Na estreia do 2º turno, América vira e bate o Friburguense

Equipe serrana abre placar com 2 a 0 de vantagem, mas não aproveita as oportunidades e perde por 3 a 2
segunda-feira, 16 de julho de 2018
por Vinicius Gastin
Foto de capa
Cadão lembra situações atípicas, lamenta resultado, mas elogia atuação

Foi um grande jogo, onde uma das velhas máximas do futebol se fez presente ao estádio Giulite Coutinho na tarde do último sábado, 14. O “quem não faz leva” serve para traduzir um jogo onde o Friburguense dominou as ações, abriu 2 a 0 de vantagem no marcador, mas não aproveitou as oportunidades para matar o confronto que terminou com a vitória do América por 3 a 2.

O Friburguense ainda se prejudicou com suspensões e lesões. Já sem Bidu, Sérgio Gomes, Jorge Luiz e Jefinho, o Tricolor perdeu na partida de estreia na Taça Corcovado, Bruno, Damião e até mesmo o goleiro Luiz Felipe por lesão.

Lohan, autor de um dos gols, terminou o jogo com a camisa 12 e luvas. O outro tento foi anotado por Lucas Sales, enquanto para o América, que buscou a virada no último minuto, aos 52 da etapa final, marcaram Crispim, Rafael Carioca e Daniel.

“Quem teve a oportunidade de acompanhar o jogo sabe como foi. Em termos de resultado, lamentamos, mas conseguimos dominar o América, marcar bem e jogar quando tivemos a bola. Fizemos os gols, mas nos últimos 15 minutos aconteceram coisas atípicas, do futebol. Perdemos três ou quatro atletas por lesão. Isso foi fundamental para que perdessemos o jogo. Mas o importante é que o grupo absorveu o que tentamos passar e conseguiu fazer um bom jogo. Vamos tentar repetir contra o Santa Cruz e buscar a vitória na quarta-feira”, avalia o técnico Cadão.

O próximo compromisso do Friburguense é o jogo contra o Santa Cruz nesta quarta-feira, 18, às 15h, no Eduardo Guinle. Os ingressos são vendidos nas bilheterias do estádio, a partir de R$ 10.

Pintura de Sales

Concorrente direto, apontado como adversário direto na briga pelo acesso, jogo fora de casa e o Friburguense repleto de desfalques. Familiar? Sim. Essa foi a tônica do Tricolor da Serra nos jogos contra o Tigres do Brasil e Americano, e voltou a ser realidade diante do América. Não bastassem Sérgio Gomes e Bidu suspensos, Cadão ainda não pôde contar com Jorge Luiz. E na quinta-feira anterior, durante o coletivo, perdeu também o meia Jefinho, que voltou a sentir lesão. E mais: Vitinho, com problemas na parturrilha esquerda, atuou praticamente no sacrifício.

A tabela da Série B1 e de qualquer outro campeonato, entretanto, não alivia ninguém por desfalque. Pelo contrário, desafia, exatamente no duelo que poderia aproximar o time de Nova Friburgo dos líderes na classificação geral. O Friburguense foi a campo com Murillo pela direita e Dieguinho no meio, assim como já havia atuado diante do Tigres. As notícias boas foram o retorno de Lohan e a presença de Gleison no banco de reservas. Foi exatamente do camisa nove a primeira tentativa de finalização, após bola rebatida na grande área.

Em meio ao equilíbrio e a marcação encaixada, os espaços apareciam para o Friburguense. Aos 12 minutos, Vitinho arrancou de trás do meio-campo, e fez belo passe em profundidade para Dedé. O atacante ajeitou o corpo e bateu, mas não pegou em cheio na bola. O América, por sua vez, só conseguiu levar algum perigo quando Nivaldo aproveitou bola rebatida pela defesa e arriscou, à esquerda de Luiz Felipe. Problema mesmo foi a lesão de Bruno, aos 26 minutos. O zagueiro, que já substituía os suspensos Sérgio e Bidu, deu lugar a Rômulo, com Murillo passando a atuar ao lado de Marcão.

O Friburguense superou todas essas adversidades, seguiu postado, concentrado e foi letal aos 33 minutos: Dedé puxou o contra ataque e rolou para Lohan. O camisa nove apenas escorou para Lucas Sales, na entrada da área, acertar lindo chute no ângulo esquerdo de Rafael e abrir o placar. Sem reação, o América tentou atacar de forma desorganizada e ofereceu ainda mais espaços. Aos 43, Vitinho, por muito pouco, não achou Lohan em condições em marcar.

Frizão não “mata”e sofre castigo

O América mexeu, mas foi o Friburguense quem voltou com tudo para o segundo tempo. Logo no primeiro minuto, Dedé encarou a marcação de Quaresma, passou com bonito drible, invadiu a grande área e bateu cruzado, para a boa defesa de Rafael.

Aos três minutos, novo contra golpe, desta vez puxado por Sales. A bola chegou até Lohan, que arriscou de canhota da entrada da área e contou com a colaboração de Rafael para ampliar o marcador. A oportunidade do terceiro surgiu pouco depois, quando Vitinho acionou Sales. O chute, porém, saiu mascado e sem direção.

Depois dos dez minutos intensos do Tricolor, o América respirou quando Daniel fez boa jogada pelo miolo de ataque e sofreu falta na risca da meia lua da grande área. Na cobrança, Luiz Felipe caiu no canto esquerdo e fez boa defesa. Neste exato minuto, Luisinho lançou Rafael Carioca, mais um atacante na equipe da casa. Ainda antes do tempo técnico veio a terceira alteração.

O controle do jogo, no entanto, era todo do Friburguense. As lesões, como a de Damião aos 18 minutos, incomodavam bem mais que o próprio América. Em campo, Sales teve a chance do terceiro gol, mas não acertou a finalização. A velha máxima do “quem não faz, leva” prevaleceu, e bastou um descuido, aos 27 minutos, para Crispim aproveitar e diminuir o marcador.

O alvirubro entrou no jogo, e pouco depois, Crispim perdeu grande chance, cara a cara com Luiz Felipe, que fez grande defesa. A pressão surtiu efeito, e Rafael Carioca subiu mais que a defesa em cobrança de escanteio para empatar, aos 36.

O drama aumentou porque, neste lance, Luiz Felipe se lesionou e não teve condições de permanecer em campo. Como Cadão já tinha feito as três alterações, Lohan foi para o gol. O América, ainda que desorganizado, conseguiu encontrar o gol da virada com chute de Crispim, desviado por Daniel, em uma das últimas tentativas, aos 52 minutos. Um duro golpe para quem poderia ter deixado o campo com três pontos.

LEIA MAIS

Chances de brigar pelo acesso, que já eram remotas antes da partida, ficaram ainda menores

Jogo de volta, dia 22, definirá quem avança às quartas de final da Copa Rio

Tricolor da Serra encara o Bangu, e o primeiro jogo acontece nesta quarta no Eduardo Guinle

Publicidade
TAGS: futebol