Motoristas da Uber em Friburgo aderem à greve mundial da categoria

Profissionais querem aumento na tarifa e se queixam do custo do combustível. App 99 segue em operação
quarta-feira, 08 de maio de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Por volta do meio-dia, apenas um carro disponível em Friburgo (reprodução da web)
Por volta do meio-dia, apenas um carro disponível em Friburgo (reprodução da web)

Motoristas do aplicativo de transporte particular de passageiros Uber em Nova Friburgo também aderiram à greve mundial da categoria nesta quarta-feira, 8, que deve durar até a meia-noite. Eles querem aumento na tarifa paga pelas viagens e reclamam do aumento no custo do combustível.

Em Friburgo, cerca de 90% dos motoristas estariam com os veículos parados, segundo um representante dos profissionais. Em grupos de WhatsApp da categoria, a principal recomendação é que eles mantenham o app desconectado durante todo o dia.

De acordo com um motorista ouvido por A VOZ DA SERRA e que preferiu ter sua identidade preservada para não sofrer represálias, os motoristas têm liberdade para aderirem ou não ao movimento. Ele optou pela greve e segue com o aplicativo da Uber desconectado. Há motoristas, contudo, que seguem fazendo corridas na cidade.

Como consequência pela menor quantidade de carros disponíveis nas ruas, a tendência é que as corridas fiquem mais caras para os passageiros nesta quarta. “Não queremos punir os friburguenses, mas precisamos que a Uber faça o reajuste da tarifa”, disse.

Segundo esse motorista, o app da Uber entrou em operação na cidade, em janeiro do ano passado, com menor tarifa do país: R$ 0,75 por km rodado. Em agosto, esse valor subiu para R$ 0,90, mas, de acordo com ele, segue defasado em comparação com outros municípios.

“Em Niterói, o motorista recebe R$ 1,40 por km rodado. No Rio, a tarifa é R$ 1,60. Ou seja, em Friburgo ganhamos muito pouco. Por isso, quase não tem carro rodando na cidade de madrugada. O ideal seria tarifa de, no mínimo, R$ 2. Os taxistas, por exemplo, cobram R$ 5,30 por km rodado”, afirmou o motorista da Uber.

A categoria também se queixa do aumento no custo do combustível. Em Nova Friburgo, o metro cúbico do GNV (gás natural veicular) custa R$ 3,94. Só um posto fornece o combustível no município. O movimento também quer que o destino final do passageiro seja informado ao motorista antes do aceite das corridas.

A greve dos uberistas também é registrada em outras cidades do país. Ao redor do mundo, motoristas realizam manifestações contra a empresa. Os protestos acontecem poucos dias antes de a Uber abrir seu capital na bolsa, o que está planejado para a próxima sexta-feira, 10.

Procurada, a Uber ainda não se manifestou.

App 99 em operação

Em Nova Friburgo, usuários do serviço podem optar, nesta quarta-feira, 8, pelo app 99. A VOZ DA SERRA verificou, às 13h30, que motoristas que atuam pela empresa (os mesmos da Uber) estão atendendo chamados pelo 99, cuja tarifa é mais atrativa para usuários e os próprios motoristas.

 

LEIA MAIS

Trajeto dos ônibus também será alterado durante as comemorações do aniversário de Friburgo

Categorias durante anos anos tiveram passe livre, desde que fardadas. Faol alega desequilíbrio econômico-financeiro

Concessionária de águas realiza melhorias na rede de esgotamento sanitário até o dia 3 de maio

Publicidade
TAGS: Trânsito