Licitação do transporte será publicada após a Páscoa

Edital deve prever integração com dinheiro em espécie e fim da dupla função para motoristas. Passagem vai a R$ 4,10
quinta-feira, 18 de abril de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Licitação do transporte será publicada após a Páscoa

Deve ser publicado logo após o feriado de Páscoa, nesta próxima semana, o edital de licitação para concessão do transporte público em Nova Friburgo. A informação foi divulgada nesta quinta-feira, 18, pela prefeitura, um dia depois da terceira e última audiência pública realizada na Câmara de Vereadores para discussão do assunto.

Em nota, a prefeitura informou que participou das audiências públicas propostas pelo Legislativo e que na última respondeu os questionamentos gerados nas duas audiências anteriores. “Sendo assim, serão realizados os últimos ajustes para publicação do edital, que deve acontecer na próxima semana, após o feriado. Sugestões da população consideradas pertinentes foram sim incluídas no edital”, diz o texto.

O governo não detalhou quais propostas foram inseridas no documento, mas A VOZ DA SERRA apurou que já está no edital a sugestão de integração por pagamento em dinheiro. Atualmente, o usuário que precisa embarcar em mais de uma linha de ônibus só consegue fazer a integração por meio do cartão Riocard ou Fricard. A integração por dinheiro em espécie ainda deve ser regulamentada.

Outro item previsto no edital é o fim da dupla função dos motoristas, que desde que o sistema de bilhetagem eletrônica foi implantado no transporte, passaram a realizar funções de cobrador. Ou seja, os coletivos maiores terão que ter motorista e cobrador no novo modelo de transporte. Essa exigência vai obrigar a futura concessionária a adequar ônibus novos que já não vêm com cadeira para cobrador.

O edital deve conter também item que muda o itinerário de linhas que passam pela Rua Dante Laginestra e fazem o desembarque de passageiros no ponto de ônibus em frente à Catedral São João Batista, na Praça Dermeval Barbosa Moreira, no Centro. Ao que tudo indica, essas linhas, que vêm da região sul da cidade, voltarão a parar na Estação Livre (antiga rodoviária urbana) como antigamente.

Parte dessas sugestões foram apresentadas nas três audiências públicas realizadas pela Câmara em março e abril. O agendamento das reuniões pelo Legislativo freou a abertura da licitação, cujo texto estava praticamente pronto e previsto para ser publicado no Diário Oficial do município no início de abril. Para evitar desgaste com a casa, a prefeitura então optou por segurar a publicação do edital.

“A participação popular foi baixa: 29 pessoas na primeira audiência; 42, na segunda; e 24, na terceira. Mas foram produtivas. Propostas foram inseridas no texto. A decisão do prefeito Renato Bravo de abrir a licitação depois das audiências manifesta respeito com o Legislativo”, disse o vereador Zezinho do Caminhão (PSB), propositor das audiências públicas.

Passagem a R$ 4,10

Outras novidades do novo modelo de transporte público, previsto no Termo de Referência do edital e apresentado em fevereiro pela prefeitura, prevê a divisão das linhas urbanas em dois lotes que poderão ser explorados por mais de uma empresa de ônibus. Cria ainda novas linhas circulares no bairro Olaria e no distrito de Conselheiro Paulino, as regiões mais populosas do município. Também amplia o "corujão", as linhas de ônibus circula, nas madrugadas.

O projeto também prevê que o governo tenha acesso à central de monitoramento dos ônibus diariamente. Todos os veículos deverão ser equipados com GPS. Os ônibus adquiridos a partir da concessão e frutos de reajuste tarifário serão revertidos ao município, após o término do contrato. A prefeitura também estimou no documento o reajuste das passagens de ônibus, dos atuais R$ 3,95 para R$ 4,10. O contrato de concessão do transporte terá duração de dez anos.

 

LEIA MAIS

Trajeto dos ônibus também será alterado durante as comemorações do aniversário de Friburgo

Categorias durante anos anos tiveram passe livre, desde que fardadas. Faol alega desequilíbrio econômico-financeiro

Profissionais querem aumento na tarifa e se queixam do custo do combustível. App 99 segue em operação

Publicidade