Orquídeas exóticas estão expostas em horto de Mury até esta quinta

Flores, inclusive espécime endêmica de Friburgo, pertencem à coleção do especialista Paulo Mineiro
quarta-feira, 21 de novembro de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Paulo Mineiro e as orquídeas púrpuras, endêmicas da região de Friburgo  (Fotos: Gabriela Mineiro)
Paulo Mineiro e as orquídeas púrpuras, endêmicas da região de Friburgo (Fotos: Gabriela Mineiro)

Os apaixonados pelas belezas das exóticas orquídeas poderão participar até o próximo dia 22 da “Expo Viva Orquídea”, que acontece no Horto Klein, na RJ-116, Km 73, em Mury, com flores da coleção do orquidófilo Paulo Mineiro. A exposição estará aberta à visitação todos os dias, das 9h às 17h, e permite aos fãs da natureza a aquisição de flores e também a realização de consultorias com o cultivador e colecionador.

Mineiro exibe no local sua coleção exótica com muitas orquídeas e bromélias, além de acessórios para as plantas. A exposição tem atraído apaixonados por flores e, nesta semana, contou ainda com a presença da pesquisadora e fotógrafa Izabel Moura Miller, uma das escritoras do livro “Serra dos Órgãos - Sua história e suas orquídeas”. Izabel é ex-mulher do irlandês David Miller, falecido em 2011, com quem desenvolveu um grande projeto de conservação em Nova Friburgo.

Friburgo possui espécie endêmica de orquídea

Nova Friburgo tem uma estreita relação com as orquídeas, o município inclusive é berço da “orquídea púrpura”. A espécie endêmica, cujo nome científico é Cattleya Dormaniana (foto), é considerada rara. A orquídea, de pétalas rosadas, pontudas e levemente onduladas, foi trazida pela primeira vez na Inglaterra, em 1879, após ser encontrada no município e integrar a coleção de Charles Dorman — daí o nome dormaniana.

Motivado pela inspiração das orquídeas brasileiras que ficavam penduradas na casa de sua avó, o irlandês David Miller resolveu se mudar para o Brasil e se estabelecer em Nova Friburgo, mais precisamente em Macaé de Cima, na década de 50, onde passou a desenvolver projetos de pesquisa, conservação e regeneração da Mata Atlântica pluvial no estado do Rio, junto ao amigo Richard Warren, phD em botânica, e sua esposa Isabel Moura Miller.

As pesquisas e observações do trio em Macaé de Cima foram publicadas no livro “Orquídeas do alto da serra da mata atlântica pluvial do sudeste do Brasil”, fruto de um trabalho de pesquisa e levantamento realizado durante 16 anos e que abrangeu 270 espécies com 66 gêneros de orquídeas com ocorrência acima de um mil metros de altitude. A publicação é, até hoje, considerada uma das obras de maior importância no estudo das orquídeas. Miller publicou também o livro, “Serra dos Órgãos – sua história e suas orquídeas”, com Richard Warren,  Seehawer Helmut e Izabel Moura Miller.

 

Publicidade
TAGS: