Já faltam combustíveis em vários postos de Friburgo

Filas são longas onde ainda resta estoque. Serviços básicos como coleta de lixo e circulação de ônibus também estão prejudicados
quarta-feira, 23 de maio de 2018
por Jornal A Voz da Serra
A fila de carros dá volta no posto São José, em Bela Vista (Fotos: Henrique Pinheiro)
A fila de carros dá volta no posto São José, em Bela Vista (Fotos: Henrique Pinheiro)

Com a greve nacional dos caminhoneiros, já faltam combustíveis em vários postos de Nova Friburgo na tarde desta quarta-feira, 23. Nos poucos estabelecimentos onde ainda há estoque, as filas são imensas. Olaria foi um dos primeiros bairros afetados pela falta de gasolina.

Os grevistas também estão impedindo que caminhões que transportam alimentos sigam seus destinos. Veículos que iam para a Ceasa, em Conquista, estão parados na RJ-130, bloqueando o fluxo de cargas. Há caminhões parados em várias rodovias de acesso à cidade.

A paralisação nacional dos caminhoneiros já começou a afetar serviços básicos como o transporte municipal de passageiros e a coleta de lixo em Nova Friburgo.  Os caminhoneiros protestam contra o aumento no óleo diesel.

Na manhã desta quarta-feira, 23, passageiros enfrentaram pontos de ônibus lotados e atrasos nas linhas, cujas viagens foram reduzidas, no dia anterior pela Faol, devido a falta de combustível suficiente para o transporte. A concessionária informou que vai operar com os horários de sábado até a regularização da situação.

Na EBMA, os caminhões compactadores não estão realizando a coleta de lixo no na cidade. Integrantes do movimento de greve impedem a saída dos veículos. A Prefeitura de Nova Friburgo informou na manhã desta quarta que a Secretaria de Serviços Públicos vai realizar a coleta utilizando caminhões do município.

A Prefeitura de Nova Friburgo informou que vai priorizar o abastecimento de viaturas da Secretaria de Saúde. A prioridade do governo municipal neste momento de estradas bloqueadas é manter as reservas de combustível para atender as demandas da saúde: tanto para abastecer as ambulâncias quanto os demais veículos que fazem, por exemplo, o transporte de pacientes fora do município.

"Pedimos o apoio da população neste momento difícil vivido em todo o Brasil. Como a empresa responsável pela coleta de lixo, EBMA, está impossibilitada de transitar com os caminhões compactadores, a recomendação é evitar colocar os resíduos nas ruas pelos próximos dias, ou até que a situação se normalize", pediu a prefeitura através de nota.

 

 

LEIA MAIS

Defensoria Pública cobra da prefeitura preenchimento de vagas em escolas e creches

Reunião para correção salarial deve definir os rumos da mobilização da categoria e dos profissionais de apoio

Não era só demanda reprimida após a greve não: encher o tanque agora pode custar até R$ 250

Publicidade
TAGS: Greve