Interditada por queda de barreira, RJ-116 continua sem previsão de reabertura

Motoristas com destino a Friburgo ou Rio devem passar por Teresópolis ou pela Serramar
quinta-feira, 10 de outubro de 2019
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)

Um dia depois do deslizamento de uma encosta na altura do Km 53,3 da RJ-116, em Boca do Mato, na subida da serra de Cachoeiras de Macacu, a concessionária Rota 116 ainda não tem previsão de reabertura da estrada em meia pista. A empresa responsável pela administração da rodovia depende de autorização da Defesa Civil de Cachoeiras  para movimentar as pedras e terra que bloqueiam completamente a estrada desde as 10h30 da manhã desta quinta-feira, 10.

Segundo o coordenador da Defesa Civil de Cachoeiras, Rodrigo Amaral, há riscos de novos desmoronamentos na encosta, que está instável, e por isso foi solicitada uma vistoria dos profissionais de geologia do Departamento de Recursos Minerais (DRM) do Estado do Rio. Assim que o laudo do DRM for emitido, o que ainda não tem prazo, a Defesa Civil autorizará a concessionária Rota 116 a movimentar com segurança o material que desceu da encosta.

Por pouco não aconteceu uma tragédia. Algumas pedras rolaram por volta das 8h da manhã sobre a terceira faixa, dando tempo à Rota de sinalizar o trecho e acionar operadores. O tráfego foi interrompido cerca de uma hora antes do desmoronamento. "Ali é uma localidade com blocos de pedras soltas por baixo da vegetação. O terreno está instável", disse Rodrigo Amaral ao jornal A VOZ DA SERRA.

Por orientação da Rota 116, os motoristas que seguem para Nova Friburgo ou com destino ao Rio de Janeiro devem passar  por Teresópolis e pegar a RJ-130 (Teresópolis-Friburgo). Outra opção é usar a RJ-142 (Estrada Serramar) e a BR-101.

Os ônibus da Auto Viação 1001 também estão sendo desviados por Teresópolis, num percurso 40 km maior. Segundo a 1001,  passageiros com viagens rodoviárias pela Região Serrana entre os dias 10 e 14 de outubro podem fazer o cancelamento sem multa ou revalidar a passagem caso a origem ou destino seja Cachoeiras de Macacu.

A Rota 116 informou que máquinas, equipamentos, caminhões e operários já estão mobilizados e prontos para iniciarem os trabalhos de desobstrução assim que a Defesa Civil autorizar. Pela rodovia passam 20 mil veículos por dia em fins de semana, no trecho privatizado, de Itaboraí a Macuco. 

 

 

 

 

 

LEIA MAIS

Com base em laudo do DRM, Defesa Civil exige prazo para remover barreira que deslizou em condições de segurança

Pela manhã um homem também sofreu ferimentos leves após ser atingido por um veículo

Mais da metade precisa entregar a habilitação e fazer curso de reciclagem

Publicidade
TAGS: Trânsito | Clima