Mesmo com mais um Dia D, cobertura vacinal contra sarampo e pólio foi baixa

No ano passado Nova Friburgo conseguiu superar a meta de 95% estipulada pelo Ministério da Saúde
quarta-feira, 26 de setembro de 2018
por Paula Valviesse (paula@avozdaserra.com.br)

A Secretaria de Saúde de Nova Friburgo ainda está fechando o balanço da campanha de vacinação contra o sarampo e poliomielite, mas adiantou que o resultado foi aquém do esperado no município. A expectativa agora recai sobre os dados do último Dia D, realizado no sábado, 22, no Posto de Saúde Sylvio Henrique Braune, no Suspiro, e no condomínio Terra Nova, em Conselheiro Paulino, uma vez que na última atualização a cobertura vacinal estava em 79% do público-alvo composto por 8.481 crianças.

A previsão era de que a Tríplice Viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba, fosse tomada por todas as crianças com mais de 1 ano, independente da situação vacinal. E as doses contra a pólio tinham como público-alvo as crianças de 1 ano e menos de 5 anos. No caso da poliomielite, as crianças que não tomaram nenhuma dose durante a vida receberam a vacina VIP (Vacina Inativada Poliomielite). Já os menores de 5 anos que já tomaram uma ou mais doses da vacina, receberam a VOP (Vacina Oral Poliomielite), a gotinha.

A campanha teve início no dia 6 de agosto e foi prorrogada duas vezes, em função da baixa procura, especialmente no Estado do Rio de Janeiro, onde 49 municípios estavam abaixo da meta na ocasião da segunda prorrogação. Os dados inclusive motivaram a Secretaria de Estado de Saúde a lançar uma nova campanha chamada de “Tchau Pólio, Tchau Sarampo”. Durante toda a ação foram realizados três dias de mobilização, com funcionamento dos postos e unidades básicas de saúde aos sábados.

Vacinação continua agora como rotina

No entanto, o fim da campanha não significa que as crianças que não foram imunizadas precisam esperar. Como se trata de uma questão de saúde pública, as vacinas contra o sarampo e contra a poliomielite, que fazem parte do calendário de rotina, estão disponíveis o ano todo nos postos de saúde.

“A partir de agora a vacinação contra essas doenças volta para a rotina. É necessário, em primeiro lugar, considerar o histórico vacinal do indivíduo, que, até os 29 anos, precisa ter comprovado duas doses e, de 30 a 49 anos, uma dose comprovada. Quem não atende essas orientações do Ministério da Saúde precisa procurar uma unidade para tomar a dose que estiver faltando", aponta a subsecretária de Vigilância em Saúde, Fabíola Braz Penna.

Com isso, as vacinas estão disponíveis nos postos de saúde Sylvio Henrique Braune, no Suspiro; Waldir Costa, em Conselheiro Paulino, e Tunney Kassuga, em Olaria, de segunda à sexta-feira, das 8h às 16h; na Unidade Básica de Saúde José Copertino Nogueira, em São Geraldo, às terças e quintas-feiras, das 9h às 16h; e na Unidade Básica de Saúde Ariosto Bento de Mello, no Cordoeira, às terças e sextas-feiras, também das 9h às 16h.

No ano passado a cobertura vacinal foi superior aos 95% determinados pelo Ministério da Saúde. Segundo a coordenadora de imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Ana Paula Lessa, a cobertura foi de 86% contra a pólio e 100% contra o sarampo.

Agora, de acordo com o Ministério Público, os gestores têm até o dia 28 de setembro para informar no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI) os dados de vacinação da campanha.

Relembre, em vídeo, casos de friburguenses que contraíram a pólio no início dos anos 60 e fazem um apelo aos pais para que vacinem seus filhos.

 

LEIA MAIS

Aprovados devem começar a ser chamados este mês. Secretaria de Saúde ofereceu 44 vagas

Profissionais de saúde estarão nas ruas durante a folia fazendo campanha de prevenção sobre doenças sexualmente transmissíveis

Unidade atende 13 municípios da região e está com estoques baixos

Publicidade
TAGS: vacina | saúde