Já é realidade: casarão de Galdino do Valle tem tombamento provisório

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010
por Jornal A Voz da Serra

(SECOM) - A rica historiografia de Nova Friburgo tem se constituído, ao longo de seus quase dois séculos, além de fatos, mas também por personagens de grande projeção, tanto no cenário nacional quanto exterior. Um desses nomes é o do médico e líder político Galdino do Valle Filho, que foi vereador, prefeito e deputado federal entre o final e o início dos séculos XIX e XX. Além de seu legado de realizações políticas, sua participação na vida friburguense é lembrada até os dias de hoje pelo imponente casarão que pertence à sua família, localizada no número 47 da avenida que lhe homenageia com o seu nome.

Como parte do resgate e da preservação cultural e histórico desse legado patrimonial de grande significado, na tarde da sexta-feira, 8, conforme havia anunciado durante a semana, o prefeito Heródoto Bento de Mello assinou decreto de tombamento provisório do prédio, no centro da cidade. Este é o primeiro imóvel que entra em processo de tombamento, em decorrência da Lei Municipal 3.794/09, de autoria do Executivo e aprovada por unanimidade pela Câmara, prevendo a preservação de prédios históricos de Nova Friburgo.

 Família presente e processo amigável

Filho do doutor Galdino, Afrânio Veiga do Valle – que completará 101 anos em abril – esteve presente à assinatura do decreto, no Palácio Barão de Nova Friburgo, acompanhado da filha Gilda do Valle Briggs. Participaram da cerimônia, a senhora Betty Rodrigues de Mello, mulher do prefeito, os secretários de Governo, Braulio Rezende e de Cultura, Roosevelt Concy, entre outras autoridades e funcionários do governo municipal. O evento contou também com as apresentações do quinteto de metais da Banda Campesina e do grupo vocal Tom sobre Tom, que executou o hino de Nova Friburgo.

Inicialmente, o secretário Roosevelt Concy abriu a cerimônia destacando que este foi um processo de tombamento amigável, contando com manifestação favorável da própria família. Segundo ele, sua Secretaria está elaborando um projeto para criação do Circuito Histórico de Nova Friburgo, já tendo sido catalogados dezenas de imóveis de valor histórico e arquitetônico no centro da cidade, cujos proprietários serão chamados.

Roosevelt explicou que espera concluir até 12 de abril – data do 101° aniversário de doutor Afrânio – o processo para o tombamento definitivo. Em seguida, ele pediu ao coordenador de Patrimônio Material e Imaterial da Secretaria de Cultura, Luiz Fernando Folly, para se pronunciar e este explicou que um conselho de técnicos – formado por membros do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN); do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac); do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea); Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) e das secretarias municipais de Cultura, de Meio Ambiente e de Obras, além da Associação de Artistas de Nova Friburgo – conduzirá os processos de tombamento. A Secretaria de Cultura está fazendo o inventário de cerca de 100 imóveis em todo o município.

Logo após a execução do Hino de Nova Friburgo, o jornalista Girlan Guilland, secretário de Comunicação Social, fez a leitura do Decreto 003/2010 que, em seu final destaca a coincidência da data 8 de janeiro, quando se comemorou o 120° aniversário da elevação, em 1890, de Nova Friburgo à categoria de cidade na mesma semana em que se completou também o 190° ano da criação da Vila de Nova Friburgo da Freguesia de São João Batista, em 3 de janeiro de 1820.

O chefe do executivo, então, assinou o documento e falou dirigindo-se ao doutor Afrânio, dizendo que estava fazendo um ato de justiça com a assinatura do tombamento. “Seu pai foi líder da minha juventude e a sua família é muito representativa em Nova Friburgo. A sua casa é um ícone, e queremos que seja preservada para as gerações futuras. Somos gratos a você e à sua família”, concluiu.

 

Cultura de preservação

 Em contrapartida ao tombamento, impedindo demolição e alteração da fachada da casa de estilo eclético com tendências vitorianas – uma das últimas remanescente na cidade –, a Prefeitura oferece desconto no valor do IPTU e outros impostos municipais. A neta de Galdino, senhora Gilda, afirmou que a casa continuará sendo utilizada pela família, acrescentando que, de certa forma, “já havíamos tombado. Queremos preservá-la eternamente, com muito amor. Nunca tiramos nada e sempre cuidamos de sua manutenção”, enfatizou.

O líder do governo na Câmara, Marcelo Verly, ressaltou que este é o primeiro de uma série de tombamentos que contribuirão para a preservação da cultura e da história de Nova Friburgo, “que nas últimas décadas foram deixadas de lado”. Segundo o vereador, houve um descaso muito grande com imóveis de interesse histórico e arquitetônico, que tiveram suas fachadas e estruturas modificadas. “Agora, abre-se caminho para uma cultura de preservação do Patrimônio Histórico do Município”, concluiu.

Publicidade
TAGS: