Motoristas da Uber em Friburgo aderem à greve mundial da categoria

Profissionais querem aumento na tarifa e se queixam do custo do combustível. App 99 segue em operação
quarta-feira, 08 de maio de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Por volta do meio-dia, apenas um carro disponível em Friburgo (reprodução da web)
Por volta do meio-dia, apenas um carro disponível em Friburgo (reprodução da web)

Motoristas do aplicativo de transporte particular de passageiros Uber em Nova Friburgo também aderiram à greve mundial da categoria nesta quarta-feira, 8, que deve durar até a meia-noite. Eles querem aumento na tarifa paga pelas viagens e reclamam do aumento no custo do combustível.

Em Friburgo, cerca de 90% dos motoristas estariam com os veículos parados, segundo um representante dos profissionais. Em grupos de WhatsApp da categoria, a principal recomendação é que eles mantenham o app desconectado durante todo o dia.

De acordo com um motorista ouvido por A VOZ DA SERRA e que preferiu ter sua identidade preservada para não sofrer represálias, os motoristas têm liberdade para aderirem ou não ao movimento. Ele optou pela greve e segue com o aplicativo da Uber desconectado. Há motoristas, contudo, que seguem fazendo corridas na cidade.

Como consequência pela menor quantidade de carros disponíveis nas ruas, a tendência é que as corridas fiquem mais caras para os passageiros nesta quarta. “Não queremos punir os friburguenses, mas precisamos que a Uber faça o reajuste da tarifa”, disse.

Segundo esse motorista, o app da Uber entrou em operação na cidade, em janeiro do ano passado, com menor tarifa do país: R$ 0,75 por km rodado. Em agosto, esse valor subiu para R$ 0,90, mas, de acordo com ele, segue defasado em comparação com outros municípios.

“Em Niterói, o motorista recebe R$ 1,40 por km rodado. No Rio, a tarifa é R$ 1,60. Ou seja, em Friburgo ganhamos muito pouco. Por isso, quase não tem carro rodando na cidade de madrugada. O ideal seria tarifa de, no mínimo, R$ 2. Os taxistas, por exemplo, cobram R$ 5,30 por km rodado”, afirmou o motorista da Uber.

A categoria também se queixa do aumento no custo do combustível. Em Nova Friburgo, o metro cúbico do GNV (gás natural veicular) custa R$ 3,94. Só um posto fornece o combustível no município. O movimento também quer que o destino final do passageiro seja informado ao motorista antes do aceite das corridas.

A greve dos uberistas também é registrada em outras cidades do país. Ao redor do mundo, motoristas realizam manifestações contra a empresa. Os protestos acontecem poucos dias antes de a Uber abrir seu capital na bolsa, o que está planejado para a próxima sexta-feira, 10.

Procurada, a Uber ainda não se manifestou.

App 99 em operação

Em Nova Friburgo, usuários do serviço podem optar, nesta quarta-feira, 8, pelo app 99. A VOZ DA SERRA verificou, às 13h30, que motoristas que atuam pela empresa (os mesmos da Uber) estão atendendo chamados pelo 99, cuja tarifa é mais atrativa para usuários e os próprios motoristas.

 

LEIA MAIS

Serviço, prestado inclusive nos fins de semana, evita deslocamento dos veículos e não afeta atividades de rotina

Importante para o turismo e para a agricultura, Terê-Fri recebe cerca de 600 caminhões por dia que escoam a produção de 90% das hortaliças consumidas no estado

Decisão presidencial publicada no Diário Oficial da União desta quinta suspende apenas equipamentos móveis

Publicidade
TAGS: Trânsito