Lembrar dos triunfos do passado é a receita do Alunão para levantar a avenida

Escola passou por reestruturação de quadra e barracão e aposta na criatividade e talento das pratas da casa
sábado, 23 de fevereiro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)

Sem imediatismo. Assim será o carnaval do Alunos do Samba. Com pé no chão, a escola tenta se reerguer. Em 2018, o Alunão, como é carinhosamente conhecida a agremiação, fez uma mudança em sua estrutura. A antiga quadra agora é o barracão, e o barracão agora é a quadra, recém-reformada.

Mesmo com as obras estruturais, a escola manteve o planejamento do carnaval e agora está ajustando os detalhes para contar na avenida os seus grandes triunfos no carnaval friburguense. “Nós vamos para avenida para emocionar. Nós temos a consciência de que para 2019 não temos como competir pelo título, mas estamos nos estruturando para isso. O nosso desfile vai ser a altura do friburguense e com muito respeito a todos”, explicou o escultor da agremiação, Ernesto Carvalho.

Superação é a palavra chave. De acordo com o escultor da escola, os problemas do ano passado ficaram pra trás. “Em 2018 fizemos um carnaval com a quadra embargada e por isso não estivemos à altura das outras escolas, principalmente por conta do investimento delas. Esse ano estamos melhores. Nossa quadra passou por reforma, nosso barracão está maior. Nosso carnavalesco é o Paulo Schimith e é um grande profissional, assim como o nosso presidente, Alessandro da Silva”.

Ernesto é o único escultor de isopor na cidade. O profissional, que realizou a primeira escultura em 1980 lamenta a ausência de investimentos e interesse na arte. “Lá no Rio existem muitas oficinas e a criançada aprendendo esse ofício. Eu tenho certeza que se tiver o incentivo aqui em Friburgo outras pessoas vão querer dar continuidade a esse trabalho. Eu comecei a trabalhar com escultura de isopor por acaso. Em 1980, a escola pediu m cavalo alado e não tinha, então eu fiz. Outras escolas são obrigadas a trazer as esculturas do Rio, nós não. Um exemplo claro: o símbolo da nossa escola é o Zé Carioca e não tem uma escultura dessa lá, então eu tive que fazer”, contou.

“Estou aqui no Alunão há 43 anos, vi a escola ganhar quatro vezes, a última em 1996. Além do Alunos, participei e desfilei por quase todas as escolas, somente a Saudade eu nunca fui. Também já participei da Viradouro, da Tijuca”, lembrou o escultor.

 

Ficha Técnica:

 

G.R.E.S. Alunos do Samba

Fundação: 02/02/1946

Cores: azul e branco

Símbolo: Zé carioca

Presidente: Alessandro da Silva Amorim

Diretor de carnaval:

Endereço: Rua José Ernesto Knust, 7, Conselheiro Paulino

Enredo: “Eu sou Alfa e Ômega. O início meio e fim. Venho exaltar minhas histórias de glórias”

Autor do enredo: Paulo Schimidt

Intérprete:  Tiago

Carnavalesco: Paulo Schimidt

Títulos: (12) 1947, 48, 50, 54, 55, 63, 64, 65, 87, 90, 95, 96

1º casal de Mestre Sala e Porta Bandeira: Luiz Russier e Thainá

2º casal de Mestre Sala e Porta Bandeira: Marquinhos e Nana

Bateria Terremoto da Serra: 120 componentes

Mestre: Arilson;

Rainha: Juceli

Classificação em 2018:  4º

Ordem do desfile de 2019: 1ª a desfilar

Posição: Rodoviária Leopoldina

Concentração: 19h

Horário do desfile:  21h – 22h15

 

A letra do samba:

 

Nasci, em um berço de cultura popular

Cresci, me tornei a pioneira a desfilar

O sol sorrindo no céu

O azul refletido no mar

Amada e feliz fluminense

Nasci friburguense e pude sonhar

A alegria de ser pentacampeã

Não desanimei, mesmo na dor

Na mudança, minha identidade se renovou

Talentos, histórias, memórias

Que representam a evolução

Do pandeiro, ao zé carioca

Tanto orgulho do meu pavilhão!

 

Alô brasil! Eu sou tupiniquim

É campeã! Eu pude festejar

“olha eu ai, cidade linda

O teu aplauso foi o que me fez voltar “

 

O índio e o negro, criam nossa aguardente

Bebe o rico socialmente, e o pobre pra esquecer

No bailar das minhas mãos, “arte e destruição”

Explosão de energia!

Bicampeã me consagrei! Da euterpe sou o rei

Dificuldades passei, aprendi a lição

A cada instante bate forte o coração

Me sinto honrada por ser a primeira

Azul e branco, imensa paixão

São as cores da minha bandeira

Em um terremoto de emoçao!

 

Memória feliz! Escola amada!

Sou o início, meio e fim

Orgulho de ser um celeiro de bambas

Prazer, sou alunos do samba

 

LEIA MAIS

A roxo e branco do bairro Ypu escolheu um tema africano para seu próximo desfile

No ano em que completará 10 anos no carnaval carioca, ele fará jornada dupla no Sambódromo, primeiro com a Acadêmicos do Sossego

Curiosa para saber quem era o sambista friburguense, jurada da atração do SBT usou jornal como fonte de pesquisa

Publicidade
TAGS: carnaval