Gabinete de Huguenin será dentro do Raul Sertã

Novo secretário municipal de Saúde, interino, assume a pasta logo após o Natal
sábado, 23 de dezembro de 2017
por Guilherme Alt
Foto de capa
Christiano Huguenin: gabinete dentro do Raul Sertã (Arquivo AVS)

Escolhido pelo prefeito Renato Bravo como novo secretário municipal de Saúde, interinamente, o vereador licenciado e secretário municipal de Assistência Social Christiano Huguenin (PMDB) disse na manhã deste sábado ao jornal A VOZ DA SERRA que sua primeira medida concreta como titular da pasta será transferir o gabinete da Saúde, atualmente no prédio da Avenida Alberto Braune em frente à sede da prefeitura, para dentro do Hospital Municipal Raul Sertã, na Vila Nova.

Huguenin assumirá o cargo assim que for oficialmente nomeado, provavelmente na terça-feira, 26, após o Natal. Uma entrevista coletiva está programada para a manhã da quarta-feira, 27.

Em nota oficial, a prefeitura informou na tarde desta sexta-feira, 22, que Huguenin atuará com um grupo de trabalho especial, formado no intuito de "dar suporte à gestão da pasta". Fazem parte desse grupo o vice-prefeito, Marcelo Braune, as secretarias de Finanças, de Infra-estrutura e Logística, a Subsecretaria de Recursos Humanos, a Procuradoria Geral e a Controladoria.

Huguenin assume no lugar de Suzane Oliveira de Menezes, afastada do cargo de secretária municipal de Saúde, juntamente com a subsecretária-executiva Michelle Silvares Duarte de Oliveira, por ordem da Justiça Federal. Elas são acusadas pelo Ministério Público Federal de fraudar e superfaturar um contrato de serviços de esterilização para o Hospital Maternidade Dr. Mário Dutra de Castro e o Hospital Municipal Raul Sertã. O afastamento se deu durante uma operação da Polícia Federal deflagrada na quarta-feira, 20.

Durante a operação, batizada de Esterilização, os policiais federais cumpriram medidas cautelares que foram autorizadas pela 1ª Vara Federal de Nova Friburgo, atendendo ao pedido do MPF. Foram cinco mandados de busca e apreensão na prefeitura e nos endereços das suspeitas, na Tijuca, na Zona Norte do Rio, e em Olaria, em Nova Friburgo, e a ordem de afastamento compulsório delas dos cargos.

Mandados de condução coercitivas também foram expedidos pela Justiça para Suzane e Michelle, mas não puderam ser cumpridos após decisão liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, que suspendeu a medida em todo o país a partir da terça-feira, 19.

As duas titulares foram então intimadas a depor na Delegacia da Polícia Federal em Macaé. Segundo o delegado federal Felício Laterça de Almeida, cada depoimento durou cerca de quatro horas.

“Elas foram solícitas, responderam todas as perguntas, mas não podemos divulgar o teor dos depoimentos porque o processo está em segredo de Justiça”, disse o delegado. “O depoimento e os materiais apreendidos pela PF serão encaminhados para o MPF em Nova Friburgo. Parte do material, porém, deve ainda passar por perícia”.  

O MPF e a PF investigam fraude no contrato da prefeitura com a empresa Bioxxi Serviços de Esterilização, no valor de R$ 780 mil, para esterilização, por ciclos de vapor, de materiais médico-hospitalares para o hospital e a maternidade, pelo prazo de 180 dias, de 10 de agosto de 2017 com término em 5 de fevereiro de 2018. Alvos da operação, a secretária e a subsecretária são investigadas pelos crimes de dispensa fraudulenta de licitação, peculato e corrupção passiva.

A contratação da Bioxxi foi realizada depois que a Vigilância Sanitária Estadual interditou, em junho, a Central de Materiais e Esterilização (CME) do Hospital Raul Sertã, atendendo a uma solicitação do Ministério Público Estadual. O MP recebeu denúncia de médicos-cirurgiões que se recusaram a operar sob circunstâncias que, segundo eles, poderiam elevar a incidência de complicações operatórias infecciosas nos pacientes. Os atendimentos na unidade caíram pela metade. Após obras da prefeitura, que custaram cerca de R$ 20 mil, a CME voltou a funcionar semana passada.

A VOZ DA SERRA fez contato por e-mail nesta quinta-feira, 21, com Suzane Menezes, Michelle de Oliveira e a direção da Bioxxi, mas não obteve resposta até a atualização desta notícia.

Nesta sexta-feira, 21, durante um café da manhã com a imprensa no seu gabinete, Bravo não tocou no assunto. Ele fez um balanço das ações do governo neste ano e falou de planos para 2018. Mas, no fim da tarde de quarta-feira, 20, logo após a operação de busca de apreensão da Polícia Federal na Secretaria municipal de Saúde, ele disse, em entrevista ao RJ InterTV, que ficou surpreso com a investigação do MPF.

"Todo secretário e subsecretário são cargos de confiança, mas logicamente causa surpresa, porque nós queremos logicamente a transparência. Como não temos acesso ao processo, nós não sabemos ainda", disse Bravo, afirmando que a Procuradoria vai analisar e levantar os dados para saber que medidas podem ser questionadas.

LEIA MAIS

Secretaria municipal de Saúde aguarda resultado de exames laboratoriais na Fiocruz

Unidade do Suspiro tem fila de 400 pessoas e mais de duas horas de espera na manhã desta quarta

Paciente morava em Teresópolis. Caso foi confirmado por exames laboratoriais

Publicidade
Agora Faz
TAGS: saúde