Nova Friburgo vira referência nacional de prevenção a desastres naturais

Projeto Gides, realizado na cidade, foi concluído em dezembro passado e apresentado pelo governo federal
sexta-feira, 11 de janeiro de 2019
por Ana Borges (ana.borges@avozdaserra.com.br)
Nova Friburgo vira referência nacional de prevenção a desastres naturais

Em meados de novembro de 2011, o coordenador de Defesa Civil de Nova Friburgo, coronel bombeiro João Paulo Mori, esteve com representantes da empresa Jica (Agência Japonesa de Cooperação Internacional). Os visitantes participaram de uma reunião no quartel central do Corpo de Bombeiros, no Rio, onde se encontraram com Mori, que proferiu uma das palestras, manifestando o interesse de conhecer Nova Friburgo e ver de perto as consequências da tragédia do início daquele ano, que poderia resultar num intercâmbio ou ajuda material.

Em Nova Friburgo, Mori os levou aos bairros Vilage, Suspiro, Duas Pedras e Córrego Dantas. Nestes locais, se depararam com um cenário de destruição para o qual não estavam preparados. Ficaram profundamente chocados. Principalmente, considerando que na região onde vivem não há montanhas e os problemas são furacões ou inundações.

Comentaram que tanto no Japão quanto no Brasil, a reconstrução sempre custa mais caro que a construção e que a Defesa Civil nacional e estaduais, devem apoiar as municipais, que não têm recursos. Citaram ainda que a recuperação após o tsunami e terremoto no Japão, foi mais rápida porque lá, a burocracia é muito menor.

Os especialistas japoneses almoçaram no 6º Grupamento de Bombeiro Militar e visitaram a sede da Defesa Civil municipal. Como consequência da visita, ficaram de manter contato para futuras cooperações e ajudas, podendo ser a realização de um curso, área em que têm atuação destacada, além de recomendações sobre treinamentos com a população. Também teceram elogios à cartilha preparada pela Defesa Civil estadual, com 10 mil exemplares, distribuídos à população friburguense.

Em 2015, o chefe da equipe japonesa do Gides, Takao Yamakoshi (foto), e outros três técnicos japoneses vieram a Nova Friburgo, realizaram uma visita de cortesia à Prefeitura Municipal, dando inicio à coopperação entre o Japão e Nova Friburgo.

Há oito anos, Nova Friburgo passava por um dos momentos mais difíceis da sua história. O fenômeno climático que acometeu a cidade a partir da noite do dia 11 de janeiro de 2011, avançando pela madrugada do  dia 12, mudou o perfil de respostas às situações de risco do município. Para marcar a data, foram apresentados ao prefeito Renato Bravo os seis manuais do Projeto de Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada de Riscos em Desastres (Gides), fruto da participação da cidade no Acordo de Cooperação Técnica Internacional entre os governos do Brasil e Japão.

A apresentação dos documentos ao prefeito foi feita pelos subsecretários de Obras, Luiz Claudio Gonçalves; Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, Alexandre Sanglard; de Defesa Civil, Robson Teixeira e de Desenvolvimento Econômico, Walter Thurler.

Juntamente com Petrópolis (RJ) e Blumenau (SC), Nova Friburgo ingressou no projeto como cidade-piloto em 2013 para capacitar representantes visando a construção de ferramentas para diagnosticar áreas de risco, planejamento urbano e proposição de políticas preventivas a desastres naturais. O trabalho de transferência de tecnologia internacional envolveu equipes multidisciplinares das esferas municipal, estadual e federal, além de universidades. Todo esse estudo resultou no lançamento de seis manuais sobre sistema de alertas, ruptura de encostas, mapeamento de risco, movimentação de massas, fluxo de detritos e planejamento urbano.

O protagonismo de Nova Friburgo no projeto trouxe uma diferenciação da cidade em relação aos demais municípios com áreas de risco no país. Entre os avanços, estão a conclusão de obras de contenção em encostas, dragagem de rios e a implantação do sistema de alerta e alarme. Agora, o município entra em outra etapa do Gides e busca a continuidade aos estudos, entrando em um processo de fiscalização e educação, preparando o poder público e população para aplicar os instrumentos traçados pelos manuais.

Para a Prefeitura de Nova Friburgo, o esforço de fortalecimento das estratégias de prevenção aos desastres vai além e já figura na nova Lei Orgânica e nos dispositivos orçamentários das secretarias envolvidas neste enfrentamento, como Meio Ambiente, Obras e Defesa Civil. Sensibilizado com o resultado, o prefeito Renato Bravo disse que vai buscar recursos financeiros para continuidade destas ações.

“Tudo o que conseguimos instituir como medida de prevenção está perfeitamente alinhado com as propostas apresentadas pelas novas gestões do Estado do Rio de Janeiro e do Governo Federal. O nosso objetivo não é ficar apenas no discurso. Vamos buscar mais parcerias para estruturar os setores responsáveis e iniciar a execução do que está estabelecido nos manuais aqui na cidade. O que aconteceu em 2011 foi tão impactante que ilustra os manuais e esse material será usado como orientação para todos os outros municípios brasileiros. O maior compromisso da nossa gestão é preservar vidas”, destacou o Renato Bravo.

As informações contidas nos manuais serão compartilhadas com os ministérios públicos Estadual e Federal, em seminário a ser agendado e, posteriormente, com a sociedade civil e imprensa, para replicar o conhecimento sobre a condição da cidade pós-fenômeno climático.

 

LEIA MAIS

Para Christiane Mussi, reúne potencial para o turismo de montanha, mas precisa investir no setor

Evento vai reunir boas opções de arte, música e cultura de 10 a 18 de julho

Motivo é o fenômeno El Niño, que vem influenciando o clima no Brasil desde o verão

Publicidade
TAGS: Clima | 2011