Margens do Bengalas terão plantio de mudas a partir de segunda

Trecho em Conselheiro Paulino receberá mais de 300 espécimes da Mata Atlântica
domingo, 07 de janeiro de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
As covas feitas no gramado na semana do Natal (Foto: Leo Arturius)

Começa a ser executado nesta segunda-feira, 8, o projeto de paisagismo às margens do trecho canalizado do Rio Bengalas no distrito de Conselheiro Paulino. Desenvolvida pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), a iniciativa será responsável pelo plantio de 350 mudas de cerca de 50 espécies nativas da Mata Atlântica. Os trabalhos começarão às 10h com a supervisão do diretor de Biodiversidade, Áreas protegidas e Ecossistemas do Inea, Paulo Schiavo.

De acordo com o Inea, a margem beneficiada pela ação compreende ao trecho da conhecida Curva do JJ, próximo ao trevo de Duas Pedras. Ainda segundo o instituto, além do plantio de mudas, também será instalada uma academia da terceira idade, em uma área gramada que, futuramente, será transformada em bosque.

 “Quando se desenvolverem, essas mudas estabelecerão uma espécie de parque linear que valorizará paisagística e ambientalmente o espaço”, afirmou o Paulo Schiavo. Segundo o Inea, a área será recuperada a partir de três modelos de intervenção: arborização, bosqueamento e criação de massas arbustivas, sempre priorizando a utilização de espécies nativas.

A informação de que o instituto iria plantar mudas na região começou a ser divulgada no mês passado, após visita do superintendente regional do Inea, Rogério Cabral, junto com o diretor de Biodiversidade de Áreas Protegidas do órgão, Paulo Schiavo, ao local onde acontecerá a intervenção. Na ocasião, foram realizadas avaliações de campo, incluindo a disponibilidade de áreas para plantio e observação de trechos arborizados e/ou florestados no entorno.

“A ideia é plantar bougainvilles próximo à margem do rio para que sirvam como proteção e impeçam que as pessoas, principalmente crianças, cheguem perto da margem e corram algum risco. Ao longo da área outras 28 espécies serão plantadas”, disse Paulo Schiavo na ocasião.

Com as ações, ainda segundo Schiavo, pretende-se reduzir o escoamento superficial das águas das chuvas, aumentando sua infiltração e, consequentemente, a diminuição do carreamento de sedimentos para a rede natural de drenagem, reduzindo os custos de manutenção desse sistema.

As obras executadas pelo Inea no Bengalas compreenderam a canalização  do rio, além de calçamento e desapropriação e demolição de construções irregulares no entorno. A intervenção beneficiou o trecho entre a foz do Rio Dantas e o trevo de Duas Pedras, totalizando uma extensão aproximada de 3,4 quilômetros. Ainda está prevista uma segunda etapa da obra, uma nova canalização em trechos do Rio Bengalas. De acordo com o instituto, o projeto executivo está pronto e aguarda liberação do Ministério das Cidades.

Publicidade
TAGS: