Na esburacada RJ-160, motoristas têm que dirigir a 20km/h

Estrada que liga Cantagalo a Carmo tem tantas crateras que mau estado de conservação foi parar na Justiça
quinta-feira, 27 de junho de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
As crateras na estrada, fotografadas por um leitor
As crateras na estrada, fotografadas por um leitor

Motoristas que passam todos os dias pela rodovia RJ-160, que liga os municípios de Cantagalo e Carmo, não aguentam mais esperar por reparos na estrada há anos encontra-se repleta de buracos. No fim do ano passado, a Justiça determinou ao Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Rio de Janeiro (DER-RJ) o urgente recapeamento da via, mas até agora a ordem não foi cumprida. 

A buraqueira na RJ-160- impressiona, sobretudo no trecho de Santa Rita da Floresta, distrito de Cantagalo, ao Córrego da Prata, distrito de Carmo. Os problemas começam a partir do Trevo da Aldeia. Há tantos buracos na pista que os motoristas são obrigados a trafegar a 20 quilômetros por hora para não causar danos ao veículo. “Está cada vez pior. O motorista tem que passar de primeira marcha, bem devagar, para não acabar com o alinhamento dos pneus do veículo”, disse o assistente de contabilidade Carlos Henrique da Silva. 

Ele mora em Monnerat, distrito de Duas Barras, e viaja semanalmente à Leopoldina-MG para visitar a namorada. “Prefiro de ir de ônibus. Porque se vou de carro, tenho prejuízo”, afirmou. De acordo com Carlos Henrique, a situação é ainda mais caótica logo após o posto da Polícia Rodoviária estadual. “É onde inicia o trecho de serra, no sentido ao município de Carmo. A buraqueira pode causar terríveis acidentes lá”, disse ele. 

Alexandre Barroso costuma trafegar pela rodovia todos os dias. O comerciante trabalha em Santa Rita da Floresta e confessou que passa no meio da estrada ou no acostamento para evitar os buracos. “Não dá para trafegar nas pistas, em qualquer dos sentidos. Passo no meio da pista ou no acostamento. Dia desses, à noite, atropelei um tamanduá que saiu do acostamento. Não vi o bicho”, lamentou ele. 

Ação na Justiça e multa

Em novembro do ano passado, o Ministério Público estadual, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Três Rios, obteve decisão liminar obrigando o estado e o DER-RJ a consertar e recapear trechos da RJ-160. De acordo com a ação, ao longo de um trecho de 15 quilômetros da rodovia, entre Influência e Córrego da Prata, “constata-se que a estrada está tomada por buracos e não há condições mínimas de segurança aos usuários".

O MP ainda pediu obras na RJ-144, rodovia que liga Carmo à Duas Barras. Cerca de 100 fotografias, realizadas pelo Grupo de Apoio às Promotorias (GAP/MPRJ) de Teresópolis para instruir a petição inicial, comprovam que diversos pontos carecem urgentemente de manutenção por causarem transtorno à população e prejuízos financeiros.

Outra preocupação apontada na ação civil pública movida pelo Ministério Público é que há décadas o DER realiza, esporadicamente, apenas o recapeamento do asfalto das rodovias, o que provoca aumento das ondulações e desníveis nas vias, pondo em risco diariamente todos que circulam pelas estradas. Ainda segundo a ação, por outro lado, quando não existe essa manutenção, as crateras aumentam e os trajetos ficam intransitáveis.

Multa de R$ 20 mil 

Na decisão, a Justiça determinou ao DER o imediato início das obras na RJ-160, sob multa diária de R$ 20 mil. Com a determinação de urgência requerida pelo MP, o DER-RJ publicou, ainda em novembro passado, um edital de licitação de serviços técnicos especializados para elaboração de projeto básico de engenharia rodoviária destinado a restauração dessas partes. As obras, porém, não saíram do papel, então o juiz aumentou a multa para R$ 100 mil. O órgão fez pequenos reparos na via, mas os buracos continuam.

O que diz o DER-RJ

Procurado por A VOZ DA SERRA nesta quarta-feira, 26, o DER-RJ informou  apenas que “iniciou processo licitatório para contratação de serviços de conservação e manutenção na rodovia”. O órgão, contudo, não informou quando as obras devem começar na estrada. 

No mês passado, o DER-RJ comunicou que receberia R$ 120 milhões de um convênio firmado com o Detran para recuperar as estradas do estado. Os recursos serão utilizados na recuperação de seis mil quilômetros da malha rodoviária do estado, detalhou o órgão, incluindo a pavimentação de rodovias, restauração e recuperação de pontes, passarelas e viadutos, sinalização e manutenção corretiva e também na ação preventiva.

 

LEIA MAIS

Serviço de implantação de rede pluvial para evitar alagamentos deve durar uma semana

Interdição, durante uma semana, ocorrerá das 7h às 16h, para construção de rede de água pluvial

Importante para o turismo e para a agricultura, Terê-Fri recebe cerca de 600 caminhões por dia que escoam a produção de 90% das hortaliças consumidas no estado

Publicidade
TAGS: obra