MP pede à Justiça fim da taxa de licenciamento do Detran

Boletos de R$ 144,68 começam a ser emitidos na segunda
sexta-feira, 01 de fevereiro de 2019
por Paula Valviesse (paula@avozdaserra.com.br)
O CRLV, documento do carro que só sai mediante pagamento de taxa
O CRLV, documento do carro que só sai mediante pagamento de taxa

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) protocolou nesta quinta-feira, 31 de janeiro, junto à 16ª Vara de Fazenda Pública, um pedido para que seja suspensa a cobrança da taxa de licenciamento do Detran, no valor de R$ 144,68. Segundo o órgão, é aguardada agora a manifestação da Justiça sobre a solicitação. Essa é a segunda ação feita pelo MPRJ.

O pedido é feito após a decisão do Detran de suspender a cobrança da taxa de emissão de documento, no valor de R$ 57,87, mas manter a taxa de licenciamento de R$ 144,68, como forma de cumprir a medida judicial, cuja liminar conseguida pelo MPRJ, expedida no dia 23 de janeiro,  suspendeu o pagamento cumulativo das taxas para a emissão do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) e de licenciamento anual.

O fim da vistoria anual dos veículos nos postos do Detran foi determinado por um decreto do governo estadual. Em vigor desde 1º de janeiro, a medida dispensa a inspeção para os carros de passeio, sendo mantida apenas para os automóveis submetidos à transferência de município, estado ou propriedade, além de veículos coletivos de passageiros (ônibus, micro-ônibus e vans), de carga e de transporte escolar.

A partir desta decisão, foi publicada no dia 11 de janeiro uma portaria do Detran para estabelecer as novas regras para o licenciamento dos veículos. E desde então tem se travado uma batalha judicial entre o Governo do Estado, responsável pelo Detran, e o Ministério Público sobre a regularidade das cobranças.

Pelas regras iniciais, os motoristas precisavam efetuar pagamentos referentes ao licenciamento, no valor de R$ 202,55, e agendar a retirada da documentação nos postos do Detran. E na primeira ação do MPRJ, foi solicitada o fim desse acúmulo de taxas, sendo justificado pelo órgão que a cobrança era indevida, uma vez que com o fim da vistoria obrigatória o Estado abriu mão de fiscalizar os veículos antes de emitir o certificado, cabendo tal fiscalização ao proprietário do automóvel.

A decisão, tomada por meio da 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da Capital, obteve na Justiça uma liminar favorável à ação civil pública ajuizada no dia 18 e acatada no dia 23 do mês passado. Nela também foi questionada a exigência de uma autodeclaração dos proprietários dos veículos de que os mesmos encontram-se em perfeitas condições de trafegabilidade.

Governo do Estado está recorrendo da primeira liminar

O Governo do Estado, por meio da Procuradoria Geral do Estado (PGE), entrou com recurso na Justiça para derrubar a liminar em vigor. Segundo o Detran, a cobrança da taxa de licenciamento continua a ser cobrada por estar em consonância com o artigo 130, do Código de Trânsito Brasileiro.

Sobre a decisão, o governador Wilson Witzel já havia comentado que tais medidas seriam tomadas. Ele chegou inclusive a cogitar a possibilidade retornar com a obrigatoriedade das vistorias no Detran, caso a situação não fosse resolvida em breve.

Para Witzel, a liminar é uma decisão precária, tomada sem ouvir todas as partes envolvidas. De acordo com o governador, a taxa cobrada é pelo serviço prestado pelo Detran e não apenas por conta do fim da vistoria: “Ela é utilizada não só para vistoria, mas para custear programas de educação no trânsito e outras questões inerentes ao Detran”, afirmou o órgão, em nota.

Boletos atualizado poderão ser emitidos a partir de segunda-feira

Enquanto não há manifestação da justiça, as regras estabelecidas pelo Detran continuam em vigor. Para o licenciamento, os proprietários de veículos devem emitir a Guia de Recolhimento de Taxa (GRT), no valor de R$ 144,68, no site do banco Bradesco (www.bradesco.com.br) e efetuar o pagamento em qualquer instituição bancária.

No entanto, para excluir a cobrança da taxa de emissão do CRLV foi preciso alterar o sistema de informática, o que ocasionou a espera de, pelo menos, uma semana para que os proprietários de veículos tenham acesso a nova GRT. Com isso, os boletos de cobrança poderão ser impressos nesta segunda-feira, 4,

 

LEIA MAIS

Pagamento da primeira cota do parcelamento também vence nesta quinta

Com inscrição na Dívida Ativa, débito do imposto não prescreve após cinco anos

Decisão também impede motoristas de assumirem automaticamente que veículos estão em perfeitas condições de uso. Cabe recurso

Publicidade
TAGS: imposto