Moradores querem deixar a Prainha por causa da lama

Comunidade faz abaixo-assinado para obras nas ruas de loteamento em Campo do Coelho
quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
A lama na principal via do lçoteamento (Foto de leitor)
A lama na principal via do lçoteamento (Foto de leitor)

 

“Se arrependimento matasse… não teria comprado esse lote”, reclama Tiago da Silva Pinto, que há quatro anos mora na localidade de Prainha, no distrito rural de Campo do Coelho, onde convive com poeira, em dias de sol, e lama, em dias de chuva. “Não sei mais o que fazer para que a Prefeitura de Nova Friburgo tome uma providência em relação às ruas do loteamento”, disse.

Nesta quinta-feira, 14, o motorista disse que foi novamente à prefeitura para entregar um abaixo-assinado com cerca de 40 adesões de moradores que pedem obras de calçamento e pavimentação nas vias da localidade. Pelo WhatsApp de A VOZ DA SERRA, o (22) 99213-9995, o motorista enviou fotos do estado da principal rua de acesso à Prainha: lama para todo o lado, resultado das chuvas dos últimos dias.

“Há anos pedimos uma solução à Subprefeitura de Campo do Coelho, mas até agora nada foi feito. Nós, moradores, passamos por transtornos e humilhações todos os dias. Os carros atolam na lama, as crianças não conseguem chegar à escola com os pés limpos. Há um alguns meses, um idoso, passando mal, teve que ser carregado até a ambulância porque o veículo não conseguia descer o morro”, detalhou Tiago.

O motorista contou também que os moradores já contrataram, por conta própria, o serviço de terraplanagem para tentar amenizar o transtorno. Bica corrida, uma mistura de pedra britada, foi colocada por eles nos buracos da rua que liga a localidade de Prainha a Três Cachoeiras, mas a medida paliativa dura pouco tempo quando chove.

“A EBMA (Empresa Brasileira do Meio Ambiente), responsável pela coleta de lixo em Nova Friburgo, não consegue recolher o lixo quando chove. O caminhão não pode descer o morro em meio à lama. O lixo se acumula e se espalha para estrada, atraindo insetos e ratos”, conta o morador.

Problema antigo

Prainha e Três Cachoeiras situam-se em um vale, com acesso pela RJ-130 (Nova Friburgo-Teresópolis) e tem esse nome por causa das quedas d’água de um rio que passa pela região, e também por causa do amontoado de terras que formam uma pequena ilha sob uma ponte. Turistas e moradores iam ao local para se divertir, mas, depois das chuvas de 2011, a região foi devastada e o interesse diminuiu.

A VOZ DA SERRA noticia os problemas na região há anos. Em 2015, o jornal esteve lá e mostrou que moradores já se queixavam do estado das vias. À época, ainda na gestão anterior, a Secretaria Municipal de Obras informou que com a inauguração da Usina de Asfalto, a prefeitura iniciaria “um forte trabalho de pavimentação de ruas na cidade”. O serviço, porém, não chegou à Prainha.

Procurada nesta quinta-feira, 14, a Prefeitura de Nova Friburgo informou que as ruas da localidade passam por reparos periodicamente, mas “por conta das recentes chuvas, apresentam necessidade de uma nova intervenção, que tem previsão para ser iniciada já na manhã desta sexta-feira, 15”, diz nota.

 

LEIA MAIS

Novo acordo do MPF com a prefeitura determina que recursos de ações da Fábrica Ypu devem também ser investidos no espaço

Prefeitura e empreiteira assinam contrato para conclusão da construção do espaço que abrigará mais 30 leitos de CTI

Frienge, que venceu licitação, dará continuidade aos trabalhos. Investimento previsto é de R$ 4 milhões

Publicidade
TAGS: Obras