Morte de cavalos amarrados a árvore revolta friburguenses

Moradora denuncia descaso há um ano. Outros animais continuam em situação de risco
segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
Os cavalos mortos amarrados a uma árvore na Estrada Cascatinha-São Lourenço (Reprodução da web)
Os cavalos mortos amarrados a uma árvore na Estrada Cascatinha-São Lourenço (Reprodução da web)

A morte de dois cavalos por asfixia neste domingo, amarrados e enforcados numa árvore na Estrada Cascatinha-São Lourenço, provocou revolta entre os friburguenses, que manifestaram indignação pelas redes sociais. Os cavalos, dois potros, estavam amarrados à árvore com uma única corda.

Segundo uma moradora do Alto do Cascatinha que pediu para não ser identificada para evitar represálias, os animais pertencem a moradores da parte central do bairro, que criam os animais soltos na rua e, nos fins de semana, os alugam para passeios ou para puxarem charretes. Os animais são mal alimentados, não recebem cuidados veterinários e ficam expostos a acidentes e desfechos trágicos como o deste domingo.

Um dia depois da morte de dois cavalos, outros dois eram vistos, soltos, na mesma via. A foto dos cavalos em situação de risco (acima) foi enviada pela moradora, que vem denunciando o descaso aos órgãos competentes há cerca de um ano.

“Esses dois cavalos estão no meio da curva e o próximo acidente pode ser hoje, agora. Faço um apelo às autoridades para que olhem a situação e que conscientizem os  proprietários de como ter e manter esses animais sem que ocorram novos acidentes”, disse a moradora, que chegou a oferecer parte de seu terreno para abrigar os animais, sem sucesso. A única contrapartida do dono seria fazer uma cerca.

Indignada, ela enviou para A VOZ DA SERRA um desabafo sobre a situação:

“Depois de tudo que aconteceu ontem (domingo), no mínimo os donos desses animais tinham que ter  vergonha e preocupação e recolher todos os demais animais que continuam jogados à própria sorte pela Estrada do Cascatinha. Não somos contra os animais, muito pelo contrário. Justamente por amá-los, não suportamos ver o que está acontecendo. Não temos cavalos por não podermos tratá-los da forma como merecem e necessitam. Já não bastam conversas nem pedidos para que sejam retirados da área. Foram dezenas de pedidos aos donos. E nada muda.”

Outros moradores contam que já viram os cavalos serem espancados impunemente e que boa parte deles é maltratada por traficantes, que usam equinos para o transporte de drogas através de trilhas na mata.

A Subsecretaria do Bem-Estar Animal (Subbea) está registrando a ocorrência, por crime de maus-tratos, na 151ª DP na tarde desta segunda-feira, 11. Segundo a subsecretária Monique Malhard, a prefeitura de Nova Friburgo vem aumentando a fiscalização através da microchipagem dos animais apreendidos e, ainda este ano, passará a cobrar dos donos uma taxa diária pela apreensão de cada animal. Hoje, o dono precisa apenas apresentar documentos que comprovem a propriedade, sem custos.

 

LEIA MAIS

Cachorro estava assustado e tentou atacar outros pets antes da chegada da policial

Spray, sacolés e pequenas mudanças de hábito ajudam animais a enfrentar a estação

Prefeitura pede à população que evite essa prática, que pode ser prejudicial à saúde pública

Publicidade
TAGS: pets