Matilha de cães de rua sofre hostilidades no Centro de Friburgo

Com chegada de filhote, apelidado de Caramelo, grupo aumentou para 5 animais e passou a incomodar, diz leitora
terça-feira, 15 de janeiro de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Três dos animais na calçada, onde são cuidados por comerciantes (Foto da leitora)
Três dos animais na calçada, onde são cuidados por comerciantes (Foto da leitora)

A leitora Angélica Fernandes enviou à redação de A VOZ DA SERRA a seguinte carta, via WhatsApp (99213-9995). Segue a íntegra:

"Violência animal, não!

“A violência contra os animais é inaceitável. E um caso em especial tem chamado atenção e tomado grandes proporções em nossa cidade. Trata-se de cinco cachorros de rua, que já se tornaram comunitários e são extremamente dóceis. Eles circulam entre o Bairro Suíço e as ruas Farinha Filho e Augusto Spinelli, no Centro. Devido ao último amiguinho que se uniu ao grupo, carinhosamente chamado de Caramelo, e que ainda é filhote, o grupo tem sofrido represálias de alguns transeuntes, moradores e comerciantes.

Nosso objetivo e preocupação são encontrar um lar digno para eles, principalmente para o Caramelo que se tornou líder do grupo e está defendendo o território quando de alguma forma se sente ameaçado tanto por pessoas, quanto por outros animais, incitando os outros a também reagirem de forma mais agressiva, o que vem causando transtornos e desconfortos. Esperamos que essa situação seja resolvida o mais breve possível, para que não tenha consequências mais graves como a morte de um ou de todos esses animais devido às ameaças sofridas. E que caso venha acontecer qualquer coisa, que sejam tomadas as providências cabíveis pelas autoridades responsáveis.”

Angélica Fernandes

O que diz a Subea

A subsecretária de Bem-Estar Animal, Monique Malhard, disse ao jornal A VOZ DA SERRA que esteve no local e conversou com comerciantes que se sentem incomodados com a presença dos animais de rua. Ela explicou que os quatro cães mais velhos - Mirna, Pretão, Batman e Robin - são protegidos por lei municipal por serem animais comunitários e já conquistaram o direito de permanecer no local com o qual se identificam, já que nunca causaram problemas. Quanto ao filhote, ela faz um apelo por uma adoção responsável, uma vez que ele disputa território com os demais e por isso causa medo em algumas pessoas, ainda que seja dócil.

 

LEIA MAIS

São cerca de 40 animais vacinados, vermifugados e, se adultos, castrados

Moradora denuncia descaso há um ano. Outros animais continuam em situação de risco

Cachorro estava assustado e tentou atacar outros pets antes da chegada da policial

Publicidade
TAGS: pets