Justiça condena sete por assalto a casa de idosos alemães

Crime aconteceu em março do ano passado na Ladeira Robadey, no Centro
quarta-feira, 10 de julho de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Justiça condena sete por assalto a casa de idosos alemães

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro condenou na última segunda-feira, 8, seis homens e uma mulher por fazerem reféns um casal de idosos alemães e a empregada doméstica deles durante um assalto ao imóvel onde o casal vivia na Ladeira Robadey, próxima à fábrica Haga, no Centro de Nova Friburgo, em março do ano passado. Um homem envolvido no crime está foragido. Cabe recurso à condenação. 

Segundo decisão do juiz Marcelo Alberto Chaves Villas, da 2ª Vara Criminal de Nova Friburgo, Cleison Moreira Monteiro, Davidson Mariquito Aguiar, Gilmar Zebendo Ribeiro, William Gaspar da Silva e Leonardo de Oliveira foram condenados a 12 anos de prisão. Renato Silva Vieira teve como sentença oito anos de prisão e Sindi Duarte Cavalcanti, 14 anos de reclusão. Todos já estão presos, com exceção de Leonardo, que é procurado pela Justiça. 

O crime aconteceu na manhã do dia 6 de março de 2018. Armados, cinco homens invadiram a casa e agrediram o casal de idosos Bárbara Josefine Husung e Lutz Richard Fredi Husung, à época com 75 e 78 anos, com tapas, empurrões e coronhadas. Eles foram levados para um closet, junto com a empregada Roseli da Silva dos Santos, onde ficaram presos por cerca de seis horas. 

O bando revirou toda a casa em busca de bens de valor. Os criminosos roubaram, conforme escreveu o juiz nos autos do processo, um carro Honda CR-V, R$ 13 mil, dois mil euros e 3,2 mil dólares. Levaram também seis pulseiras, dois cordões, dois celulares, um notebook, cinco relógios, dez alianças e oito pares de brincos. Em seguida, fugiram no Honda e em um Gol preto. 

As vítimas, presas no closet, conseguiram escapar após Lutz fazer um buraco na porta com uma faca guardada no cômodo. Eles chamaram por socorro e acionaram a polícia. O crime repercutiu na cidade devido à violência com o casal de idosos. Bárbara e Lutz são conhecidos do meio empresarial e fazem parte da colônia de imigrantes alemãs. O casal vivia no Brasil há 40 anos. 

Oito dias depois, a Polícia Civil prendeu Cleison em flagrante com uma moeda promocional que pertencia ao casal. Nos meses seguintes os investigadores da 151ª DP conseguiram identificar e prender os demais acusados. Conforme as investigações, o assalto foi encomendado por Sindi, que queria receber de Bárbara R$ 300 mil como suposta comissão pela venda de um imóvel. 

Segundo decisão do juiz Marcelo Villas, o crime foi premeditado e friamente calculado. “Primeiro a ré ficou íntima da vítima para ter acesso a casa, compreender os costumes e observar seus bens. Depois, tentou extorquir, passando para a terceira fase do seu plano maquiavélico que foi a consumação do crime de roubo, organizando e chefiando os demais indivíduos que angariou, assim com a efetiva ascendência sob demais réus, em suma, a ré tinha o domínio do fato, inclusive estava orientando/supervisionando, via telefone, toda a execução delituosa, de acordo com a sua vontade”, observou o magistrado na sentença. 

Ainda segundo o juiz, o roubo foi grave “com violação de domicílio, horário matutino, com emprego de armas de fogo apontadas para as vítimas anciãs, ameaçando-as e colocando-as em risco de forma grave, praticado com extrema violência, o que torna o roubo mais grave que outros da mesma espécie”. A VOZ DA SERRA tentou contato com as defesas dos citados, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição. 

LEIA MAIS

Jovem foi rendido na rua por três homens e teve celular e carteira roubados por volta da 1h de quarta

Bandidos dispararam contra dono de posto de combustíveis na estrada que liga Conquista a Campinas, na altura de Pilões

Criminosos em motocicletas levaram dinheiro, celulares e documentos das vítimas

Publicidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Assalto