No Debossan, moradores flagraram descarte irregular de lixo

Local recebe entulho de obras, pneus, eletrodomésticos, entre outros materiais
terça-feira, 30 de abril de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
No Debossan, moradores flagraram descarte irregular de lixo

Motivada pela reportagem de A VOZ DA SERRA no último fim de semana, uma moradora do bairro Debossan, no distrito de Mury, entrou em contato com nossa equipe para denunciar os maus hábitos de algumas pessoas que insistem em descartar o lixo em locais indevidos. De acordo com a moradora, uma lixeira instalada na altura do quilômetro 69 da RJ-116, sempre foi de grande utilidade e de uso consciente, mas nos últimos meses o local tem se transformado em um vazadouro de entulho e lixo de todo tipo.

“Moradores de outras localidades têm vindo descartar aqui  pneus, móveis velhos, eletrodomésticos, vidros quebrados, espelhos, entre outros, o que pode ocasionar um acidente com pedestres que passam às margens da rodovia, principalmente crianças e idosos que passam por aqui em direção a um ponto de ônibus. Estamos ficando no meio do lixo, literalmente. Essas pessoas têm descartado lixo aqui em horários diferentes e principalmente bem tarde da noite, para não serem identificadas, pois sabem que isso é proibido e o caminhão da coleta não o retira. Além de trazer transtornos para nós que moramos e utilizamos o ponto de ônibus, tem aparecido muitos roedores em nossas casas”, denunciou a moradora.  

Ela acredita que se a lixeira fosse colocada em outro local, a situação possa melhorar. “Nós moradores achamos que o jeito para acabar com esse descarte aqui é retirar a lixeira e cada morador possuir a sua. Seria possível atender a nosso pedido?”, sugere. Ela  também apela a prefeitura para instalar placas de identificação do ponto de parada de ônibus e outra alertando aos infratores que é proibido o descarte de lixo ilegal ali.

 

LEIA MAIS

Deixado nas ruas de maneira incorreta, lixo causa danos ao meio ambiente e à saúde

Grande quantidade de lixo descartada nas ruas, de forma irregular, mostra que cidade não aprendeu com tragédias do passado

Foto da galeria
Publicidade