Mury sofre inundação mesmo com pouca chuva

Cabeça d’água em Debossan chegou a 148mm, volume 7,4 vezes maior que o registrado no centro do distrito
quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
Posto de combustível em Mury ficou inundado (Foto de leitor)
Posto de combustível em Mury ficou inundado (Foto de leitor)

A cabeça d’água que caiu no alto da serra na noite desta quarta-feira, 27, fez Mury sofrer uma inundação com pouquíssima chuva. O temporal, que começou por volta das 21h, ficou concentrado na região de Debossan e Theodoro de Oliveira. O pluviômetro da concessionária Águas de Nova Friburgo instalado no reservatório da Estação de Tratamento de Água (ETA) em Debossan registrou, em uma hora, nada menos que 148 milímetros de chuva. O volume é 7,4 vezes maior do que a quantidade medida pela Defesa Civil de Nova Friburgo em Mury: apenas 20mm. A precipitação máxima registrada pelos pluviômetros da Defesa Civil foi no Caledônia: 75,45mm.

A chuva concentrada fez o Rio Santo Antônio subir rapidamente, transbordar e alagar ruas e casas em Mury. O trânsito na RJ-116 chegou a ser interrompido. O campo de futebol às margens da rodovia ficou completamente inundado. Moradores e comerciantes passaram a noite e a manhã limpando a lama deixada pela enchente. Também houve quedas de árvores e barreiras na estrada que dá acesso a Macaé de Cima, que chegou a ficar bloqueada durante horas. Apesar dos danos, não há desabrigados ou desalojados, segundo a Defesa Civil municipal.

O fenômeno, semelhante ao ocorrido no mesmo lugar há pouco mais de dois anos, em novembro de 2016, é o primeiro teste prático da ETA móvel que a Águas de Nova Friburgo instalou recentemente em Debossan para suprir a demanda e evitar interrupções no fornecimento de água em casos de chuvas torrenciais. A medida faz parte do plano de contingência adotado pela empresa diante de constantes problemas no abastecimento, como o que deixou parte de Friburgo sem água no fim do ano.

Relembre o caso de 2016

Em 12 de novembro de 2016, por volta das 22h de um sábado, uma cabeça d’água na cabeceira do Rio Santo Antônio, em Macaé de Cima, fez o volume de água do rio subir rapidamente e chegar a Mury com grande força. “Enquanto estávamos tirando tudo a água começou a subir e gerar correnteza. De repente a força da enxurrada foi tanta que levou metade da parede, arrebentou os fios de energia, causou um curto e quase morremos eletrocutados”, contou na época o sacoleiro Marcelo Lima Ferreira, dono de um depósito na Rua Oscar Augusto Ferreira, onde todas as casas ficaram inundadas.

Moradores passaram a  madrugada retirando lama e tentando salvar móveis e objetos atingidos pelo temporal. A Defesa Civil precisou vistoriar 60 imóveis.

Carnaval 2019 com chuva

De acordo com a Defesa Civil de Nova Friburgo, o tempo segue instável em todo o estado. O tempo irá variar entre parcialmente nublado e encoberto, com previsão de chuvas fracas a moderadas e, ocasionalmente, fortes e em pontos isolados da cidade a partir da tarde desta quinta-feira, 28.

Moradores de áreas de risco devem permanecer atentos aos avisos das sirenes e das mensagens de alerta enviadas pela Defesa Civil por SMS.  Quem ainda não recebe as mensagens do órgão, pode fazer o cadastro pelo número 40199, informando o CEP de onde mora. O telefone do órgão é 199.

 

LEIA MAIS

Roxo e branco das flores em contraste com o céu azul promovem espetáculo de cores neste fim de outono

Cinco bandas tocam de graça na Getúlio Vargas das 14h30 às 21h para arrecadar roupas de frio e espalhar “sinapses do bem”

Mínima oficial ficou entre 7 e 8. Empresa assegura que equipamento é confiável e reflete “temperatura real”

Publicidade
TAGS: Clima