Homem com transtorno mental agride mulheres em Duas Pedras

Na Rodoviária Norte, ele costuma tirar a roupa e incomodar usuários. Delegada pede que vítimas procurem a Deam
terça-feira, 09 de janeiro de 2018
por Alerrandre Barros
Foto de capa
Na Rodoviária Norte, o homem costuma incomodar usuários e tirar as roupas (Arquivo AVS)

Um homem de 45 anos, supostamente portador de transtornos mentais, agrediu pelo menos seis mulheres na última sexta-feira, 5, no bairro Duas Pedras. Entre elas, a aposentada Maria de Fátima Esteves Pereira, de 62 anos, que estava caminhando pela Avenida Antônio Mário de Azevedo, trecho urbano da RJ-130 (Nova Friburgo-Teresópolis), próximo ao Hospital São Lucas.

“Quando vi que ele ia me agredir, me afastei, mas ainda assim levei um soco no pescoço. Quase fui agredida no rosto. Ele é muito forte. É preciso que alguém tome alguma providência”, disse a moradora do loteamento Solares, em São Geraldo.

No mesmo dia, duas funcionárias do Hospital São Lucas também foram agredidas pelo homem ao desembarcarem de um ônibus no ponto em frente à unidade. Uma delas foi empurrada e caiu na via. A outra foi agredida com um soco nas costas. De acordo com o técnico em segurança do trabalho do São Lucas, Guilherme Medeiros, as funcionárias foram atendidas no pronto-socorro do hospital, medicadas e passam bem.

“Eu estive na Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher) no mesmo dia para prestar queixa, mas fui orientado a procurar o Ministério Público Estadual, que pode determinar a interdição dele. Preenchi um requerimento explicando o que aconteceu ao MP”, disse Medeiros.

A delegada titular da Deam, Danielle de Barros, disse que as queixas das vítimas deveriam ter sido registradas pelo policial de plantão, porque houve agressão. “Eu nem estava sabendo disso. Todas as vítimas devem procurar a delegacia para registro do caso. Ele pode ser preso e encaminhado para um manicômio judiciário”.

Vizinho do hospital, o homem também agrediu uma funcionária do quiosque do São Lucas e jogou pedras na recepção da unidade. Ele ainda puxou a bolsa de uma mulher e tentou enforcar outra em Duas Pedras. Moradores da região disseram que o homem costuma atravessar entre os carros que trafegam pela RJ-130 e incomoda usuários da Rodoviária Norte, onde tem o hábito de tirar a própria roupa. Por isso, ele já foi até agredido no terminal.

“É preciso que alguém faça alguma coisa, porque já ouvi pessoas o ameaçarem de morte por causa das agressões e desses comportamentos. Isso é muito grave. Podem fazer alguma maldade com ele”, disse Maria de Fátima.

O homem e o irmão dele, que também sofre de transtornos psiquiátricos, são pacientes do Centro de Atenção Psicossocial (Caps), na Avenida Comte Bittencourt, no Centro. Mas, segundo funcionários, faz tempo que os dois não vão ao local para tratamento. A Justiça já determinou que a família dos dois leve-os ao Caps para acompanhamento médico, mas isso não vem sendo feito de forma regular.

Para funcionários do Caps, o homem teve essas reações agressivas, provavelmente, por não estar tomando a medicação de forma regular. Eles também disseram que há relatos de pessoas que dão bebida alcoólica ao homem, o que piora o quadro. A equipe do Caps informou que faz, dentro da possibilidades, contatos com a família para acompanhar o tratamento do paciente. Na manhã desta terça-feira, 9, um funcionário da unidade esteve na casa do homem, em Duas Pedras, e também fez uma ronda no bairro, mas ele não foi encontrado.

O Caps pede que quem tiver alguma informação sobre o paradeiro do homem pode ligar para o telefone da unidade (22) 2523-4206 ou para o 192 e solicitar uma ambulância para que ele seja encaminhado ao setor de Psiquiatria do Hospital Municipal Raul Sertã. 

Publicidade
TAGS: