O amor tem idade?

Acadêmico descreve a experiência do amor maduro
sábado, 09 de junho de 2018
por ilei Costa, especial para A VOZ DA SERRA
Foto de capa

O amor? Ah, o amor! Ele existe desde que o mundo é mundo. Atravessou épocas, unindo homens e mulheres naquela sensação absurda do tudo e o nada.  Do querer estar junto e de sentir o calor, o aconchego, o cheiro. Ouvir a voz baixinho, com a sonoridade dos pássaros. Mas, sobretudo, existir como a força dos furacões que não conhece obstáculos já que, verdadeiramente, nada os detêm.

O embrião surge naquele inocente beijo dado nos passos iniciais da escola. Fortalece no furtivo beijo na adolescência. Alça voo quando se sentem maduros e tão próximos, transformados em fortalezas que se fundem na jura do amor eterno.   

Mas, esses passos, todos eles, às vezes se perdem no caminhar da vida e ganham eco no encontro de corações maduros. Cada qual com seus desencantos, seus traumas, suas pesadas dores. Aí, mais do que o bater deles, o sorriso é a grande porta que se abre e a alma se desnuda para o viver compartilhado; para o calor de abraços e apoio de ombros; para a doçura do beijo jamais experimentado.

Ordilei é escritor e membro da Academia Friburguense de Letras

 

LEIA MAIS

Apesar da queda no número de casamentos civis, casais friburguenses se inspiram e revelam o desejo de oficializar união

Padre Alex de Paiva Ribeiro fala da vida de Santo Antônio e de sua fama de casamenteiro

Movimento do comércio teve a 4ª retração seguida, embora queda tenha sido menor em relação a 2016

Publicidade