Liminar derruba impugnação e Viva Rio assume UPA a partir desta segunda

TJ apontou possíveis irregularidades no contrato. Presidente da Comissão da Saúde, Wellington Moreira, fala em “lambança” e não descarta criação de CPI
quinta-feira, 14 de novembro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
A UPA de Conselheiro (Arquivo AVS)
A UPA de Conselheiro (Arquivo AVS)

Em uma reviravolta no meio da tarde de quinta-feira, 14, uma liminar do Tribunal de Justiça derrubou a decisão do próprio órgão de quarta-feira, 13, que determinava a suspenção do novo contrato para administrar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Conselheiro Paulino.

O imbróglio teve início depois de uma ação movida pela Unir Saúde, segunda colocada no processo de licitação. A Viva Rio venceu o processo para administrar a UPA pelos próximos três anos, mas a justiça identificou possíveis irregularidades, como proposta de contratação de pessoas jurídicas para os cargos de médicos e enfermeiros, o que configura terceirização da atividade e que não é previsto no edital de licitação. Os salários previstos foram considerados impraticáveis pelo Instituto Unir Saúde. 

A Viva Rio apresentou uma segunda proposta, e alguns valores foram aumentados, mas médicos e enfermeiros continuariam sendo contratados no regime de terceirização. A Viva Rio então elaborou uma terceira proposta com médicos e enfermeiros contratados pela CLT, mas com uma planilha com valores maiores do que a apresentada inicialmente. 

Apesar dessas possíveis irregularidades, o contrato de administração da UPA foi homologado e assinado pelo secretário municipal de saúde Marcelo Braune. A Justiça decidiu suspender o contrato para que não haja prejuízo para a população e deu prazo de 72 horas para que a prefeitura se pronuncie no auto do processo. 

O que diz a Comissão de Saúde da Câmara 

A Comissão de Saúde de Nova Friburgo se manifestou nesta quinta-feira, 14, através do seu presidente, o vereador Wellington Moreira. Antes de ser notificado da liminar que derrubou  a impugnação, o parlamentar, informou que a comissão vai protocolar uma ação junto ao Ministério Público e não descarta a criação de uma CPI para investigar o caso.

 “A Justiça viu erros na proposta apresentada pela Viva Rio que queria contratar médicos como pessoas jurídicas e isso não é permitido por lei. A decisão judicial anula o resultado da licitação e proíbe a assinatura do contrato para administração da UPA. Eu já havia alertado e desconfiado, pois havia posicionamento contrário do Tribunal de Contas do Estado do RIo (TCE) e do Superior Tribunal de Justiça, tanto é que as duas OS's foram desqualificadas e impedidas de assinarem contratos com o Estado. Agora, a Prefeitura de Friburgo terá que explicar também o erro na aceitação das planilhas da Viva Rio, por que não observou o que o Estado fez e como irá manter a UPA em funcionamento. A Comissão de Saúde ouviu a Procuradoria da Câmara e vai comunicar todo o fato ao Ministério Público, protocolar requerimento de informações e, se preciso, instaurar CPI para apuração dessa lambança”, disse o vereador.

Após ser informado da nova decisão do TJ, Wellington afirmou que o Executivo ainda tem muito a responder e que vai aguardar o desfecho de toda a situação. “A revogação da liminar apresenta um motivo diferente das ilegalidades que justificaram sua concessão. As irregularidades nas planilhas da Viva Rio ainda não foram respondidas pela prefeitura e ainda podem ser motivo de novo recurso judicial. “

O que diz a prefeitura  

A Prefeitura de Nova Friburgo informou que todo o trâmite da licitação aconteceu dentro da normalidade e com transparência. A prefeitura informou ainda que a segunda colocada na licitação, o Instituto Unir Saúde, pode tomar as medidas legais e que não vai haver nenhum prejuízo no atendimento à população.   

 

LEIA MAIS

Dança das cadeiras mexe em áreas estratégicas. Não houve exoneração: todas as trocas foram de funções e secretarias

Para governo, problemas relatados na lavanderia não têm efeito porque vistoria ainda não foi formalizada junto ao Conselho Municipal de Saúde

Lavanderia sem tomadas nem instalação hidráulica faz com que roupa tenha que ser higienizada em Casimiro de Abreu, diz conselheiro

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: saúde | Governo