quando o carro apontou na entrada do distrito e eu vi a praça, achei que estava entrando em uma cidade cenográfica. Na mesma hora eu pensei ‘é aqui que eu quero morar’. Os anjos disseram ‘amém”, exclama.

É um local bem conservado, limpo, organizado e amado por todos que o frequentam. Apesar da prefeitura cuidar da manutenção, Julieta Heringer, neta de João, também é outra responsável por fazer da praça um recanto de beleza e tranquilidade. “Já plantei muitas flores aqui e arrumo os canteiros. É como se fosse uma extensão da minha casa”, diz Julieta que mora no distrito desde que nasceu. A praça era a realização do sonho do avô, que doou muitos lotes para que o distrito fosse habitado. “A praça é um símbolo de união entre os moradores. O local é um convite para as pessoas interagirem”, acredita ela.

Com a praça veio o comércio, e hoje, dezenas de pousadas e restaurantes estão em volta. Os comerciantes usam o local para feiras gastronômicas, de artesanato, apresentações artísticas e outros eventos. A praça é palco para manifestações culturais, além do encontro de casais, passeios de turistas e amantes da natureza.

Reforma

Em dezembro de 2014, foram realizadas obras de remodelação na praça. A área de lazer e de convivência recebeu novos projetos de paisagismo e ganhou novo mobiliário. As obras foram realizadas pela Secretaria de Obras, através do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur-RJ). A praça teve o coreto reformado, recebeu sinalização horizontal, quebra-molas, abrigo nos pontos de ônibus, canteiros, bancos de madeira, bicicletário e pontos de iluminação instalados em postes baixos e refletores, inclusive no coreto, além de acessibilidade.

 

LEIA MAIS

Historiadora, pesquisadora e professora Vanessa Melnixenco fala de seu livro, “Nova Friburgo - 200 Anos”

Em entrevista, Cristina Bravo, coordenadora do Comitê 200 anos, avalia o desfile de 16 de maio e a festa que “tomou conta da cidade”

Real Banda Euterpe tocará para Itália e Portugal e envia musicistas em intercâmbio à Suíça e França

Publicidade
TAGS: praças | 200 anos