Mais de 20 árvores da Praça Getúlio Vargas terão galhos podados

Segundo a prefeitura, ação será essencialmente de cuidado e prevenção contra possíveis acidentes com pedestres e bens
quinta-feira, 07 de novembro de 2019
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
A Praça Getúlio Vargas (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)
A Praça Getúlio Vargas (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)

 

Após três anos da última poda, as árvores da Praça Getúlio Vargas passarão pela mesma operação novamente. O trabalho será executado em dois domingos (os próximos dias 10 e 24), das 7h às 14h30, pelo Corpo de Bombeiros, em parceria com a prefeitura, através das secretarias de Meio Ambiente, Serviços Públicos, Ordem e Mobilidade Urbana e Guarda Civil Municipal. O Ministério Público Federal, Polícia Militar e a concessionária Energisa também darão apoio ao serviço que, segundo a prefeitura, seguirá as normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e já foi autorizado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

De acordo com a prefeitura, 21 árvores (não apenas eucaliptos) apresentam a necessidade de poda em galhos secos, mortos ou muito inclinados. Isso foi o que apontou uma inspeção técnica conjunta realizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e o Grupo de Trabalho instituído pelo Termo de Ajustamento de Conduta (TAC da Praça). O documento, elaborado por engenheiros florestais e uma engenheira agrônoma contém até um relatório fotográfico que aponta a localização exata das árvores que necessitam do procedimento, quais galhos serão removidos e os ângulos dos cortes.  

Prevenindo acidentes

Segundo nota enviada pela Subsecretaria de Comunicação Social, “a ação será essencialmente de cuidado e prevenção contra possíveis acidentes envolvendo queda de galhos, que podem afetar transeuntes e bens”. Ainda de acordo com o comunicado, “galhos secos e senis têm maior tendência a caírem no verão, durante o período de chuvas e ventos. A poda em árvores urbanas é a prática mais comum de manejo, removendo partes para a permanência de árvores seguras, com aspecto visual agradável e compatível com o local onde estão inseridas”.

Segundo o relatório que guiará o procedimento, “para que produza os resultados esperados, a poda deve ser aplicada com moderação e oportunidade, considerando o funcionamento natural da árvore”. Durante a ação, também será feita uma seleção para o teste de enraizamento dos galhos podados visando um futuro plantio no Horto Municipal,  no bairro Vale dos Pinheiros.

Como será o trabalho

A última vez que a Praça Getúlio Vargas passou por uma poda de limpeza, com remoção de galhos secos ou mortos foi em 2015, há cerca de três anos. À época, a ação também foi executada pelo Corpo de Bombeiros, atendendo ao pedido de feirantes e taxistas da praça que temiam pela segurança.

O trecho em continuação à Rua Sete de Setembro no sentido Avenida Alberto Braune será o primeiro a receber intervenção no próximo domingo, 10. Posteriormente, a outra área que passará pelo processo é a que fica entre o casarão da Fundação D. João VI e o Friburgo Shopping. Ambos os locais foram definidos como prioritários à intervenção, uma vez que estão submetidos ao tráfego intenso de carros, rede elétrica e aglomeração de pessoas.

Na ação, o Corpo de Bombeiros utilizará motosserras, moto podas e um caminhão plataforma para os cortes. Enquanto isso, equipes da prefeitura farão a remoção dos galhos podados, que posteriormente serão triturados e encaminhados pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos para compostagem no Horto Municipal.

Motoristas e pedestres deverão ficar atentos porque será necessário o fechamento de parte do acesso à Praça Getúlio Vargas (pista lateral onde circulam os veículos) e o desligamento da energia elétrica nos arredores da praça para que a atividade seja conduzida com segurança.  

UFRRJ fará relatório técnico 

Paralelamente ao serviço de podas das árvores da praça, a Prefeitura de Nova Friburgo e a Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ-Fapur) assinaram recentemente um contrato para elaboração de UM relatório técnico de avaliação de todas as árvores da Praça Getúlio Vargas. A ação também fará parte dos trabalhos acordados no TAC 2, de 2015, e deve ser realizada ainda neste mês. O trabalho da instituição visa identificar, por meio de técnicas não-destrutivas, a qualidade, integridade e fitossanidade dos troncos e da madeira das árvores da praça tombada pelo patrimônio histórico.

 

LEIA MAIS

Prêmio Firjan Ambiental reconhece práticas de negócios sustentáveis adotadas em todo o estado do Rio

Foram retirados galhos secos, mortos, comprometidos por ervas ou muito inclinados de 21 espécimes

Projeto tem objetivo de promover reaproveitamento dos resíduos de confecções e de indústrias locais

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra