Marlon Moraes finaliza Assunção e fica perto da luta pelo cinturão

Peso-galo friburguense conquista vitória aos 3m17s do primeiro round no evento principal do UFC Fortaleza
segunda-feira, 04 de fevereiro de 2019
por Vinicius Gastin
Após início equilibrado, Marlon encaixou bons socos sobre o oponente e começou a desenhar a vitória
Após início equilibrado, Marlon encaixou bons socos sobre o oponente e começou a desenhar a vitória

Dana White, certamente, não tem mais para onde fugir. O chefão do UFC, mais cedo ou mais tarde, dará a Marlon Moraes a tão sonhada chance de brigar pelo cinturão da maior organização de lutas do planeta. Depois do último sábado, 2, não há mais nada o que provar. A cada batalha, o atleta de Nova Friburgo demonstra estar forte, preparado e pronto para colocar o símbolo maior do Ultimate em sua cintura. "The Magic", como é conhecido no mundo das artes marciais, voltou a encantar o planeta com um novo truque no esperado reencontro com o compatriota Raphael Assunção.

O peso-galo friburguense finalizou o pernambucano aos 3m17s do primeiro round, no evento principal do UFC Fortaleza, neste último sábado, e vingou uma contestada derrota por decisão dividida no primeiro encontro entre eles, em 2017. O duelo pode dar a Marlon a chance de desafiar o atual campeão dos galos da organização, o americano TJ Dillashaw. Para se ter uma ideia, o combate foi tratado como mais importante do que o encontro entre José Aldo e Renato Moicano, que fizeram a co-luta principal – a expectativa é que Aldo, vencedor do duelo, também ganhe a chance de tentar recuperar o título na respectiva categoria.

"Primeiramente, vou dizer pra vocês, quase não teve evento principal, eu tive diarreia a semana inteira. Fui testado esta semana. Há oito anos eu saí de Nova Friburgo numa tragédia igual a de Brumadinho, e meus sentimentos a todas as vítimas de lá. E quero dizer a todo mundo de Friburgo, eu amo vocês e eu vou pegar esse cinturão", declarou logo após o combate, ainda no octógono, relembrando o acidente climático na região serrana do Rio, em 2011, e comparando-o com a tragédia recente na cidade mineira.

A luta

Marlon e Raphael já conheciam um ao outro, e a revanche era bastante aguardada. Especialmente por Moraes, que carregou o peso de uma derrota contestada em sua estreia na organização. E foi exatamente relembrando o primeiro encontro entre ambos que a luta começou a desenrolar nos primeiros instantes: Assunção andando para frente, Moraes circulando e tentando chutes baixos. O pernambucano acertou alguns golpes na linha de cintura, mas o friburguense logo encontrou o tempo e distância ideais para acertar o que queria: um cruzado de direita por cima da guarda. Neste exato momento a vitória de Marlinho começava a se desenhar.

A primeira mão direita abalou Assunção, e a segunda o mandou para a lona. O pernambucano puxou o adversário para a guarda e conteve seu ímpeto, mas "Magic Marlon" tinha outro truque na manga: uma guilhotina perfeita, que forçou Assunção a bater em desistência. O resultado dos treinos intensos de jiu-jítsu, agregando valor a quem é especialista em muay thai, o leva a poder sonhar com o cinturão de maneira mais concreta.

Antes do duelo, em junho do ano passado, Marlon nocauteou Jimmie Rivera, em Nova York (EUA), com um chute na cabeça do oponente. A vitória expressiva apenas consolidou a sequência de bons resultados, e o levou a ser o centro das atenções em Fortaleza, antes mesmo do novo êxito. Confiante e consciente da grande fase que vive, Moraes aproveitou para provocar TJ Dillashaw, atual campeão peso-galo, que recentemente desceu ao peso-mosca e perdeu para o campeão da divisão, Henry Cejudo.

 "Você é inteligente o suficiente para saber que eu sou o melhor dessa divisão. Nosso campeão fez uma vergonha, desceu de divisão e apanhou - não que o Cejudo seja ruim, mas ele era o homem maior. Aí TJ, não sei se você merece me enfrentar depois da sua última luta. Você talvez tenha que descer e caçar os menores."

Antes de chegar ao UFC, Marlon “The Magic” Moraes,  foi campeão do World Series of Fighting (WSOF) com 13 vitórias consecutivas. O atleta de Nova Friburgo vive grande fase, e venceu três vezes consecutivas na organização, tendo superado John Dodson, Alijamain Sterling e Jimmie Rivera. A sequência positiva o levou ao posto de quarto no ranking dos galos - antes da luta de sábado. O friburguense possui um cartel de 22 vitórias, cinco derrotas e um empate.

Já Raphael Assunção, 36 anos, chegou ao combate como o terceiro no ranking peso galo do UFC, e possui um cartel de 27 vitórias e seis derrotas. Nas 12 lutas anteriores, ele havia vencido 11 vezes. Após o primeiro triunfo sobre Marlon, Raphael somava vitórias nas duas lutas seguintes contra Matthew Lopez e Rob Font.

Resultados completos do UFC Fortaleza:

CARD PRINCIPAL

* Marlon Moraes venceu Raphael Assunção por finalização

* José Aldo venceu Renato Moicano por nocaute técnico

* Demian Maia venceu Lyman Good por finalização

* Charles do Bronx venceu David Teymur por finalização

* Johnny Walker venceu Justin Ledet por nocaute técnico

* Livinha Souza venceu Sarah Frota por decisão dividida

CARD PRELIMINAR

* Markus Maluko venceu Anthony Hernandez por finalização

* Mara Romero Borella venceu Taila Santos por decisão dividida

* Thiago Pitbull venceu Max Griffin por decisão dividida

* Jairzinho Rozenstruik venceu Junior Albini por nocaute técnico

* Geraldo de Freitas venceu Felipe Cabocão por decisão unânime

* Said Nurmagomedov venceu Ricardo Carcacinha por nocaute técnico

* Rogério Bontorin venceu Magomed Bibulatov por decisão dividida

LEIA MAIS

Com um cruzado de direita, Gaethje consegue vitória aos 2m30s do primeiro round, na Filadélfia

5ª Taça Guanabara da modalidade serviu como primeira seletiva para o Campeonato Brasileiro 2019, que ocorrerá em Brasília

Barboza e Gaethje se enfrentam neste sábado, numa das lutas mais esperadas do ano

Publicidade
TAGS: UFC