Guardas e recrutas do Tiro de Guerra passam a pagar passagem

Categorias durante anos anos tiveram passe livre, desde que fardadas. Faol alega desequilíbrio econômico-financeiro
terça-feira, 14 de maio de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Guardas e recrutas do Tiro de Guerra passam a pagar passagem

Há muitos anos a concessionária de transporte coletivo municipal Faol vem transportando gratuitamente atiradores do Tiro de Guerra e guardas municipais, desde que fardados. Uma espécie de “cortesia”, ou uma forma de reconhecimento à importância do serviço por eles prestado, que no primeiro caso é ainda obrigatório e não remunerado. Não haveria previsão legal ou contratual para isso.

No entanto, diante do “desequilíbrio econômico e financeiro” que vem sendo alegado pela concessionária, o qual já motivou requerimentos e até mesmo uma ação judicial solicitando revisão do equilíbrio, a empresa afirma ter avisado a prefeitura de que não transportaria mais o efetivo da guarda gratuitamente. Uma deliberação que acaba de entrar em vigor, informa a coluna do Massimo.

 

 

LEIA MAIS

Central de monitoramento começou a multar infratores há uma semana, entre 6h e 22h

Serviço, prestado inclusive nos fins de semana, evita deslocamento dos veículos e não afeta atividades de rotina

Importante para o turismo e para a agricultura, Terê-Fri recebe cerca de 600 caminhões por dia que escoam a produção de 90% das hortaliças consumidas no estado

Publicidade
TAGS: Trânsito