Personalidades friburguenses recebem a Medalha Tiradentes

Maior honraria do estado foi entregue em cerimônia no Teatro Irmã Sania Cosmelli
terça-feira, 10 de julho de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Os homenageados reunidos (Foto: Divulgação)
Os homenageados reunidos (Foto: Divulgação)

A irmã Celma Calvão, do Colégio Nossa Senhora das Dores, a irmã Francisca, do Colégio Nossa Senhora das Mercês, a apresentadora e ícone do carnaval friburguense Marly Pinel, o historiador João Raimundo de Araújo e o Friburguense Atlético Clube receberam na última segunda-feira, 9, a Medalha Tiradentes, a maior honraria fluminense, ofertada pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Em cerimônia realizada no Teatro Irmã Sania Cosmelli, no Colégio Nossa Senhora das Dores, outros 12 friburguenses também foram agraciados com a moção de aplausos e louvor por fazer a diferença na cidade. Todos foram indicados pelo deputado estadual Wanderson Nogueira (Psol). A solenidade foi realizada em Nova Friburgo, ao invés do plenário da Alerj, por conta de 2018 ser o ano do bicentenário friburguense.

Ao ser condecorada, a irmã Celma Calvão remeteu a homenagem à congregação de Santa Dorotéia, destacando a irmã Sania Cosmelli, que acompanhou  o esforço pessoal de educar crianças e adolescentes. “Todos os docentes e técnicos também fazem parte dessa medalha. Preciso incitar a todos que governam o povo brasileiro para que respeitem e reconheçam os educadores”, frisou.

Já a irmã Francisca, do Colégio Nossa Senhora das Mercês, destacou o amor por Nova Friburgo. “Eu amo esta cidade e já falei com minha família que quero passar todos os dias de minha vida aqui. Agradeço demais por essa linda homenagem”, disse. João Raimundo enfatizou as possibilidades obtidas ao longo da vida que lhe permitiram vivenciar e escrever a história. “Eu tive a sorte de ter pessoas especiais. Colegas interessantes, inteligentes que viam a vida de forma diferente. Sou um eterno lutador. Venho lutando por uma plenitude dos direitos sociais e humanos e tentando criar um mundo mais fraterno, apesar de toda dificuldade”, discursou o historiador.

A alegria contagiante de Marly Pinel não passou em branco. Diversas histórias e causos foram contados pela considerada rainha do carnaval friburguense. “Muito obrigado pelo reconhecimento. Sou muito ousada e acredito que ser quem eu sou me trouxe até aqui. Tenho muito orgulho de ser friburguense e de ter feito o máximo pela minha cidade”, falou.

A única instituição a receber a Medalha Tiradentes foi o Friburguense Atlético Clube. O presidente do Tricolor da Serra, Wagner Faria, enalteceu o “filho” mais famoso da cidade. “O Friburguense é o filho da nossa terra. É uma alegria muito grande, logo neste ano tão especial que Nova Friburgo completa 200 anos. Onde quer que nós estejamos o Friburguense está sempre presente ao lado da cidade”, destacou.

Moções de louvor

Os 12 friburguenses que receberam a moção de aplausos e louvor da Alerj foram Jane Ayrão, do Colégio Anchieta; Thereza Barroso Albuquerque e Mello, pelo trabalho no Pró-Memória; a fotógrafa Regina Lo Bianco; o jovem escritor Pedro Veroneze; a historiadora Janaína Botelho e o professor e conferencista Hamilton Werneck, ambos colunistas de A VOZ DA SERRA; a educadora Jean Beatriz Fersura Wermelinger; o Colégio Nossa Senhora das Dores; a Associação da Mulher Mastectomizada de Nova Friburgo (Amma); a equipe de esportes da Rádio Nova Friburgo AM, liderada pelo locutor esportivo Fernando Bonan; o jogador do Friburguense, Flávio Chagas, o Ziquinha; e o esportista José Tadeu.

Publicidade
TAGS: