O nosso bebê do rock

Giovana Aguilera, 12 anos, unplugged: jovem talentosa de Friburgo fala de seus sonhos e planos musicais, como compor
sábado, 13 de julho de 2019
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
A fala é rápida, entremeada por risos, como a de qualquer garota de 12 anos. Mas quando começa a cantar, seja no palco, com banda, ou acompanhada apenas do violão, Giovana Aguilera cresce, se agiganta, revela toda a sua maturidade. Com mais de sete mil seguidores somando Instagram e YouTube (clique para seguir), entre eles o produtor Rick Bonadio e músicos como Dinho Ouro Preto e os integrantes da banda Raimundos, a menina friburguense arrebata plateias e conquista novos fãs a cada show em que mostra seu talento. O próximo será neste sábado, 13, Dia Mundial do Rock, na Curadoria, no Espaço Arp, a partir das 17h.

“O rock é um dos melhores estilos musicais do mundo, as pessoas se sentem tão vivas!”
Nessa entrevista, com vídeo, gravada no estúdio de A VOZ DA SERRA, a jovem estudante do Colégio Anchieta fala de seus sonhos, seus gostos e planos musicais, que incluem coragem para cantar  composições próprias, no melhor estilo “A Star is Born” (Nasce uma estrela”). Se 13 de julho é dia de rock, bebê, Giovana é o nosso bebê do rock. E já uma estrela. 

AVS: Fale um pouquinho de você e sua herança musical, como descobriu esse dom?

GIOVANA AGUILERA: Meu pai toca, meu irmão também, e minha avó materna (Terezinha) canta no coral e tem uns agudos bizarros (rs). Comecei cantarolando músicas no carro, voltando da escola.

Qual foi sua primeira inspiração?

Logo na minha primeira aula de canto fiquei viciada em (a boyband) One Direction, cantava aquilo o dia inteiro. Hoje tem outras: Ariana Grande (Giovana lidera a fanpage da cantora em Nova Friburgo, Billie Eilish, Steven Tyler, Fred Mercury, Ed Sheeran, Taylor Swift....

Se pudesse escolher ser uma cantora, quem gostaria de ser?

Ariana Grande, claro! (rs)

Que outros músicos você admira, quais bandas ouve?

Imagine Dragons, Guns, Queen, Scorpions, Rolling Stones, Aerosmith, Jonas Brothers...

Herdou de quem esse gosto?

Quem me apresentou ao rock e ao pop foram meus pais, que curtiram muito a música dos anos 80, 90. Esses caras que cantavam muito, Kurt Cobain, Fred Mercury...

Qual o show mais marcante que você viu?

Foram dois: Maroon Five no Rock in Rio 2017, eu chorava tanto, e Ariana Grande, fiquei pertinho dela.

Qual show ainda não conseguiu ver e adoraria?

Aerosmith, mas já estão na última turnê, não sei se vai rolar… Vi Guns & Roses, mas o Axl está meio fraquinho (rs) … Vou neste Rock in Rio ver Red Hot (Chili Peppers), Panic! At the Disco, Foo Fighters, Brendon Urie (da Panic) ao vivo! 

Qual o seu maior sonho?

Cantar e dançar num palco bem grande para pessoas que me apoiam e passar aquela energia boa para todas elas. Vamos curtir juntos.

Como é sua rotina de preparação musical, aulas, cursos?

Todas as aulas que eu faço, desde os 8 anos, são na Belting Music Club. Segunda faço canto e violão, quarta canto e piano, quinta composição e baixo. Amo todos os professores, eles são incríveis.

Qual a sua maior dificuldade, o que acha que mais precisa aperfeiçoar?

Canto, violão, tudo. Tudo tem como ficar melhor. Agora estou treinando mais os meus agudos, daqui a pouco mais, os graves. No violão agora estou começando a aprender uns solos, músicas mais complexas. No piano também. Em casa eu grito os agudos até conseguir chegar na nota, e quando eu chego vibro muito: “Pai, consegui!”

Como concilia estudos, a vida de adolescente, com a carreira musical?

Para mim é tranquilo, estudo antecipadamente. Meus amigos adoram ir a meus shows, ligam a lanterna dos celulares e tudo, são muito legais. É muito difícil achar gente que te apoia sem inveja.

Na escola, de quais matérias gosta mais, de quais não gosta tanto?

Amo educação física, matemática e história. O resto eu odeio (rs). Geografia é a pior coisa do mundo, ciências também: para quê aprender sobre tipos de fungos? Português eu já falo! (rs)

Qual profissão seguiria se não optasse pela música?

Queria ser arquiteta ou professora de educação física.

Você tem hobbies?

Gosto de assistir a séries, praticar esportes. Amo basquete, melhor esporte da vida. Aqui em Friburgo podia ter uma escolinha de basquete feminino. Quero isso há mais de dois anos.

Como lida com a fama, com o sucesso?

Gosto de ouvir elogios. Ter fãs é muito incrível, aproxima pessoas, cria amizades.

Tem ou já teve alguma frustração grande?

Uma coisa que nao gosto de fazer é cantar com outra pessoa sem ensaiar, de improviso. Fico insegura. Mas, se for para fazer, dá para ir na fé, dá-se um jeito (rs).

Acha que os compromissos com a música a fez amadurecer mais depressa?

Óbvio! Para mim é compromisso mesmo. Nem as festas vou se tiver que ensaiar. A gente se diverte muito ensaiando.

Como você se vê daqui a cinco, dez anos?

(Hesita). Continuar seguindo a vida de cantora e lançar coisas minhas. Só cantei música minha uma vez num show, tenho vergonha. “Cold Colours” (música de sua autoria) o pessoal gosta. Quero investir mais nisso, este ano estou compondo.

Qual música não pode faltar no seu repertório?

Eu amo cantar “Sweet child of mine” (Guns & Roses), eu sinto uma coisa quando canto essa música. “High Hopes” (Panic! At the Disco) me sinto bem cantando também e o pessoal gosta. “Whole Lotta Love” (Led Zeppelin) até quando eu fizer um show só autoral vou continuar cantando como cover.

Giovana Aguilera por Gigi?

Uma garota que está buscando seu sonho de cantar para as pessoas e fazê-las se sentirem felizes.

O que o rock significa para você?

O rock deu uma morrida, mas eu e várias pessoas estão aqui para trazê-lo de volta. Nesses prêmios famosos, a melhor banda de rock é mais pop do que rock. O rock é um dos melhores estilos musicais do mundo, as pessoas se sentem tão vivas!

 

LEIA MAIS

Cantora de 24 anos faz Lulu Santos virar a cadeira para sua interpretação de Adele

Evento contará com 13 apresentações individuais de voz e piano e será encerrado pela revelação Giovana Aguilera, de 12 anos

No teatro do Country Clube tem Camerata de Violões, dirigida por Valmyr Oliveira

Publicidade
TAGS: Música